domingo, 21 de agosto de 2011

Biologia da USP Ribeirão projeta museu de R$ 120 milhões


Ousada, proposta é de construir museu como os de Nova York e Londres



Imagine se você pudesse andar por sobre a copa das árvores, caminhar por cima de um lago e voltar no tempo. Tudo isso será possível. Onde? No Museu de História Natural da USP de Ribeirão Preto. Mas, por enquanto, é apenas um projeto.
Aliás, um projeto ousado. Com concepção moderna e baseado em uma arquitetura inovadora que promete surpreender. Os 14 mil m² de construção vão abrigar um acervo inicial de 650 mil exemplares de várias espécies de animais e vegetais.
A ideia do museu é abordar três eixos: as formas da evolução desde a origem da Terra, o tempo em que as mudanças ocorreram e o espaço no qual aconteceram, destacando os diversos biomas. "A grande parte da beleza natural do planeta está escondida, nós queremos mostrá-la", destaca o pesquisador Flávio Bockmann.
No museu, as pessoas poderão, além de ver, sentir a natureza, pois a ideia é aproximar o público do meio ambiente. Para construir uma estrutura capaz disso, serão gastos cerca de R$ 120 milhões. "Parece ser muito, mas se comparado ao benefício que este museu trará para a sociedade, não é nada. Ninguém ama aquilo que não conhece", afirma o pesquisador Dalton de Souza Amorim.
Depois de pronto, o Museu de História Natural da USP de Ribeirão Preto será o 6º maior do mundo, em termos de exposição pública. Segundo os pesquisadores, ele poderá ser comparado aos grandes museus de Nova York e Londres.
Enquanto o museu não é erguido, o departamento de biologia já ganhou armários novos para guardar as coleções e está comprando alguns equipamentos.
Os pesquisadores aguardam uma resposta da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) para iniciar a construção do prédio de pesquisa. O orçamento está em torno de R$ 6 milhões. A expectativa é de que a resposta seja dada esta semana e a construção do prédio deverá começar este ano. O museu será erguido ao lado do novo Centro de Convenções da USP, que será construído próximo ao Hospital das Clínicas. Mas, não custa lembrar: ainda é um projeto.

fonte:

Museu do Café inaugura exposição no próximo dia 24


Antecipando as comemorações do Momento Itália-Brasil, celebrado entre outubro de 2011 e junho de 2012, o Museu do Café, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, inaugura no dia 24 de agosto, às 18h30, a exposição “Itália – café – Brasil: Qui si beve Caffè”. Por meio de um profundo trabalho de pesquisa, a mostra apresenta um olhar sobre a influência italiana no Brasil sob o ponto de vista de umapaixão comum aos dois países: o café.

A exposição é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, com apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e fica em cartaz até 29 de janeiro de 2012.

“O brasileiro é apaixonado por café, mas nem todos imaginam a influência italiana nos modos de preparo e no hábito do consumo do café ao longo dos anos no Brasil. A exposição propõe contar esta história”, explica Andrea Matarazzo, Secretário de Estado da Cultura. Matarazzo lembra também que a exposição é uma das primeiras ações da Secretaria que celebram o ano da Itália no Brasil. “A Secretaria preparou uma extensa programação festiva que inclui outras exposições e atividades culturais”.

O Museu do Café fica à rua XV de Novembro, 95, no Centro Histórico de Santos. Seu horário de funcionamento é de terça-feira a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos entre 10h e 17h. Os ingressos para visitação custam R$ 5, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Já a Cafeteria do Museu funciona de segunda a sábado, das 8h às 18h, e aos domingos entre 10h e 18h.

Outras informações estão disponíveis no endereço eletrônico www.museudocafe.org.br