Listen to the text.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Apresentações Culturais em São Carlos

No próximo sábado (23), o Teatro Municipal de São Carlos será palco da apresentação dos primeiros projetos contemplados pelo 1º edital do Fundo Municipal de Cultura. Os projetos estão classificados na área de arte visual, teatro, audiovisual, dança, música e patrimônio cultural.

O Fundo Municipal de Cultura é um mecanismo de política pública que concede incentivos financeiros a pessoas físicas ou jurídicas, domiciliadas em São Carlos, para a realização de projetos culturais.

Os recursos do Fundo são compostos por dotação orçamentária, doações, parte das taxas arrecadadas no Teatro Municipal e no Cine São Carlos, entre outros. Estes recursos devem ser prioritariamente direcionados para a execução de projetos culturais da cidade.

Para a primeira edição do projeto, o Fundo Municipal de Cultura disponibilizou R$ 73.634,15 para os projetos culturais escolhidos por meio de licitação. Foram eles: Artes Visuais – “Olhares de Passagem / Regard em Passant”, de Matheus Hidalgo, projeto cujo resultado será uma exposição fotográfica que tem como tema as relações entre o Brasil e a França; Artes Cênicas – “Isabela - A Astróloga de Araque”, do Grupo Preto no Branco, projeto que irá resgatar a atmosfera da Commedia dell’Arte, gênero estabelecido a partir do século XVI e “Jogos de Assoprar”, da CIA da Insônia, projeto com base na performance que resultará na montagem de um espetáculo com o mesmo nome, organizado dramaturgicamente por Thaise Nardim, onde mostra diferentes versões do que seria o fracasso e o sucesso; Dança – “Dança Periferia – Inclusão Social”, de Carlos Henrique Mota de Santana, projeto que apresenta a origem da dança de rua e sua difusão no Brasil com o objetivo de oferecer uma opção de cultura e lazer às regiões periféricas da cidade e “O Choro do Morro”, de Antônio Carlos Miguel Ramos, que busca fazer a fusão da dança de rua com a contemporânea buscando uma nova linguagem corporal.

Também foram contemplados os projetos nas categorias de: Patrimônio Cultural – produção do livro, de Claudirene Bandini, “Cantores e Cantorias no Rancho do Abacateiro” e registro etnográfico a partir das histórias de violeiros, de declamadores e catireiros da cidade de São Carlos no Rancho do Abacateiro, lugar de memórias que há mais de duas décadas mantém viva a essência da cultura caipira são-carlense, e a produção do livro “Viva os Santos Reis”, de Fernanda Dias, projeto que apresenta a estrutura de funcionamento, configuração e as formas de peregrinação realizadas pelas Cias. de Santos Reis de São Carlos; Produção Audiovisual – projeto que conta a história do Mestre Izarl, de Marta Kawamura, mestre da mais antiga associação de capoeira em funcionamento de São Carlos, mostrando seu trabalho na preservação e divulgação da cultura da capoeira regional do Mestre Bimba; Música – “Café do Centro”, de Edmilsom Marchetti, coletânea musical que tem como grande homenageada a cantora e compositora Márcia Barnabé, realizado com a participação de mais de 40 músicos da cidade, relembrando as antigas noites do saudoso Café do Centro.

A apresentação terá início às 18h, com entrada gratuita, no Teatro Municipal “Dr. Alderico Vieira Perdigão”. O Teatro está localizado na rua 7 de setembro, nº 1735, Centro.

fonte:

Soleida Rios no CCSP



Revista Ecosul destaca museus da região

A  edição julho/agosto da Revista Ecosul apresenta a diversidade de museus da região sul. A matéria de capa traz uma sugestão de roteiro para quem viaja pelo Polo Rodoviário de Pelotas. A advogada pelotense Marilene Bohmer elegeu o Museu da Baronesa, em Pelotas,  para apresentar a cidade ao namorado francês, Pierre Barre. “Quando estive na França ele me levou ao Louvre e agora retribuo mostrando um pouco da história da minha cidade”, contou Marilene. Para Pierre, que vive na cidade de Tours – conhecida pelos belos castelos que caracterizam o lugar – visitar uma cidade que traz na história os traços europeus é muito aconchegante. “Começamos pelo museu, local que é ponto de partida para visitarmos os demais pontos turísticos da cidade”, disse Pierre.  De acordo com dados do Sistema Estadual de Museus (SEM/RS), órgão da Secretaria da Cultura do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, 330 museus estão cadastrados. No Guia de Museus, a região do Polo Rodoviário de Pelotas está na 7ª região museológica, que abrange as cidades do litoral sul e sudeste da metade Sul, e conta com um total de 58 museus, sendo que destes, 36 são cadastrados no SEM.

A matéria mostra ainda o Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo, uma opção para os adoradores da arte contemporânea. Já em São Lourenço do Sul o foco é a cultura dos imigrantes que povoaram o local. Traços dos imigrantes estão no acervo do Museu Histórico de São Lourenço do Sul e na Casa Hartmeister, no Caminho Pomerano. Ainda nesta edição, a história de Hugo Munchow que aos 84 anos é um exemplo de vida nas estradas. Com 63 anos ao volante, ele conta a história do menino que sonhou em ser caminhoneiro e em seis décadas de trabalho nas estradas nunca sofreu um único arranhão. A Revista Ecosul tem tiragem de 12 mil exemplares e é distribuída gratuitamente nos SAUs da Ecosul na BR 116 e BR 392.
fonte:

Museu de Astronomia acaba com o problema de água mundial


Oficina propõe construir o “Multiplicador de águas”, experimento que gera o elemento essencial à vida.


Com a ultilização inadequada dos recursos naturais do planeta, uma das maiores preocupações da população mundial é a escassez de água no mundo. O Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) vai discutir essa questão e construir com os visitantes o “Multiplicador de águas”, na oficina gratuita “Faça Você Mesmo”, neste domingo (24/07), às 16h.


Uma caixa de leite, um gargalo de garrafa pet e um pedaço de mangueira transparente são suficientes para construir a máquina que transforma um copo de água em dois. “O interessante é estimular os visitantes a tentarem entender o que acontece dentro da caixa, que, teoricamente, acaba com o problema de água no mundo”, explica Pedro Nasser, físico da Coordenação de Educação em Ciências do MAST.


A oficina pretende falar sobre o ciclo da água, como o elemento está atrelado à existência de vida do planeta e a questão da poluição como um dos maiores motivos para a falta de água na Terra. “Perguntamos aos visitantes e discutimos com eles: se a água possui um ciclo, como podemos afirmar que ela vai acabar?”, questiona Nasser.


Programação completa-No sábado, o visitante tem uma programação recheada. A Visita Orientada é a primeira atração, às 15 e às 17 horas. Com ajuda da ciência, os mediadores do Museu ensinam a fazer um pudim, na oficina “Cozinhando com a Química”, às 16 horas. Para fechar o dia com chave de ouro, o Programa de Observação do Céu desvenda os mistérios astronômicos e mostra aos visitantes constelações e planetas em telescópios centenários.
Museu de Astronomia e Cinências Afins- MAST,Rua General Bruce, 586, São Cristóvão – Rio de Janeiro – RJ | Telefones:             (21) 3514-5200       | Site: www.mast.br

fonte:
http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=166038

Revista eletrônica aborda planetários, jardins botânicos e museus

A pesquisa “Percepção Pública da Ciência e Tecnologia no Brasil”, realizada pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) em 2010, apontou que os museus e centros de ciência e tecnologia do Brasil são pouco frequentados. Por causa disso, a revista eletrônica Coletiva traz na sua quarta edição reportagens sobre planetários, jardins botânicos e museus de humanidades. O material já pode ser acessado pelo endereço www.coletiva.org


Na seção de artigos, há um panorama do desenvolvimento desses espaços, com destaque para a história dos zoológicos do País. Esse novo número também divulga um trabalho de Gilberto Freyre sobre a criação do Museu de Antropologia do Instituto Joaquim Nabuco de Pesquisas, que hoje integra o Museu do Homem do Nordeste da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj).

O especial traz ainda imagens microscópicas produzidas no Laboratório de Filmes Finos da Universidade de São Paulo (LLF/USP) e imagens do espaço captadas pelos astrônomos amadores Marcos Mataratzis e Vivek Hira. Marcus Granato, em entrevista, fala da importância da preservação da memória de ciência e tecnologia no Brasil.

A Coletiva é uma revista eletrônica de divulgação científica da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) e trata da importância dos espaços de ciência para a promoção de atividades educativas e de divulgação.

fonte: