Listen to the text.

domingo, 16 de outubro de 2011

Problemas no Museu de Pesca podem ser sanados

Com a chuva deste sábado, alguns animais marinhos taxidermizados (empalhados) expostos no Museu de Pesca, em Santos, estavam quase em seu habitat natural: dentro d’água. Por causa de goteiras, pelo menos 15 baldes foram espalhados por salas do equipamento turístico, fora as poças no chão.

Em apenas um espaço, que abriga coleções de areias de praia e conchas, foram contabilizados oito baldes.

Em algumas paredes, as marcas de mofo também davam um aspecto de deterioração ao prédio, especialmente na Sala Governador Mário Covas, a principal do museu. É lá que estão os 197 ossos de uma baleia de 23 metros, reconstituída em 1942, e também o recém-taxidermizado Macaezinho, lobo marinho que era a principal atração do Aquário Municipal e que hoje está ao lado do seu antecessor, Macaé.

Outro problema, ainda mais grave, é a falta de acessibilidade para pessoas com deficiência e dificuldade de locomoção. A boa notícia, entretanto, é que estes infortúnios parecem estar próximos do fim.

Foi publicado neste sábado no Diário Oficial do Estado o Decreto 57.419, que dispõe sobre a abertura de crédito suplementar ao Orçamento na Secretaria de Agricultura e Abastecimento.

Os recursos, no valor de R$ 1,5 milhão, serão destinados à reforma do museu e revitalização dos laboratórios do Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio – Pescado Marinho.

“Vamos ter um elevador e, finalmente, rampas para cadeirantes”, comemora um dos guardas do local, que preferiu não se identificar. A Tribuna buscou mais detalhes sobre a obra, mas não conseguiu contatar os responsáveis pelo Instituto de Pesca.

Visitantes

Independentemente dos problemas encontrados, as diversas pessoas que visitaram o local não pareciam se importar com o aspecto do museu. Um deles era o empresário Carlos Renato Cecchetto, de Vinhedo, que já esteve no equipamento há cerca de 5 anos. Por isso, ao visitar a Cidade neste final de semana, fez questão de levar o filho Geanluca, de 4 anos, para mostrar a ossada da baleia.

“Já tinha contado sobre isso para ele, que estava ansioso para ver”.

Informado por A Tribuna sobre a futura reforma, Renato se mostrou satisfeito.
“Gosto muito das atrações, mas se o museu estiver mais cuidado será muito melhor”.

O local também recebeu a visita de aproximadamente 80 crianças de Suzano, no interior de São Paulo, que vieram em excursão especialmente para visitar o Aquário Municipal e o Museu de Pesca.

Estudantes da Emef Odário Ferreira da Silva, as crianças tinham entre 6 e 9 anos e ficaram especialmente encantadas com a ossada de baleia. “Este espaço é muito legal, eles estavam super empolgados”, disse a professora, Eliane Aparecida Rodrigues.



Matérias relacionadas
Governo libera R$ 1,5 milhão para reforma do Museu de Pesca


fonte:
http://www.atribuna.com.br/noticias.asp?idnoticia=119094&idDepartamento=5&idCategoria=0

Museu Olho Latino é a instituição brasileira escolhida para receber a doação de obras em memória da artista japonesa Hiroko Okamoto

A mostra “Sofá, Trama e Natureza”, composta por 13 gravuras em metal da artista japonesa Hiroko Okamoto, está aberta ao público de 14 de outubro a 10 de novembro no Museu Olho Latino, em Atibaia, SP. A curadoria é do prof. Dr. Paulo Cheida Sans.



A exposição está inserida na série de eventos em comemoração aos 10 anos do Museu Olho Latino. As obras expostas foram doadas recentemente pela Associação Hiroko Okamoto, sediada em Paris, que tem escolhido museus e instituições em vários países para preservar a memória da artista. O Museu Olho Latino é a única instituição brasileira a receber obras da artista como doação.


A artista:

Hiroko Okamoto nasceu no Japão em 1957. Estudou pintura na Universidade Musashino, em Tóquio, e depois se especializou em gravura na École des Beaux-Arts Sokei. Realizou a primeira exposição individual em Tóquio em 1981. Ela era membro da Associação Japonesa de gravura desde 1982.

No outono de 2001, impulsionada pelos sonhos da juventude, escolheu Paris para fixar residência. Iniciou uma nova série de desenhos e gravuras sobre o tema da natureza (árvores, folhas, plantas).




Ao longo de sua carreira a artista recebeu inúmeros prêmios por suas gravuras, como o “Grande Prêmio” do concurso realizado pelo Museu Shibuya, Tóquio, Japão. Ela produziu um total de mais de 3000 gravuras e desenhos. Com persistência, ela aperfeiçoou sua arte, num equilíbrio entre a simplicidade e o requinte.
Em 2007, Hiroko Okamoto morreu, aos cinquenta anos, durante estada em Tóquio.



A Associação:

O objetivo da Associação é manter viva a memória da artista Hiroko Okamoto, uma importante gravadora japonesa. Durante sua carreira, ela expôs com Moore, Enzo Cucchi, Jean-Michel Folon, Alechinsky Pierre e Claes Oldenburg.
Em sua homenagem, formou-se uma associação composta por artistas e colecionadores, presidida por Olga Worm-Mignot, com o objetivo de manter viva a memória de sua arte.

Além do Museu Olho Latino, as obras da artista estão presentes nas seguintes instituições: Museu da Bienal Internacional del Gravura, Acqui Terme (Itália); Biblioteca Nacional da França, Ville de Saint-Ouen (França); Centro de Gravura e Impagens Impressas, La Louvière (Bélgica); Artothèque d"Amiens (França); Artotec Lons-le-Saunier (França); Cité Internationale des Arts, Paris (França); Maison de la Méditerranée, Médiathèque de Carcès (França); Médiathèque Hermeland, Saint-Herblain (França); Médiathèque Benjamin Rabier, La Roche-sur-Yon (França); Biblioteca Médiathèque, Mulhouse (França); Fundação Taylor, Paris (França); Museu Municipal Raymond Lafage, Lisle-sur-Tarn (França); Associação Movimento de Arte Contemporânea, Chamalières (França); Artothèque ASCAP, Montbéliard (França); Museu do Design e Impressão Original, Gravelines (França); Médiathèque Crépeau Michel, La Rochelle (França); Les Moyens du Bord, Morlaix (França); Pontificia Universidad Católica del Perú, Lima (Peru).

A mostra “Sofá, Trama e Natureza” poderá ser visitada até 10 de novembro, de terça a sábado, das 09 às 17h, no Museu Olho Latino - mezanino do Centro de Convenções e Eventos “Victor Brecheret” - na Al. Lucas Nogueira Garcez, 511, Parque das Águas, na Estância de Atibaia, SP.





Serviço:

Exposição: “Sofá, Trama e Natureza” da artista japonesa Hiroko Okamoto.

Obras doadas pela Associação Hiroko Okamoto, sediada em Paris, para o acervo do Museu Olho Latino.

Curadoria: Paulo Cheida Sans.

Período da mostra: 14 de outubro a 10 de novembro de 2011.

Visitação: de terça a sábado, das 09h às 17h.

Local: Museu Olho Latino (mezanino do Centro de Convenções e Eventos “Victor Brecheret”).

Endereço: Al. Lucas Nogueira Garcez, 511 - Estância de Atibaia, SP.

Realização: Museu Olho Latino e Prefeitura Municipal da Estância de Atibaia.

Telefone: (11) 4412 7776.

Site: www.olholatino.com.br

E-mail: museu@olholatino.com.br

Por: Luciene Sans - Assessoria de Imprensa Olho Latino
fonte:
http://www.atibaia.com.br/noticias/noticia.asp?numero=23430