terça-feira, 16 de agosto de 2011

Conheça os dez maiores e mais interessantes aquários do mundo



distância do litoral. Às vezes se destacam pela quantidade de espécies ou por programas mais interativos. Seja qual for o tipo, os grandes aquários são atrações turísticas espalhadas pelo mundo. Em sua edição de julho, a revista espanhola "Viajar" elegeu os dez melhores aquários do mundo. Confira a lista, que segue abaixo.

16/08/2011 | 10h03min

1) ATLANTA, ESTADOS UNIDOS. Todos os números desse aquário, no estado da Georgia, são impressionantes: quase cem mil espécies vivem em tanques que, somados, chegam a 38 milhões de litros d'água, num investimento de US$ 200 milhões. Nada mal para o maior aquário do mundo, que permite aos visitantes mergulhar ao lado de tubarões-baleia e arraias, ou simplesmente observar baleias beluga em tanques de água tão fria quanto as dos mares árticos.www.georgiaaquarium.org
2) OKINAWA, JAPÃO. O segundo lugar da lista é também o segundo maior do mundo, o Okinawa Churaumi, que integra o parque de exposições Ocean Expo Conmemorative, na cidade de Motubu, na ilha de Okinawa. Logo na entrada, a estátua de um tubarão mostra que, quem manda por lá, são os grandes animais marinhos. O tubarão-baleia é a maior atração do tanque principal, onde vivem outros 21 mil animais, de 740 espécies. oki-churaumi.jp/en
3) DUBAI, EMIRADOS ÁRABES UNIDOS. Trinta e três mil espécies vivem no aquário de três andares que funciona no suntuoso Dubai Mall. No andar subterrâneo, o visitante entra num túnel, cercado por dez milhões de litros d'água, que permite visão panorâmica de 270 graus, de onde se tem visão privilegiada. www.thedubaimall.com

4) DURBAN, ÁFRICA DO SUL. Para encontrar o Ushaka Marine World, em Durban, basta procurar a figura de um barco naufragado na Praia de Point. Com esse desenho curioso, o aquário conta com 30 tanques com quase 20 mil metros cúbicos de água, e golfinhos, tubarões, tartarugas marinhas, cavalos-marinhos e espécies mais exóticas. Para matar a fome, há um restaurante zulu em pleno "navio fantasma", com vista para o fundo do mar. www.ushakamarineworld.co.za

5) GÊNOVA, ITÁLIA. O aquário da cidade onde nasceu Cristóvão Colombo foi o maior da Europa até 1998, quando perdeu o trono para o de Valência, na Espanha. Mas não perdeu a majestade. Foi construído para a Expo 1992, no projeto de revitalização da zona portuária. Entre os 70 tanques, um dos destaques é a piscina que reproduz uma barreira de corais e a área ocupada com espécies que inspiraram o filme "Procurando Nemo". Em anexo, ainda há uma curiosa esfera de aço e vidro, chamada "Biosfera", que reproduz um ambiente tropical, com fauna e flora. www.acquariodigenova.it.
6) VALÊNCIA, ESPANHA. Parte integrante da intrigante Cidade das Artes e da Ciência, projetada pelo arquiteto Santiago Calatrava, o Oceanário de Valência é o maior aquário europeu. São 42 milhões de litros em tanques com formas pouco convencionais, como de iglu, lírio-d'água, violão. A fauna vai de tubarões e barracudas a morsas e pinguins, passando por leões-marinhos e baleias beluga.www.cac.es

7) MÔNACO. O aquário do Museo Oceanográfico de Mônaco, fundado em 1903, é um dos mais antigos do mundo, e ainda um dos mais espetaculares. Sua especialidade é a fauna mediterrânea e a de ambientes tropicais, com reprodução de centenas de tipos de corais. Entre um tanque e outro, que abrigam 300 espécies, há salas de museu com preciosidades como um esqueleto completo de baleia. Seus laboratórios abrigaram gente como Jacques Cousteau. www.oceano.mc
8) VERACRUZ, MÉXICO. Representante latino-americano desta lista, o aquário de Veracruz apresenta aos visitantes fauna e flora de três ambientes muito distintos: água doce, lagoas salgadas e alto-mar. Tem também o maior túnel transparente da América Latina, dedicado aos arrecifes, com mais de um milhão de litros em volta.www.acuariodeveracruz.com
9) LISBOA, PORTUGAL. Quinze mil animais marinhos habitam os dois andares do aquário de Lisboa, uma das construções da região ao norte da cidade, projetada para Expo 1998. São dois andares, mas o visitante vê como se fossem apenas um. A ilusão de ótica acontece do lado de fora também: o prédio, separado da terra firme apenas por uma passarela, parece flutuar nas águas do Rio Tejo. www.oceanario.pt
http://oglobo.globo.com/fotos/2011/07/21/21_MHG_tur_aqu%C3%A1rios7.jpg
10) PERTH, AUSTRÁLIA. Um resumo dos 12 mil quilômetros da costa ocidental da Austrália, uma das regiões mais selvagens do planeta. É isso que o visitante encontra no aquário Aqwa. Polvos, arraias azuis, crocodilos e cavalos-marinhos são alguns dos destaques. Mas a atração mais concorrida é a área criada para abrigar exemplares do raro ornitorrinco, aquele mamífero que põe ovos e tem bico, que só existe na Austrália.www.aqwa.com.au

fonte:

Prefeitura inaugura Museu de Artes Sacra de Teresina. (PI)

Solenidade está marcada para as 17h, na Rua Olavo Bilac, 1481/C



Teresina ganha da Prefeitura, nesta segunda-feira (15), véspera do seu aniversário de 159 anos, um presente que compartilha com toda a população. É o Museu Municipal de Arte Sacra Dom Paulo Libório, instalado na Rua Olavo Bilac, 1481, Centro. A solenidade está marcada para as 17h e contará com a participação da cantora Lúcia Alvino. O prefeito Elmano Férrer preside o ato inaugural, acompanhado da presidente da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, Laurenice França.
O Museu Municipal de Arte Sacra Dom Paulo Libório é fruto do entendimento entre Dom Sérgio da Rocha, então arcebispo de Teresina, e o prefeito Elmano Ferrer, que vislumbraram na coleção sacra do professor Paulo de Tarso Libório uma forma de brindar Teresina com uma categoria de museu ainda inexistente na cidade.
Adquirida pela Prefeitura por intermédio da Secretaria Municipal de Planejamento - Semplan, com o acompanhamento de Carlos Antonio Alves Afonso, e repassada à Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, a coleção foi organizada em forma de museu, para ser apresentada ao público interessado na memória religiosa através da arte.
O acervo é composto, aproximadamente, de duas mil peças dos séculos XVIII, XIX e XX, contém imaginária sacra, alfaias (instrumento musical), parâmentos e mobiliário, tendo surgido da junção de alguns pertences da Arquidiocese de Teresina, da compra efetuada pela Prefeitura e de empréstimos de colecionadores da comunidade.
A nomeação do museu como Dom Paulo Libório, é uma homenagem justa visto que foi ele o primeiro bispo natural do Piauí que serviu em nossa Capital e, ainda mais, que a casa, agora transformada em museu, foi sua última moradia.
Dom Paulo Hipólito de Sousa Libório, nasceu em Picos, em 1913, foi ordenado padre em 8 de abril de 1939 e nomeado Bispo de Teresina em 5 de junho de 1949, vindo a falecer em 31 de março de 1981.

fonte:

Caça pilotado por Senna vai para museu da FAB no Rio




O caça de fabricação francesa Mirage III, que fez Ayrton Senna ultrapassar a barreira do som, está exposto em um museu no Rio. Foto: Luís Bulcão/Especial para Terra
O caça de fabricação francesa Mirage III, que fez Ayrton Senna ultrapassar a barreira do som, está exposto em um museu da FAB no Rio
Foto: Luís Bulcão/Especial para Terra

LUÍS BULCÃO
Direto do Rio de Janeiro
Em março de 1989, já campeão de Fórmula 1, Ayrton Senna ultrapassou a barreira do som. A bordo de um caça de guerra da Força Aérea Brasileira (FAB), Senna chegou a ficar tonto, mas segurou os comandos e deu show no céu de Anápolis (GO). Agora, o caça de fabricação francesa Mirage III, que fez o herói brasileiro atingir a maior velocidade de sua vida, está exposto no Museu Aeroespacial, na base de Campo dos Afonsos (RJ).
"Foi quando eu fiz duas passagens que eu estava com o comando da aeronave e você está mentalmente mais ligado à coisa. Então a sensação é maior porque eu estava realmente com a aeronave na mão, fazendo curvas fechadas, abrindo no mergulho, passando aqui em cima. Depois saí subindo fazendo um roll, então foi mais emocionante naquele momento em que eu estava com aeronave na mão, fazendo acrobacias", descreveu Senna após o voo.
Primeiro avião supersônico da FAB, o Mirage III-DBR, ou F-103D na designação militar, atingia até 2.350 km/hora. A aeronave passou a voar em 1972 e foi desativado em 2005. O Mirage suportava dois canhões de 30mm, três pontos fixos para bombas, um na fuselagem e dois nas asas, mísseis e tanques externos de combustível.
Visitação
O Mirage III faz parte do acervo de 116 aeronaves civis e militares expostas no museu, que pode ser visitado de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 15h, sábados domingos e feriados, das 9h30 às 16h. O museu, que abriga o coração do pai da aviação, Santos Dumont, também conta com uma réplica do 14-Bis. Os visitantes ainda podem acompanhar, aos sábados, domingos e feriados, apresentações de aeromodelismo junto ao museu.
Questão dos caças
Aposentados em 2005, os 12 Mirage III que faziam proteção do espaço aéreo nacional seriam substituídos por uma nova frota de caças mais modernas por meio do programa de compra FX, iniciado durante o governo Fernando Henrique Cardoso. O programa foi cancelado e, como precisava aposentar os caças obsoletos, a FAB adquiriu aviões Mirage 2000 em caráter emergencial.
O FX-2, plano para compra de caças iniciado durante o governo Lula, provoca concorrência acirrada entre três fabricantes: Dassault (francesa), Saab (sueca) e Boeing (americana). Mais inclinado ao projeto francês, que, segundo o então ministro da defesa, Nelson Jobim, contava com maior intercâmbio tecnológico, Lula acabou deixando a decisão final para sua sucessora. Dilma reabriu a concorrência e, mais de cinco anos após a aposentadoria do Mirrage III, seu substituto segue indefinido.
fonte: