Listen to the text.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Seminário incentiva a população a conhecer e amar Porto Velho

A frase do celebre escritor Antoine de Saint-Exupéry, ‘você ama aquilo que conhece’, se destacou no Seminário ‘Conheça Porto Velho: Ame e Preserve seu Patrimônio Histórico-Cultural’ que iniciou na manhã desta segunda feira, 28, no auditório da Biblioteca Francisco Meireles e irá até o dia 30 de novembro.

 Pessoas ligadas à cultura e historiadores, além de alunos de escolas municipais e o músico regional Zezinho Maranhão participaram da abertura da programação que tratará dos temas: “O que é Patrimônio Histórico-Cultural”, “Iconografia de Porto Velho”, “A Oralidade como Patrimônio Histórico Imaterial”, “A Cultura na Face da Lei”, “A Arte no Patrimônio Histórico”, “Patrimônio Histórico Material e Imaterial” e “Ações da Municipalidade para a preservação dos Bens Históricos”. 

O seminário é uma das atividades do projeto ‘Ame e Preserve seu Patrimônio Histórico-Cultural’, que já promoveu oficinas em sete escolas na cidade e também nas comunidades do Baixo Madeira em Nazaré, Calama entre outros.


Participaram da mesa de abertura do evento representando o prefeito Roberto Sobrinho, o presidente da Fundação Cultural Iaripuna, Altair Santos; a presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Rondônia, Yêdda Pinheiro Borzacov; Dante Ribeiro da Fonseca da Universidade Federal de Rondônia; Willian Martins da Associação de Cultura Rio Madeira; Yeda Baleeiro do Conselho municipal de Educação; equipe técnica da Iaripuna, Carlos Macedo Dias e o vereador Sid Orleans.


Altair Santos, presidente da Fundação Cultural Iaripuna, disse que o seminário é aberto a todos e tem o intuito de chamar a atenção para o conhecimento aprofundado e valorização do patrimônio Histórico quer seja material ou imaterial.  “Quanto mais eu procuro saber sobre esta cidade mais eu acho. Em nome do prefeito Roberto Sobrinho quero dizer que temos um patrimônio muito grande e a prefeitura está promovendo este bem. Buscamos ser um instrumento e sensibilizar a população a gostar e cuidar do nosso patrimônio. Dessas discussões obteremos um resultado prático que servirá de base para os nossos trabalhos”, explicou.


 Yeda Baleeiro, conselheira municipal de Educação, conta da importância de valorizar o patrimônio imaterial em lembrar do da cultura e imaginário. “Na minha infância eu pulava nas bolas de borrachas produzidas e meu pai tinha um barco pesqueiro na da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, eu gostava de brincar ali e me preocupa o crescimento populacional que estamos tendo, e é muito importante que as pessoas que vem a Porto Velho para trabalhar, aprendam a amar e respeitar o nosso município. A cultura do nosso povo deve fazer parte da nossa vida”, comenta Yeda.


Logo após a abertura o professor historiador e geógrafo, Abnael Machado de Lima fez a primeira palestra tratando sobre ‘Origem da Vila e do Município de Porto Velho’. “A origem da cidade de Porto Velho foi às margens do Rio Madeira, aonde hoje é a estrada de ferro, em 1907”, frizou.

Banco de dados
Segundo Yêdda Pinheiro Borzacov, historiadora e presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Rondônia foi efetuado um registro de todos os bens históricos materiais e imateriais com suas características, uma semente para um futuro banco de dados em que qualquer um poderá ter acesso às informações.

“Nosso objetivo principal é oferecer à comunidade e estudiosos fontes para suas pesquisas. Por exemplo, pegamos a Estrada de Ferro Madeira Mamoré, fizemos um levantamento sobre o leito férreo, as edificações existentes desde o início até o Abunã. Também tem outro fato interessante que na catedral Sagrado Coração de Jesus, no Centro da cidade, entre as duas torres, existe a peça mais antiga do Estado de Rondônia, que é do século dezessete, um coração, feito na França e comprado pelo padre da família do seringalista Geraldo Peres”, disse a historiadora.

Catálogo


Será lançado em fevereiro de 2012, um catálogo pela Fundação Cultural Iaripuna e o Instituto de Estudos e Pesquisas Doutor Ari Tupinambá Pena Pinheiro com apoio técnico do Instituto Histórico e geográfico de Rondônia. O catálogo será a ultima ação do projeto ‘Ame e Preserve seu Patrimônio Histórico-Cultural’ e lembrará o centenário da Estrada de Ferro Madeira Mamoré e contará com o acervo da mesma.

Por: Rebeca Barca
Fotos: Frank Néry

fonte:    http://www.onortao.com.br/ler.asp?id=49540

Cedem recebe acervo de militares cassados em 1964

http://www.cedem.reitoria.unesp.br/imagens/boletim/topo.jpg
Notícias Cedem/Unesp
29/11//2011

 
Cedem recebe acervo de militares cassados em 1964 

A ADNAM - Associação Democrática e Nacionalista dos Militares (RJ), transferiu provisoriamente seu acervo ao Cedem. Formada logo após o golpe civil-militar de 1964, a ADNAN teve origem em outra entidade, a AMIC - Associação dos Militares Cassados, porém aglutinando boa parte dos militares nacionalistas e de esquerda.
Entre as muitas associações de militares que surgiram no período, a maioria com objetivos corporativos, ela se destacou pelo grau de organização e compromisso político em relação ao restabelecimento da democracia e a um projeto de nação.
 
Mais Informações no site: www.cedem.unesp.br 

Ibram capacita museus para 2014

Planejar, implantar, organizar e administrar são os verbos que serão conjugados a partir desta quarta (30) até sexta-feira (2) durante encontro em Natal entre representante do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e gestores de instituições museológicas do Rio Grande do Norte. Vinculado ao Ministério da Cultura, o Ibram pretende incrementar o circuito de Museus no RN através de oficinas gratuitas de capacitação já visando, inclusive, o período da Copa do Mundo 2014.
João Maria AlvesMemorial Aluízio Alves terá representante no encontro de museusMemorial Aluízio Alves terá representante no encontro de museus

Segundo o articulador local, Hélio de Oliveira, responsável pelo setor de museus da Fundação José Augusto, a meta do MinC é impulsionar os museus potiguares para que se tornem mais atrativos até o campeonato mundial de futebol. "Hoje temos cerca de 65 museus no RN cadastrados no Guia nacional, destes, dez estão fechados por uma série de motivos (reforma ou falta de mão de obra qualificada). Ainda temos mais três ou quatro que deverão constar na próxima edição do Guia", contabiliza Oliveira, informando que as atividades são voltadas principalmente aos profissionais que atuam na área. "Mas o encontro está aberto a qualquer pessoa interessada na dinâmica museológica", avisa.

Com inscrições gratuitas e vagas limitadas, os interessados em participar da oficina "Plano Museológico: implantação, gestão e organização de Museus", ministrada pelo museólogo carioca Rafael Azevedo Fontenelle Gomes, devem entrar em contato com a organização através do e-mail vilafelizhelio@ig.com.br ou por telefone             (84) 3232-6371      . As inscrições também podem ser feitas diretamente no Museu Café Filho (rua da Conceição, 601, Cidade Alta) com o próprio Hélio ou Graça, no setor de museus da FJA.

A oficina acontece pela manhã e à tarde no Memorial Câmara Cascudo, centro de Natal, e também inclui módulo sobre funcionamento de editais destinados a museus. A promoção da oficina é do Ibram/MinC em parceria com o Centro de Documentação Cultural Eloy de Souza e Fundação José Augusto.

Entre as instituições com participação confirmada figura o Memorial Aluízio Alves. Criado em 2005 com o intuito de reunir o vasto acervo alusivo à memória do jornalista e político Aluízio Alves como objetos pessoais, documentos e fotografias, o Memorial será representado pela coordenadora Rosemary Lins Barreto. "Nossa intenção é se alinhar ao programa nacional de museus desenvolvido pelo Ibram. Queremos nos inteirar sobre o funcionamento dos editais para o Memorial entrar nesse circuito de maneira definitiva", disse a coordenadora.

De acordo com Rose, a área de  museus é pouco prestigiada pelo público norte-riograndense. Ela acredita que a oficina poderá abrir novos horizontes capazes de potencializar o fluxo de visitantes. "Há uma tendência de modernizar a forma como o acervo é disponibilizado ao público, e precisamos nos manter afinados com o anda acontecendo no restante do Brasil", completou. O Memorial Aluízio Alves funciona na rua Raimundo Chaves, em Lagoa Nova, e a visitação pode ser agendada pelo 3234-3422.

MUSEU CAFÉ FILHO 

O sobrado onde trabalhou o ex-presidente Café Filho, no centro de Natal, construído entre 1816 e 1820 e transformado em museu em 1979, está fechado para reforma e a previsão de reabertura é no primeiro semestre do próximo ano. "O atual projeto de restauração prevê intervenções arquitetônicas que necessitam de aprovação do Iphan, como adequação na estrutura para a climatização do espaço. São mudanças que precisam de um cuidado especial para não descaracterizar o imóvel", adiantou Hélio de Oliveira, interessado em reinaugurar o espaço junto com seminário de atualização do Sistema de Museus.
Alex RégisApesar de fechado para reforma, o Museu Café Filho(e) recebe inscrições para as oficinas do Ibram, que acontecem no auditório do Memorial Câmara CascudoApesar de fechado para reforma, o Museu Café Filho(e) recebe inscrições para as oficinas do Ibram, que acontecem no auditório do Memorial Câmara Cascudo

Tombado e restaurado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o sobrado onde funciona o Museu café Filho abriga vasto acervo formado por documentos, móveis, biblioteca particular, objetos pessoais e fotografias que remonta a trajetória política do natalense João Fernandes Campos Café Filho, vice-presidente na chapa de Getúlio Vargas em 1950.

Serviço:

Oficina "Plano Museológico: implantação, gestão e organização de Museus", de quarta (30) a sexta-feira (2), pela manhã e à tarde, no Memorial Câmara Cascudo - centro de Natal. Inscrições gratuitas no Museu Café Filho (rua da Conceição, 601, Cidade Alta) ou através do e-mail vilafelizhelio@ig.com.br. Informações pelo telefone             (84) 3232-6371      .

fonte:
http://tribunadonorte.com.br/noticia/ibram-capacita-museus-para-2014/204131

As raízes brasileiras que vieram da África ....Entende-se por Griô aquela,,,

Nesta terça-feira (29), a partir das 20 horas, o Arquivo Público e Histórico de Rio Claro recebe a Dona Divanilde de Paula (Diva), funcionária pública aposentada e presidente do Conselho Municipal da Comunidade Negra, para a 4ª Conversa Griô. Estão convidadas a participar pessoas interessadas em uma modalidade de aprendizagem da vida que foi denominada de Conversa Griô.

Arquivo sedia 4ª Conversa Griô nesta terça-feira

Divanilde de Paula, Dona Diva, participa da 4ª Conversa Griô do Arquivo Público
Divanilde de Paula, Dona Diva, participa da 4ª Conversa Griô do Arquivo Público
Divulgação



A proposta desse encontro é aproximar a comunidade rio-clarense de uma história que não está escrita nos livros, pois está apoiada na tradição oral.

A palavra griot é francesa, e designa os griôs como depositários de saberes e práticas de tradições negro-africanas.

Entende-se por Griô aquela pessoa que, pela experiência vivida na família e na comunidade, desempenha o papel de agente cultural, transmitindo oralmente valores, costumes e tradições aos seus descendentes e ao grupo, constituindo um elemento central na cultura afro-brasileira. São personagens presentes na diversidade étnico-cultural que nos formou enquanto nação.

As raízes brasileiras que vieram da África estão presentes em quase tudo que é vivenciado hoje. Muitas dessas presenças foram transmitidas oralmente e incorporadas à cultura afro-brasileira.

fonte:
http://jornalcidade.uol.com.br/rioclaro/intervalo/intervalo/84431-Arquivo-sedia-4-Conversa-Grio-nesta-terca-feira

O Ecomuseu da Alsácia é aberto ao publico... - . Ecomuseu de Ungersheim

O Ecomuseu da Alsácia é aberto ao publico desde 1984 e ja recebeu mais de 6,5 milhões de visitantes. Um gande museu vivo e o maior museu a céu aberto da França e um dos mais ricos e mais prestigiosos da Europa.






O povoado alsaciano foi reconstituído e reune hoje mais de 70 casas e prédios na zona rural de Alsácia, graças ao movimento de reconstituição dos apaixonados que salvaram o povoado da demolição. Casas, fazendas, ateliês de artesãos, estação, capela, moinho, escola tudo estava pronto para ser demolido...o mais antigo prédio data da época da descoberta da América por Cristóvão! 
visite o site: www.ecomusee-alsace.fr
os artesãos ▬
o povoado que faz vivo o Ecomuseu da Alsácia preserva o saber tradicional e quase extinto hoje, você encontrará três beneficentes que representam os antigos fabricantes de potes, carruagens e ferros em ateliês. Eles recebem os visitantes e compartilham os saberes tradicionais explicando detalhadamente e trabalhando a argila, a madeira e o metal, sem esquecer o mescanismo que faziam funcionar em épocas passadas os veiculos antigos, tratores etc...

Uma destilaria emana os perfumes de flores, frutos e outras ervas em seu alambique. O ateliê de tecidos ensina a arte da criação e o apicultor fará você descobrir os sabores do mel.

sabores e cores°°°░░
A casa dos sabores e das cores com agradáveis odores enchem as narinas e atiçam nossa curiosidade, a dona da casa prepara receitas tradicionais a base de ingredientes da estação. Uma iniciação a cozinha alsaciana de seus ancestrais para os grandes e pequenos.

Além de todos esses ateliês podemos visitar ainda a escola com a presença dos beneficentes vestidos como no século XX, conhecer a vida dos camponeses, fazendeiros, e pescadores de outrora.
 
 
fonte:
http://naramazonie.blogspot.com/2011/11/o-ecomuseu-de-ungersheim.html

Secretaria da Cultura firma parceria com Instituto Brasileiro de Museus - 28/11/2011 12:08

Para aprimorar sua atuação na área de museus, a Secretaria de Estado da Cultura firmou parceria com o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). Os espaços museológicos paranaenses serão inseridos no Cadastro Nacional de Museus, integrando e potencializando ações conjuntas. O termo inclui um mapeamento museológico, com a aplicação de questionário de cadastramento fornecido pelo Ibram em mais de 300 unidades museológicas distribuídas pelo Paraná.


O termo de cooperação técnica foi assinado em Brasília, em 18 de novembro, e vai consolidar e integrar políticas públicas nas áreas de patrimônio cultural, memória social e museus. Participaram da reunião o secretário da Cultura do Paraná, Paulino Viapiana, a coordenadora do Sistema Estadual de Museus, Christine Baptista, o presidente do Ibram, José do Nascimento Júnior, a coordenadora-geral de Sistemas de Informação Museal do Ibram, Rose Moreira de Miranda, e a assessora da Coordenação do Sistema Estadual de Museus, Karina Muniz Viana.
 
fonte:
http://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=66681&tit=Secretaria-da-Cultura-firma-parceria-com-Instituto-Brasileiro-de-Museus