terça-feira, 9 de agosto de 2011

O Brasil em seis museus


Conheça os museus da capital paulista que revelam a cultura do Brasil, ao tratar de história, futebol, língua, religião, arte e formação do povo.

São Paulo – São Paulo, a capital financeira do País, também guarda alguns dos maiores tesouros culturais do Brasil. A visita a alguns museus da cidade revela ao turista importantes elementos da cultura brasileira, como sua história, língua, religião, arte e também a formação de seu povo, além da paixão nacional, o futebol. Conheça, agora, os seis museus de São Paulo que abrigam a cultura nacional.
Reprodução Reprodução
Ipiranga: independência do Brasil
Museu do Ipiranga – O Museu Paulista da Universidade de São Paulo, mais conhecido como Museu do Ipiranga, foi inaugurado em 1895 e tem 150 mil itens, entre objetos e documentos que preservam a história do Brasil desde o século 18, quando o país ainda era colônia de Portugal, até o ano de 1950. Construído para celebrar a Proclamação da Independência do Brasil, foi erguido no lugar onde teria ocorrido o "grito da Independência", dado por D. Pedro I, em 1822. Uma das principais atrações do museu é justamente o quadro, pintado por Pedro Américo, que retrata a cena que teria ocorrido às margens do rio Ipiranga, onde foi erguido o museu. A pintura fica em exposição permanente no salão de honra do local.

Aurea Santos/ANBA Aurea Santos/ANBA
Imigração: no idioma
Museu da Língua Portuguesa – Único museu no mundo dedicado a uma língua, ele é dividido em três andares e conta com uma exposição permanente e um espaço dedicado a exposições temporárias. O visitante pode conhecer a origem e o significado de diversas palavras da língua, saber da contribuição de indígenas, africanos e europeus na construção do português, além da influência das línguas dos diversos imigrantes que vieram ao Brasil, inclusive os árabes. Palavras como quibe, esfiha e mascate passam pela tela interativa, nas quais o visitante toca para ouvir a pronúncia e saber mais sobre elas. A história dos imigrantes sírios e libaneses no Brasil também integra o acervo sobre a contribuição dos estrangeiros, assim como pratos árabes e uma reprodução de parte do jornal Al Assmahy. A "Árvore das Palavras", escultura de 16 metros de altura, é assinada pelo arquiteto brasileiro de origem árabe Rafic Farah.

Aurea Santos/ANBA Aurea Santos/ANBA
Mais de mil diamantes cravados no ostensório
Museu de Arte Sacra – Maior país católico do mundo, o Brasil preserva imagens de santos, relicários, vestimentas, pinturas e outras peças ligadas ao cristianismo em um prédio feito de terra, construído no século 18, cujas paredes chegam a ter um metro de espessura. Com um acervo de mais de 20 mil peças que vão do século 16 ao século 20, destacam-se os mais de 500 objetos de ouro e prata, que vieram de igrejas já demolidas, de todo o país, entre eles um ostensório de ouro e platina com mais de mil diamantes incrustados. Há peças produzidas por brasileiros e também vindas de países como Portugal, Peru, França e Alemanha. Da Itália, há o "Presépio Napolitano de São Paulo", com peças vindas de Nápoles e cenário montado no Brasil. O presépio do século 18, e feito por 25 artistas, ocupa uma área de quase 40 metros quadrados. O prédio guarda ainda a imagem de Nossa Senhora da Luz, santa que deu nome ao bairro da Luz, onde fica o museu. Há também diversas réplicas de imagens feitas por Aleijadinho, um dos maiores artistas brasileiros do estilo barroco.

Divulgação Divulgação
Fotos retratam os craques do futebol
Museu do Futebol – Paixão nacional, o futebol tem um museu totalmente dedicado a sua história e seus craques. Em um espaço de 6,9 mil metros quadrados, dividido em 15 salas temáticas, dentro do estádio do Pacaembu, o visitante conhece a história do esporte no país, interage em telas que contam os principais fatos ligados ao futebol no Brasil e até permitem que se bata um pênalti. As Copas do Mundo têm um espaço especial, com destaque para os principais acontecimentos e personagens do evento, e também para os anos em que o Brasil ganhou seus cinco títulos. Há ainda muitas fotos, bolas e camisas antigas, mostrando como o esporte evoluiu no país. Uma loja, localizada da saída do museu, põe a venda artigos de clubes brasileiros e estrangeiros, uma boa oportunidade de levar uma lembrança da visita para casa.

Aurea Santos/ANBA Aurea Santos/ANBA
Valorização da arte popular brasileira
Pavilhão das Culturas Brasileiras – Criado para ser um espaço de exposição da arte popular brasileira, o Pavilhão foi aberto em abril do ano passado, com peças do acervo do antigo Museu do Folclore e da Missão das Pesquisas Folclóricas, viagem realizada por Mário de Andrade, em 1938, ao Nordeste do País, na qual reuniu objetos, filmes, instrumentos, vestimentas e anotações sobre a cultura local. Entre livros, objetos de cerâmica, telas e esculturas, o local abriga mais de 13 mil peças. Novas aquisições continuam sendo feitas junto a artistas e galerias e as peças vão sendo mostradas ao público em exposições temporárias. O local abriga uma variedade enorme de peças, que vão de máscaras de papel a instrumentos musicais, de esculturas a objetos do cotidiano que foram transformados em arte com a criatividade de artistas de todo o país. Entre as exposições temporárias que já realizou, uma delas trouxe peças do estilista Ronaldo Fraga, mostrando sua relação com o Rio São Francisco.

Pierre Verger Pierre Verger
Cultura afro no Brasil
Museu Afro Brasil – Dedicado à influência dos africanos no Brasil, o museu tem um acervo de mais de cinco mil peças, colecionadas por Emanuel Araújo, além de abrigar diversas exposições temporárias. Há roupas, pinturas, esculturas, fotos, vídeos e outras peças, do Brasil e da África, que mostram, especialmente, como os africanos contribuíram na formação do povo, da história e da cultura brasileira. Entre as mostras que podem ser vistas este mês está uma dedicada aos deuses da África, uma que trata sobre os Hereros, povo nômade mais antigo da África, que vive em Angola, e uma sobre as mulheres negras da Irmandade da Boa Morte da Cachoeira, na Bahia, que traz fotografias de Pierre Verger e Adenor Gondim.

Serviço:

Museu Paulista da USP
Parque da Independência, s/n.º - Ipiranga
De terça a domingo, das 9h às 17h
Ingresso: R$ 6
www.mp.usp.br

Museu da Língua Portuguesa
Praça da Luz, s/nº - Centro
De terça a domingo, das 10h às 17h
Ingresso: R$ 6
www.museulinguaportuguesa.org.br

Museu de Arte Sacra
Avenida Tiradentes, 676 - Bairro da Luz
De terça a domingo, das 10h às 18h
Ingresso: R$ 6
www.museuartesacra.org.br

Museu do Futebol
Praça Charles Miller, S/N - Estádio do Pacaembu
De terça a domingo, das 9h às 17h
Ingresso: R$ 6
www.museudofutebol.org.br

Pavilhão das Culturas Brasileiras
Parque Ibirapuera - Rua Pedro Álvares Cabral, s/nº
De terça a domingo, das 9h às 17h
Entrada gratuita
www.culturasbrasileiras.sp.gov.br

Museu Afro Brasil
Parque Ibirapuera – Av. Pedro Alvares Cabral, s/n
De terça a domingo, das 10h às 17h
Entrada gratuita
www.museuafrobrasil.org.br

Todos os museus mencionados na matéria oferecem o serviço de visitas guiadas com educadores que falam inglês.

fonte:
http://www.anba.com.br/noticia_turismo.kmf?cod=12207708
 

Coral Vox Aeterna canta no Museu, em 14/8

Vinte cantores apaixonados pela música sacra se uniram e formaram o Coral Vox Aeterna, que se apresenta neste 14 de agosto, domingo, às 15h30, no Museu de Arte Sacra (Largo dos Jesuítas, 67, Centro Histórico). A atração faz parte do programa Série Concertos 2011. Entrada franca. 
O repertório contém obras de Haendel (trechos do Messias e do Oratório Judas Macchabeus), Vivaldi (Magnificat) e Galuppi (Missa em Dó Maior). O coral vai apresentar ainda, com a participação da Orquestra de Cordas Laetare, a Missa em Sol Maior de Schubert, o Réquiem de Gabriel Fauré, o Stabat Mater de Joseph Rheinberger, diversas missas e obras sacras de Mozart e de Haydn, Salmos de Mendelssohn, de Bernstein e muitos outros
O coral Vox Aeterna, criado em 2007, também organiza palestras sobre técnica vocal e dá curso de “Leitura musical para cantores”, para transmitir o ideal de aprimoramento disciplinado que levou à formação do grupo, elogiado pela sonoridade e grande sensibilidade demonstrada em suas apresentações.

Vagas para tenores

No momento o Coral Vox Aeterna está com vagas para tenores. Os interessados podem se inscrever através do telefone: 3666 0783 (horário comercial), com a regente Muriel. Mais informações no site: www.voxaeterna.org.
Elke Lopes Muniz


fonte:
http://www.embu.sp.gov.br/e-gov/noticia/index.php?ver=4010

VI Encontro de Museus de Países e Comunidades de Língua Portuguesa, a realizar em Lisboa a 26 e 27 de setembro, em Lisboa.

Convite 3º Encontro Baiano de Museus

Prezadas (os)


A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia promoverá nos dias 21, 22 e 23 de setembro de 2011 o 3º Encontro Baiano de Museus com a temática: “Museus, Territórios e Inclusão Sociocultural”, na cidade de Ilhéus-Ba.

No Encontro acontecerá a Conferência Setorial de Museus que tem caráter mobilizador, propositivo e eletivo. O evento contará ainda com Palestras, Minicursos, Reunião das Redes de Educadores em Museus e da Rede de Técnicos de Museus Universitários, além de atividades culturais, procurando proporcionar maior conhecimento na área, com troca de experiências, articulação e valorização das instituições museais baianas.

Portanto, é importante sua participação.

Em anexo ficha de inscrição e ofício convite do Encontro.

As inscrições deverão ser encaminhadas para o e-mail:encontrobaianodemuseus@gmail.com 

A ficha de inscrição também pode ser acessada no blog http://dimusbahia.wordpress.com/

Mais informações:
Telefone             (71) 3117-6381      

Cordiais saudações



--
Sistema de Museus
Diretoria de Museus | IPAC  
            71 3117 6381      
sistema.dimus@gmail.com

Av. Sete de Setembro, 1330 - Palácio da Aclamação -, Campo Grande, Salvador, Bahia.
http://dimusbahia.wordpress.com/
Twitter: dimus_ipac