quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Comissão de Educação lança campanha de apoio aos museus



A Comissão de Educação e Cultura lança hoje a Campanha de Apoio Parlamentar à Área Museal, que tem como objetivo ampliar os investimentos em museus no País. Na ocasião, também serão apresentados os editais do Programa de Fomento aos Museus Ibram 2011. A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, confirmou participação no evento, que está marcado para as 9 horas, no Plenário 10.
Também participarão do evento o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), José do Nascimento Junior; a presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara, deputada Fátima Bezerra (PT-RN); e o presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, Roberto Requião (PMDB-PR).
Editais
Os recursos financeiros para os editais do Programa de Fomento aos Museus Ibram 2011 resultam de duas emendas parlamentares apresentadas pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara e aprovadas pela Comissão do Fundo Nacional de Cultura, totalizando R$ 16,86 milhões.
Esse valor será destinado a prêmios e projetos relacionados à construção e à modernização de museus, ao incentivo a artistas contemporâneos, à divulgação do tema museu em diversas mídias e ao apoio a iniciativas e experiências de memória social desenvolvidas por comunidades e grupos populares.
Confira os editais do Programa de Fomento aos Museus Ibram 2011.

Museus ganham campanha de apoio no Senado



A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado lançou nesta quarta-feira uma campanha de apoio aos museus. O objetivo é aumentar os investimentos nesses locais que preservam a cultura e a memória de uma comunidade ou do próprio país.

O lançamento teve a presença da ministra da Cultura, Ana de Hollanda. Ela conta com a sensibilidade de senadores e deputados para que sejam apresentadas emendas ao Orçamento da União direcionadas ao Instituto Brasileiro de Museus.

"Existe uma relação muito especial entre os parlamentares, que vêm do Brasil todo, e os museus que estamos tentando implantar, equipar e ajudar no Brasil, em regiões distantes que eles representam", disse.

A campanha tem o apoio da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado. Integrante da comissão, o senador Inácio Arruda (PC do B-CE) espera que a iniciativa tire os museus brasileiros da situação de penúria.

"Um museu, em qualquer canto do mundo, você chega na Europa, nos Estados Unidos, na China, onde tem museus espetaculares, na Índia. E o Brasil ainda cuida pouco de seus museus, ainda trata como uma coisa absolutamente secundária, o orçamento para eles é mínimo", disse.

O Brasil tem atualmente 3.000 museus, que estão concentrados em pouco mais de 1.000 dos 5.565 municípios do país. Eles geram 22.000 empregos e têm média anual de 82 milhões de visitantes.

As informações são da Rádio Senado

Cientistas descobrem mais antigo mamífero placentário


Um fóssil encontrado no nordeste da China é o antecessor mais antigo conhecido dos mamíferos placentários atuais e situa o momento em que o grupo foi separado dos marsupiais pelo menos 35 milhões de anos antes do que se pensava, segundo cientistas.
Paleontólogos do Museu Carnegie de História Natural de Pittsburgh (EUA), afirmam em um estudo publicado na revista Nature, liderado pelo chinês Zhe-Xi Luo, terem encontrado os restos fósseis de um mamífero parecido com um musaranho, que viveu na China há 160 milhões de anos durante o período Jurássico.
O fóssil do Juramaia sinensis (que em latim significa mãe jurássica da China) é "uma espécie de tataravó de todos os mamíferos placentários existentes hoje", explica Zhe-Xi. Atualmente 90% dos mamíferos - incluindo os humanos - são placentários (o feto se desenvolve no interior da mãe), enquanto os mamíferos marsupiais (o feto se desenvolve em uma bolsa) se encontram somente na Austrália e América do Sul, e algumas espécies ovíparas na Austrália e Nova Guiné.
O mamífero placentário mais antigo conhecido até o momento datava de 125 milhões de anos, segundo o estudo. A descoberta do fóssil, na província chinesa de Liaoning, comprova os resultados de estudos genéticos que situavam a diferenciação dos mamíferos há 160 milhões de anos, e preenche um vazio no registro fóssil de sua evolução.
Segundo os cientistas, os Juramaia sinensis eram criaturas pequenas, adaptadas para subir e viver em árvores, ao contrário de outros mamíferos de sua época, capacidade que permitiu-lhes sobreviver às difíceis condições de vida do período Jurássico.
Entre os restos fósseis encontrados estão o crânio incompleto do animal, parte do esqueleto e vestígios residuais de tecidos macios como pêlo. Mas o que permitiu aos paleontólogos relacionar o Juramaia com os mamíferos placentários atuais e diferenciá-lo dos marsupiais como o canguru, foram especialmente a sua dentição completa e os ossos da pata, explica o estudo.
"A separação dos mamíferos eutérios dos marsupiais finalmente conduziu ao nascimento placentário e à reprodução que são tão cruciais" para seu êxito evolutivo, afirmou Zhe-Xi. Porém, segundo o cientista, a chave desta conquista foi sua rápida adaptação à vida nas árvores.
fonte:

Cultura destinará R$ 16 milhões para noves editais de fortalecimento de museus


Brasília - O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) lançará na primeira quinzena de setembro nove editais do Programa de Fomento aos Museus. Serão destinados R$ 16,8 milhões a iniciativas como a criação de novas instituições, modernização e ampliação (tanto física quanto do acervo) das já existentes e fortalecimento do Sistema Brasileiro de Museus.
anúncio foi feito hoje (24), na Câmara dos Deputados, pela ministra da Cultura, Ana de Hollanda, e pelo presidente do Ibram, José do Nascimento Júnior. Os dois participaram de reunião da Comissão de Educação e Cultura, quando adiantaram aos parlamentares os objetivos gerais e valores dos editais. Eles também agradeceram aos integrantes da comissão por terem destinado ao Ibram duas emendas de comissão que, juntas, totalizam o valor destinado aos nove editais.
“Emendas assim são sempre importantes. O ministério tem um orçamento para o Ibram, mas ele é insuficiente para atender a todos os museus brasileiros. Até porque, não estamos trabalhando apenas para os museus que pertencem ao ministério e ao instituto. Há uma política de atendimento e de apoio aos museus de todo o país”, disse a ministra.
Em folders produzidos para a campanha de apoio parlamentar ao setor, lançada hoje, o Ibram pede que os deputados apresentem emendas individuais, de bancada ou de comissões que beneficiem o próprio instituto, museus específicos ou projetos de criação de novos espaços.
Para a ministra, contudo, as emendas, embora fundamentais, não são suficientes, principalmente diante da necessidade de preparar os museus para aumento do fluxo de turistas durante a Copa do Mundo de 20014 e os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.
“Além das emendas, precisamos de um olhar especial para o orçamento da cultura e do apoio dos congressistas”, assinalou a ministra. Ele defende ainda a “urgência” da aprovação de projetos de lei que tramitam na Casa, como o que cria o Vale Cultura (que concede R$ 50 por mês para trabalhadores com carteira assinada gastarem na compra de livros e CDs ou ingressos em espetáculos).
Além desse projeto, a ministra citou o que estabelece um gasto mínimo na área pelos governos municipais, estaduais e federal e o que cria o Sistema Nacional de Cultura, com a definição de obrigações que prefeitos, governadores e a Presidência da República terão com o desenvolvimento do setor. Os três projetos estão prontos para votação em plenário.
Veja abaixo quais são e os valores dos nove editais que serão lançados em breve:
- Criação e Fortalecimento de Sistemas de Museus: R$ 2,06 milhões para projetos de estruturação, modernização e fortalecimento de museus. Podem participar entidades públicas nos âmbitos municipal, estadual e distrital.
- Edital Mais Museus: R$ 3,05 milhões para projetos de implantação de museus em municípios com menos de 50 mil habitantes e que ainda não tenham instituição museológica. Podem participar pessoas jurídicas de direito público e de direito privado sem fins lucrativos, com finalidade cultural.
- Edital Modernização de Museus: Prevê R$ 3,8 milhões para projetos e despesas administrativas decorrentes de projetos voltados à cultura, memória e patrimônio e para modernização dos espaços museus.
- Edital Modernização de Museus/Microprojetos: Prevê R$ 1,2 milhão para premiação de 50 projetos voltados à cultura, à memória e ao patrimônio.
- Prêmio Ibram de Roteiros Audiovisuais 2011: R$ 1,2 milhão para premiar 18 roteiros inéditos de produção audiovisual, com 60% de ambientação em museus brasileiros e 20 produções de mídias digitais com argumentação museológica.
- Prêmio Pontos de Memória 2011: Voltado para grupos étnico-culturais como indígenas, afrodescendentes, ciganos, entre outros. Destinará 45 prêmios de R$ 30 mil para pontos de memória no Brasil e três prêmios de R$ 50 mil para pontos de memória no exterior, totalizando R$ 1,56 milhão;
- Prêmio Ibram de Arte Contemporânea: Prevê R$ 895 mil em prêmios para projetos de produção de obra inédita de dez artistas e artistas revelação.
- Prêmio Darcy Ribeiro 2011: Prevê R$ 65 mil para práticas de educação não formal que promovam a convergência entre cultura, arte e educação com o objetivo de ampliar o acesso da sociedade às manifestações culturais e ao patrimônio cultural brasileiro;
- Prêmio Mario Pedrosa. Voltado para trabalhos jornalísticos veiculados na mídia impressa nacional e que tiveram como tema Mulheres, Museus e Memórias. São prêmios de R$ 10 mil, R$ 7 mil e R$ 5 mil.

fonte: