Listen to the text.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Museus da Holanda poderão vender obras para pagar contas Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2011/08/17/museus-da-holanda-poderao-vender-obras-para-pagar-contas-925144589.asp#ixzz1VOKbUM7U © 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.


ROTERDÃ, Holanda (Reuters) - O Museu Wereldmuseum (museu do mundo), de Roterdã, planeja vender suas raridades africanas e americanas para cobrir os futuros rombos nas receitas por causa da crise econômica na Europa e os cortes de subsídios dados pelo governo às artes, previstos para 2013.
O Wereldmuseum é uma das várias instituições holandesas que estão sob pressão para arrecadar dinheiro entre o público. As ideias avaliadas incluem desde um patrocínio ligado a um reality show à abertura de um hotel nas suas dependências.
"Nós vamos vender as coleções inteiras da África e das Américas, e somente vamos manter as peças principais do restante do acervo, para que possamos nos concentrar em arte asiática", disse o diretor do Werelmuseum, Stanley Bremer.
"Vamos colocar no banco o dinheiro que arrecadarmos", declarou ele à Reuters. "Se você está alerta para a situação na Europa, pode ver que poderá haver um problema em cinco ou seis anos. Então, ou nos acomodamos ou fazemos um plano. E nosso plano é levantar dinheiro para ser o mais autossuficientes possível."
O governo disse que subsídios estatais para as artes e cultura sofreriam um corte de 200 milhões de euros a 700 milhões de euros a partir de 2013, e que no futuro os museus terão de obter 17,5 por cento de sua renda de novos financiadores ou parceiros.
INDIGNAÇÃO
A possível venda - se nenhum outro museu na Holanda puder adquirir as obras, outros compradores serão aceitos - provocou indignação em alguns setores.
A coleção africana do Wereldmuseum é uma das mais antigas da Europa e abrange peças recolhidas por mercadores holandeses a partir do século 19, como o empresário Hendrik Muller, que fazia comércio na África.
"Seria uma imensa perda para a Holanda. Precisamos garantir que eles fiquem na Holanda", disse o presidente da Fundação da Holanda para Coleções Etnográficas, Steve Engelsman. A entidade representa os oito museus etnográficos do pais.
Bremer afirmou que o museu vai se voltar para suas coleções da Ásia e Ásia-Pacífico porque já existem cinco outros na Holanda dedicados à África.
O Museum Boerhaave, em Leiden, direcionado para história da ciência e medicina, poderá também ter de recorrer à venda de obras, já que corre o risco de fechar.
"É possível que alguns itens tenham de ser vendidos, se não pudermos obter dinheiro por outros meios", disse o diretor Dirk van Delft.
O museu Meermanno, que reúne livros, situado em Haia, iniciou um esquema de patrocínio para suas obras.
Denominada "Boek zoekt vrouw, man of bedrijf!" ou "Livro procura uma esposa, marido ou empresa (negócio)", o esquema de patrocínio é um jogo em um popular reality show da TV, intitulado "Fazendeiro procura Esposa", uma versão holandesa de "O Solteiro".


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2011/08/17/museus-da-holanda-poderao-vender-obras-para-pagar-contas-925144589.asp#ixzz1VOL6q6QG 
© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. 



fonte:
http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2011/08/17/museus-da-holanda-poderao-vender-obras-para-pagar-contas-925144589.asp

Oito artistas internacionais vestem São Paulo de arte urbana


Oito artistas internacionais vestem São Paulo de arte urbana
Oito artistas internacionais vestem São Paulo de arte urbana
São Paulo, 17 ago (EFE).- Mapas escondidos em uma escada no interior do museu, esculturas gigantes, vídeos, animações e pinturas em mural são algumas das propostas escolhidas por oito artistas internacionais para transformar nesta quarta-feira a cidade de São Paulo em uma grande obra de arte.
O objetivo da mostra chamada 'De dentro e de fora', que estará exposta no Museu de Arte de São Paulo (Masp) até 23 de dezembro, é o de estabelecer o diálogo entre o público e as obras de arte.
Com ajuda dos curadores Baixo Ribeiro, Eduardo Saretta e Mariana Martins, o curador do museu e criador do projeto, José Roberto Teixeira Coelho, selecionou diversos nomes da arte urbana mundial com a intenção de mostrar um trabalho que tivesse grande plasticidade e que possibilitasse a interação com o público.
Os oito artistas que vieram de países tão diferentes entre si, como Argentina e República Tcheca, tiveram um mês para soltar a imaginação utilizando como tela as paredes de uma sala localizada no subsolo do Masp e também os muros da cidade de São Paulo.
O resultado foi um mural gigantesco pintado com giz, que mais parece um quadro-negro rabiscado por crianças que aproveitaram a saída do professor da sala, um muro em que se mistura pintura construtivista com grafite, passando por uma instalação na qual ursos polares estão vestidos de operários de uma linha de montagem que fabrica humanos.
O objetivo da exposição é 'provocar no público a experiência de não saber onde está a arte. Pode estar em todas as partes, sob a escada, atrás do quadro ou dentro do buraco. Pode estar na sala de casa ou no meio da rua. Dentro ou fora do museu', segundo um comunicado da instituição.
A intenção é incentivar o diálogo do público com o mundo a sua volta, para que o museu passe a ser visto como um prolongamento das ruas e da cidade.
Em entrevista à Agência Efe, o artista argentino, Defi Gagliardo, que participa da mostra, explicou que uma das bases de seu trabalho é 'pintar sem pensar' de modo que é a própria obra que se apodera do artista.
'Ninguém chegou com as ideias na cabeça, começamos a desenvolver aqui, fomos curadores de nossas obras', disse o artista, que explicou que foi configurando suas peças através de materiais que encontrou na própria cidade.
Gagliardo é o autor de um elaborado alto-relevo feito com peças de madeira que encontrou na rua, e relatou que inicialmente não tinha a intenção de transmitir nenhuma mensagem, mas acabou transformando a obra em uma espécie de 'cápsula' que pode ser enviada ao espaço para relatar como se vive no planeta Terra.
O artista classificou a cidade de São Paulo como uma espécie de 'Nova York do terceiro mundo', pois oferece a mesma carga de estímulos à criatividade como a cidade americana, mas carece de estrutura que facilite o trabalho do artista.

fonte:

Semana do Patrimônio 2011 traz cultura para Itu em agosto


Acompanhe os eventos do projeto realizado pelos Museus da cidade.
Terra Paulista
Foto
Projeto Terra Paulista tem o objetivo de descrever, analisar, organizar e tornar público o legado das artes, das tradições e do cotidiano paulista
O Fórum Permanente dos Museus de Itu está realizando a “Semana do Patrimônio Itu 2011” em agosto. A programação congrega eventos que valorizam os patrimônios materiais e imateriais da cidade. Todas as atividades são gratuitas e acontecerão em diferentes locais, de acordo com a seguinte programação:
Dia 12 de agosto, às 19h30
Encontro - Diálogos 2011
Prof. Adélcio Camilo Machado
“Estudando o “mau” samba: sambão-joia e hegemonia musical nos anos 1970”, mediação Maestro Vinícius Gavioli.
SINCOMÉRCIO – Itu
Rua Maestro José Vitório, 137
Dia 13 de agosto, às 17 horas
Oficina “Interpretando o Acervo”
Museu da Música - Itu
Rua Floriano Peixoto, 480
Dia 14 de agosto, às 11 horas
Concerto “Corporação Musical União dos Artistas”
Praça Padre Miguel
Dia 14 de agosto, às 19h30Pocket Ópera “La Traviata”
Teatro Temec
Rua Cuiabá, 61
Dia 16 de agosto, às 19h30
Mediação “História, Energia e Cotidiano”, com intervenção teatral
Museu as Energia de Itu
Rua Paula Souza, 669

Dia 17 de agosto, às 19h30
“O arquiteto João Walter Toscano e a valorização do patrimônio brasileiro”, Profº Dr. Júlio Roberto Katinsky
(FAU/USP).
Ceunsp - rua Madre Maria Basília 965

Dia 18 de agosto, às 19h30
“O Patrimônio Cultural no Projeto Terra Paulista”
Profa. Dra. Maria Alice Setubal, Profª Paula Salvador, coordenação Profª Cecília Helena de Salles Oliveira
Centro de Estudos -  rua Barão do Itaim, 140

Dia 19 de agosto, às 19h30
Abertura da Mostra “Seresteiros de Itu”, com participação do “Quarteto Tristão Junior”.
Museu da Música – Itu
Rua Floriano Peixoto, 480

O Fórum Permanente dos Museus de Itu nasceu a partir de uma ação conjunta do Museu da Música - Itu,Museu da Energia de ItuMuseu Republicano Convenção de Itu, Museu de Arte Sacra Padre Jesuíno do Monte Carmelo e Museu da Cidade. Essas instituições se uniram com o objetivo de conciliar os trabalhos desenvolvidos pelos setores educativos das unidades museológicas, visando proporcionar à comunidade ituana ações de educação e lazer.
Os museus são instituições a serviço da sociedade e abertos ao público. Baseado nessas premissas o Fórum têm como objetivos: a formação de público para museus, fomentar o acesso aos espaços museológicos e ao conhecimento produzido por eles, além de contribuir para a formação crítica do cidadão e sua relação de pertencimento para com os espaços de memórias.

fonte:

São José dos Campos é sede de capacitação de museus


As inscrições para o Curso de Capacitação em Museus estão abertas e podem ser feitas até o próximo dia 23 pelo email sisem@sp.gov.br. O curso será realizado a partir do dia 29 em São José dos Campos para profissionais que atuam em museus do estado de São Paulo. Serão disponibilizadas 40 vagas e priorizados os primeiros a se inscrever, além da análise da carta de interesse e currículo, assim como os profissionais que têm vínculo com instituições museológicas.


A oficina será realizada em três fases. A primeira tratará da “Elaboração de projetos para museus” entre os próximos dias 29 a 31, na Biblioteca Cassiano Ricardo. A segunda, também na Biblioteca, terá como tema: “As Leis de Incentivo à Cultura e Projetos de Pesquisa e Curadoria”, entre os dias 26 e 29 de setembro. A terceira e última, “Projetos de Expografia e Projetos de Produção e Montagem de Exposições”, será no Museu de Esportes, entre os dias 17 e 21 de outubro.


Realizado pela Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico (UPPM), da Secretaria de Estado de Cultura, o curso busca instrumentalizar os profissionais de museus na elaboração de projetos, dando um panorama geral de procedimentos de trabalho e medidas de gestão primordiais para o bom funcionamento dessas instituições.


Essas oficinas são realizadas desde 2008, visando o aprimoramento do trabalho de profissionais inseridos no universo museológico e contribuindo para o aperfeiçoamento dos museus paulistas.
O Museu de Esportes de São José dos Campos é parceiro na realização do evento na cidade.
De acordo com o coordenador do Museu de Esportes de São José, Djalma Penha, que desde julho é coordenador do Sistema Estadual de Museus do Estado de São Paulo (Sisem/SP), as oficinas são importantes por oferecer suporte para a implantação de museus. “Vamos capacitar os funcionários através de oficinas com apoio da Secretaria de Estado de Cultura”, comentou.



Mais informações sobre a capacitação podem ser obtidas no Museu de Esportes (Praça Afonso Pena, 29), no centro, ou pelo telefone (11) 2627 8111 begin_of_the_skype_highlighting            (11) 2627 8111      end_of_the_skype_highlighting. O Museu funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e aos sábados das 8h às 14h. O telefone é o 3921 4112. A entrada é franca.


fonte:
http://www.agoravale.com.br/agoravale/noticias.asp?id=32652&cod=1