Listen to the text.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Centro de Referencia em Inteligencia Empresarial - Pra Frente Brasil!

Carissim@s amig@s!

AMANHÃ, sábado (12/11), começa a apresentação do Programa Conta Corrente
Especial para falar de empreendedorismo e inovação. Eu e o Ysmar Vianna
fomos entrevistados pelo George Vidor sobre como o Brasil deve se preparar
para estimular a inovação no Brasil.

Estamos num momento onde temos que escolher a forma de nos inserirmos no
século XXI. Como um país exportador de commodities ou de produtos
intensivos em conhecimento. Em 2000, os produtos básicos (commodities)
representavam apenas 20% das nossas exportações. Em 2009, estes produtos
representaram 45% do total de nossas exportações! Na outra ponta, os
produtos de alta tecnologia, que eram 8% das nossas exportações, caíram
para menos de 4%...

Claro que o Brasil tem uma vocação agrícola (temos a inteligência da
Embrapa, muita água e terras agricultáveis)e uma indústria diversificada e
competitiva. Não devemos abandonar isto! Mas podemos agregar valor a
nossos produtos e entrar em setores de alta tecnologia (biotecnologia,
tecnologias de informação e comunicação, aeroespacial) e intensivas em
criatividade (indústrias criativas). Pouquíssimos países podem fazer isto.
Os europeus, por exemplo, não podem. Só podem fazer alta tecnologia...

Por que nos contentar com o papel que o mundo nos reserva, de mero
exportador de commodities???

Veja o programa e mande suas perguntas no site da Globonews.

PROGRAMA CONTA CORRENTE ESPECIAL: Empreendedorismo e inovação

SÁBADO, 12/11, ÀS 14h30, com reprise às 20h30
SEGUNDA, 14/11, às 6h30


Aproveitem o fim de semana e o feriado para curtir a vida!

GRANDE ABRAÇO!!!!

Marcos Cavalcanti
Coordenador do CRIE - COPPE/UFRJ
(Centro de Referencia em Inteligencia Empresarial)



Complexo Juquery deve ter museu aberto ao público

Local contará com acervo do Museu Osório César e do Museu de Estudo do Cérebro, hoje fechados


SÃO PAULO - Além do projeto de lançar uma universidade nos 15 mil metros quadrados do Complexo Hospitalar do Juquery, em Franco da Rocha, o governo do Estado estuda criar no local parque e museus, usando os acervos do Museu Osório César e do Museu de Estudo do Cérebro, hoje fechados para o público.
O ministro Fernando Haddad (Educação), pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, e o secretário estadual Edson Aparecido (Desenvolvimento Metropolitano) vistoriaram hoje o complexo, onde pretendem construir uma universidade federal, resultado de parceria entre o Palácio do Planalto e o Palácio dos Bandeirantes.
O Museu Osório César, cujo nome presta uma homenagem ao psiquiatra paraibano que trabalhou por lá, tem mais de 8 mil obras de arte, entre telas e esculturas dos pacientes-artistas. Há trabalhos de Aurora Cursino dos Santos e Ubirajara Ferreira Braga, que acabam sendo exibidos apenas quando há solicitações de curadores para exposições em outros museus. Consta do acervo também a carta do pai da psicanálise, Sigmund Freud, ao fundador do complexo, o psiquiatra Francisco Franco da Rocha, na primeira metade do século 20.
Entre as peças de valor artístico, havia também um retrato de Osório César, feito por Tarsila do Amaral, de quem era próximo, mas que acabou se perdendo num incêndio em 2005 na biblioteca do local.
A ideia é abrir o acervo para visitação pública na casa que pertenceu a Franco da Rocha, que está entre os 12 prédios históricos do complexo.
No Museu de Estudo do Cérebro, há 14 mil lâminas com material cerebral e órgãos guardados em formol, retirados dos antigos pacientes do Juquery. O material é disponibilizado apenas para consulta de estudantes de medicina.
"O plano diretor do complexo já prevê o uso do espaço para educação, memória e cultura", afirmou Glalco Cyriaco, diretor do Complexo Hospitalar do Juquery. Hoje, o material todo pertence à Secretaria da Saúde e deverá ser repassado para outras pastas, como a da Cultura.

fonte:

Prêmio Pontos de Memória

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram),vinculado ao Ministério da Cultura, está com inscrições abertas até 27 de novembro para o Prêmio Pontos de Memória 2011. Trata-se de um concurso, cujo objetivo é selecionar e premiar 48 iniciativas dedicadas à construção de memória social e práticas relacionadas a museus, desenvolvidas por grupos, povos e comunidades em âmbito nacional e por comunidades de brasileiros no exterior.Para participar, os interessados poderão optar por uma das seguintes categorias:

“Ponto de memória no Brasil” é destinada a pessoas jurídicas, sem fins lucrativos. O projeto tem de objetivar atividades relacionadas à memória social, valorização, pesquisa, preservação, comunicação e sustentabilidade dos bens culturais de natureza material e imaterial de comunidades e localidades que tenham como consequência o respeito à diversidade cultural, com atuação comprovada de no mínimo três anos.

“Ponto de memória no exterior” visa iniciativas de pessoas físicas que explorem a memória social, caracterizadas pelo envolvimento e participação de comunidades de brasileiros no exterior.

A premiação total será de R$ 1,5 milhão, sendo 45 prêmios para a categoria “Pontos de memória no Brasil” no valor de R$ 30 mil cada e três prêmios de R$ 50 mil para cada selecionado em “Pontos de memória no exterior”.

Mais informações e edital: www.museus.gov.br

Agência FAPESP