terça-feira, 8 de novembro de 2011

Oficina de Plano Museológico acontece no Museu de Arte Sacra de Mato Grosso

Da Redação
A Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso, por meio do Sistema Estadual de Museus (SEM/MT) e Museu de Arte Sacra de Mato Grosso (MAS/MT) promove uma oficina do Programa de Capacitação Museologia do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM). A oficina “Plano Museológico: Implantação, Gestão e Organização dos Museus” acontece entre os dias 9,10 e 11 de novembro no auditório do MAS/MT.
Valdemar de Assis Lima, museólogo, arte educador e poeta, será o responsável por conduzir a oficina, e abordará conceitos de museu e museologia, conceitos de projeto, programa e plano museológico. Também irão ser trabalhadas questões como metodologia para elaboração e implantação do plano museológico, identificação da missão institucional: finalidades, valores, metas e funções, identificação de públicos e parceiros e critérios para avaliação do plano museológico.
Além desses conceitos, o museólogo discorrerá sobre a importância do diálogo entre o plano museológico e a Política Nacional de Museus, Legislação e documentos institucionais: ata de fundação, decreto de criação, estatuto e regimento interno, Códigos de ética do Conselho Internacional de Museus e do Conselho Federal de Museologia.
O profissional - Valdemar de Assis Lima é bacharel em Museologia, com habilitação em Museus de Arte e Museus de História, pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e pós-graduado em Arte Educação pela Escola de Belas Artes da UFBA. Participou da 10ª Comissão de Avaliação e Seleção para o edital de Apoio e Modernização de Museus do fundo Estadual de Cultura do Tocantins, em Palmas-TO. Coordenou o Núcleo de Arte e Educação da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural-BA. Atualmente é Técnico em assuntos culturais na função Museólogo do Departamento de Processos Museais do Instituto Brasileiro de Museus – Ibram.

fonte:

VIDA, ROSAS DO TEMPO / Vinicius Arnom


 Aconteceu no dia 05 de Novembro de 2011, na Livraria Martins Fontes, o lançamento do livro Vida - Rosas do Tempo de Vinicius Arnom (ex-aluno do curso Técnico em Museu), que contou com a presença e o carinho de amigos e familiares.


Trazendo a intensa fragrância poética das rosas do tempo, este livro instiga em suas páginas uma simplista necessidade de submergir nos significados implícitos ao âmago da vida. Estranhamento que pode ser transcrito no verso, não na contracapa.






'Vida, Rosas do Tempo' é a semente cultivada na infância do verão, florida na adolescente primavera ao apreciar o versar. Assim, como uma apaixonada rosa-louca, varia seus tons na inconstância do outono, anunciando a doçura de seu suculento néctar poético, permitindo no maturar do inverno o (re)colher para as reflexões e indagações mundanas. Então, como o rosar do viver, atraí o deliciar com as cores, sabores e o mel de suas flores. Sendo o único pesar, a falta de audição lírica das orelhas do livro para escutar os sussurros do provar de suas palavras.  


------

O livro está disponível na Livraria Martins Fontes, Livraria Asabeça e Livraria Cultura, todavia, pode ser adquirido diretamente com o autor no Mercado Livre no qual o exemplar já vem autografado.

Para maiores informações sobre o livro, o escritor e outras fotos do lançamento acesse viniciusarnom.com.br ou pelo entre em contato pelo email contato@viniciusarnom.com.br.


Abraços Poéticos!

Escavações em Conimbriga vão pôr a descoberto anfiteatro romano único no país

As escavações no anfiteatro da antiga cidade  romana de Conimbriga deverão começar em 2012/2013, no âmbito de uma intervenção  que vai pôr a descoberto este "edifício único no país" e "dos poucos" da  Península Ibérica. 



 

Com cerca de dois mil anos, o anfiteatro é "um caso único no país em  termos de estado de conservação" e a intervenção planeada pelo Museu Monográfico  de Conimbriga vai permitir visitar e conhecer o que, no mundo romano, era  um espaço com capacidade para 4500 a 5000 espectadores. "Acho que é o único edifício do género existente em Portugal que tem  condições de ser mostrado às pessoas", disse o diretor do Museu Monográfico  de Conimbriga, Virgílio Correia, à agência Lusa. 
Resolvido recentemente o "processo moroso" de aquisição de terrenos  contíguos ao perímetro visitável das Ruínas de Conimbriga, com uma área  de cerca de 8000 metros quadrados, o Museu passa a ser proprietário da totalidade  do anfiteatro, em cuja arena aconteciam os jogos de gladiadores. 
A intervenção, inserida numa candidatura ao programa PROVERE e cujo  concurso público de escolha da equipa projetista se encontra aberto, incide  na zona que liga as Ruínas de Conimbriga à aldeia de Condeixa-a-Velha (situada  no concelho de Condeixa-a-Nova) e deverá começar em 2012 ou 2013. 
O diretor do Museu pretende iniciar as escavações no anfiteatro "desde  logo", abrindo o espaço ao público durante os trabalhos, que serão desenvolvidos  a "longo prazo e em permanência". 
Parte do anfiteatro encontra-se debaixo de casas da aldeia e nesta estão  a descoberto e bem conservadas três entradas para o edifício romano.   Sondagens feitas nos últimos anos permitiram detetar outra entrada principal  no extremo oposto da construção e verificar o bom estado de conservação  do monumento, segundo o diretor do Museu. 
A intervenção de 1,5 milhões de euros vai permitir duplicar o circuito  de visita às Ruínas de Conimbriga, que passará a incluir ainda, além do  anfiteatro, a parte norte da casa dos repuxos e um viaduto. 
"Só temos 17% da área da cidade escavada, mas provavelmente nunca vai  haver um aumento espetacular da área escavada (...). Vale a pena ter o essencial  da cidade visível e visitável", disse Virgílio Correia. 
Construído num vale, e em forma de elipse, o monumento tem dimensões  de 90 por 60 metros e mais de 20 metros de altura. Virgílio Correia considera  que, depois da intervenção, poderá ser utilizado para outras finalidades,  nomeadamente espetáculos.  Os níveis originais do anfiteatro da cidade da antiga Lusitânia encontram-se  soterrados entre 3,5 a 4 metros abaixo dos níveis atuais do solo. 
Virgílio Correia prevê que esta requalificação vá aumentar o número  de visitantes a Conimbriga e alargar o período de permanência na zona, podendo  ser também "um motor de desenvolvimento" para a região e, nomeadamente,  para Condeixa-a-Velha, onde se prevê instalar uma entrada para o circuito  arqueológico. 

fonte:

Projeto prevê novos museus

Uma reunião entre o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), José do Nascimento Junior e a ministra de Estado da Cultura, Ana Holanda, marcada para hoje a tarde, discutirá a ampliação de museus na cidade. O projeto do Ibram, denominado como Esplanada dos Museus, prevê a construção de cinco novos espaços destinados a arte da capital federal. Durante o encontro, segundo a assessoria de comunicação do Ministério, os planejamentos necessários para torná-lo realidade serão analisados. Aspectos como a viabilidade, a necessidade e a verba para o projeto serão avaliados.


fonte:
http://www.maiscomunidade.com/conteudo/2008-05-19/brasilia/116519/PROJETO-PREVE-NOVOS-MUSEUS.pnhtml

Museu Olho Latino expõe em La Paz, Bolívia

Estampida 2011 é a mostra que acontece de 07 a 19 de novembro como resultado do Intercâmbio Cultural Bolívia – Brasil, promovido pelo Museu Olho Latino e pelo Colectivo de Grabado Boliviano, a ser realizada pela Fundación Simón I. Patiño no C+C Espaço, que é uma de suas galerias em seu Espaço Cultural em La Paz.
O Espaço Simón I. Patiño (ESIP) é um centro cultural e de formação que promove a criatividade, a pesquisa no âmbito das Artes Visuais, a Literatura, a Música, e as Ciências humanas, organizando atividades diversas.
O Museu Olho Latino está representado com vinte gravuras de grandes formatos dos artistas que compõe o setor de arte-educação, conhecido como Grupo Olho Latino. Este grupo é formado por 12 artistas residentes no interior do Estado de São Paulo, sendo a maioria ex-alunos da PUC-Campinas, licenciados no extinto curso de Educação Artística, nas décadas de 1980 e 90. São artistas com currículos expressivos, alguns possuem pós-graduação, participaram em mostras no exterior e já receberam premiações em salões de arte.
A representação brasileira, contando com a curadoria do prof. Dr. Paulo Cheida Sans, é composta pelos seguintes artistas: Alex Roch, Celina Carvalho, Cibele Marion Sisti, Elika Ito, Flávia Bresil Palhares, Lisa França, Maricel Fermoselli, Paulo Cheida Sans, Regiane Capp Couto Buccioli, Suely Arnaldo, Walcirlei Siqueira, Young Koh.
A representação de gravadores bolivianos está em fase de seleção, visto que foram abertas inscrições para participação que serão analisadas por uma comissão julgadora que indicará os representantes da gravura na Bolívia para participarem da mostra em conjunto com o Grupo Olho Latino.
No ano passado, fruto deste intercâmbio, aconteceu a mostra Estampa, na Sala de Exposição da Faculdade de Arquitetura da Universidad Mayor de San Andrés (UMSA), em La Paz, Bolívia. No início deste ano, o Museu Olho Latino apresentou em sua sede de exposições em Atibaia, SP, a mostra Grabados Bolivianos, expondo as obras doadas pelos artistas bolivianos ao acervo Olho Latino.
O início desse intercâmbio aconteceu há19 anos, na ocasião da primeira mostra de gravura latino-americana realizada pelo Centro de Promoción del Arte y la Cultura – CPAC – na Casa de Cultura de La Paz. Na época, a mostra contou com parte da coleção pessoal de gravuras de Paulo Cheida Sans.
Anos se passaram e hoje o intercâmbio se consolida com o Museu Olho Latino e o Colectivo de Grabado Boliviano, tendo como organizadora a artista boliviana, profa. Paola Rozo, que também participou da organização da mostra realizada em La Paz em 1992.
Para a mostra, os dois grupos de artistas apresentam gravuras em várias técnicas, como xilogravura, linogravura, serigrafia e gravura em metal. A temática é variada e o conjunto das gravuras revela uma poética de valorização da natureza e da vida. O objetivo é valorizar e difundir a arte da gravura dos dois países.
A mostra está aberta à visitação de 07 a 19 de novembro no C+C, anexo do Espaço Simón I. Patiño, à Av. Ecuador, 2503, no bairro cultural Sopocachi, La Paz, Bolívia.

Por: Luciene Sans - Assessoria de Imprensa Olho Latino

Serviço:
Exposição: Estampida 2011 – Bolívia - Brasil.
Expositores: Grupo Olho latino e Colectivo de Grabado Boliviano
Curadoria: Paulo Cheida Sans (Representação Brasileira) 
Período da mostra: 07 a 19 de novembro de 2011.
Local: Espaço C+C, anexo do Espaço Simón I. Patiño - La Paz - Bolívia.
Endereço: Av. Ecuador, 2503 – Bairro Sopocachi, La Paz, Bolívia.
Realização: Museu Olho Latino, Colectivo de Grabado Boliviano e Fundación Simón I. Patiño.

fonte:

Leilão de pratos arrecada verbas para museu em SP

Acontece nesta terça-feira (8) a 14º edição do Leilão de Pratos do Museu Lasar Segall. O evento em São Paulo coloca a venda 44 pratos criados por artistas renomados especialmente para serem leiloados. Na lista há trabalhos de nomes de projeção mundial como Nelson Leirner, José Bechara, Vik Muniz e Nuno Ramos.


Da esq. para a dir. - Peças de Cildo Meirelles, Jorge Macchi e Nelson Leirner
Da esq. para a dir. - Peças de Cildo Meirelles, Jorge Macchi e Nelson Leirner

Todos os pratos terão um lance inicial de R$ 1.000, com verba revertida para as atividades internas do museu. Entre as peças, destaca-se a obra criada por Cildo Meireles, que traz uma imagem das montanhas cariocas, celebrando a cidade natal do artista. Há ainda peças mais lúdicas como a criada por Nelson Leirner, com vários cachorros-quentes em relevo.
Em seus 13 anos, o Leilão de Pratos para Arte já contou com mais de 600 peças leiloadas, contando, em edições anteriores, com a colaboração de artistas de diferentes gerações, como Beatriz Milhazes, Tunga, Paulo Mendes da Rocha, Abraham Palatnik, Ferreira Gullar e Maria Bononi.
Serviço XIV Leilão de Pratos para a Arte
Data: 8 de novembro de 2011
Restaurante Trio - Rua Gomes de Carvalho 1749, Vila Olímpia
A partir das 20h30

fonte: