terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Economia criativa é destaque no Sarau du Brown, em Salvador

 Salvador - A economia criativa foi destaque no primeiro Sarau du Brown de 2012, que aconteceu neste domingo (15), no Museu du Ritmo, na capital baiana. Além da música comandada por Carlinhos Brown, o Sebrae na Bahia promoveu ações nos setores da gastronomia, moda e artesanato.

O diretor-superintendente do Sebrae na Bahia, Edival Passos, visitou o Sarau e ressaltou a importância de se promover a economia criativa. “Essa parceria complementa as atividades desenvolvidas pelo Sebrae para favorecer a cultura baiana e abrir perspectivas de mercado aos pequenos negócios”. Para o diretor-técnico do Sebrae no estado, Lauro Ramos, o convênio é uma forma de expandir as atividades da instituição. “Queremos avançar ainda mais na economia criativa para que haja uma ampliação da garantia de mercado, inovação, gestão e qualificação do nosso público alvo”, afirmou.

“Nós buscamos a interação entre o artesanato, a cultura, o turismo e a produção associada. Trouxemos outros produtos da economia criativa para agregar e enriquecer o Sarau du Brown”, disse o supervisor da área de Economia Criativa do Sebrae na Bahia, José Élio Souza.

No Sarau du Brown, o Sebrae na Bahia firmou parcerias com outras instituições, como o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), que promoveu um desfile de moda na abertura da festa. O estilista baiano Vinícius Cerqueira apresentou sua coleção Summer Lights Remixed. Recém-cadastrado como Empreendedor Individual, ele falou sobre a oportunidade proporcionada pelo evento: “A recepção foi bacana e a nossa ideia é expandir a marca Vinícius Cerqueira para o público consumidor”, comentou.

Uma parceria do Sebrae com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel Bahia) permitiu a exposição, venda e degustação de produtos da culinária baiana. Entre os itens oferecidos, estavam o doce de leite de cabra, o doce de umbu e a cachaça Abaíra, fornecidos pela RedeMoinho – Cooperativa de Comércio Justo e Solidário, e o abará e caldo de sururu, fornecidos pela empresária Mary Menezes, do restaurante Recanto Mary Mar. “Todos estão gostando. Essa é mais uma oportunidade que o Sebrae me deu e que está me ajudando muito”, comemorou Mary.

Em parceria com o Instituto Mauá, o Sebrae na Bahia também promoveu o artesanato. O segmento contou com 11 estandes de exposição e comercialização de produtos, compostos por empreendedores individuais, artesãos e representantes de comunidades ligadas ao Instituto Mauá. A artesã Maria das Graças Gomes vendeu mais do que esperava. Ela faz bolsas, sandálias e porta-moedas, usando tecidos e palha. “Eu pego materiais que iriam para o lixo e reaproveito, fazendo um trabalho que valoriza a sustentabilidade”, destacou. A empreendedora também está satisfeita com a participação do Sebrae: "A instituição nos apoia, incentiva e dá orientação para que façamos o melhor e estejamos inseridos no mercado”.

Capacitação
Em outra ação, o Sebrae na Bahia sensibilizou ambulantes que atuam no entorno do Museu du Ritmo para uma capacitação nessa segunda-feira (16). “A nossa intenção é fazer um mapeamento desses ambulantes e promover um alinhamento cultural para que eles entendam e participem de todo o contexto que envolve o Museu du Ritmo”, destacou a supervisora dos projetos de Economia Criativa do Sebrae na Bahia, Luciana Santana.

O primeiro Sarau do Brown teve a abertura comandada pelas bandas Didá e Lateral Elétrica, além das participações especiais de Sandra de Sá, Luciana Mello e Margareth Menezes. Atores da peça Alugo Minha Língua, de Fernando Guerreiro, também se apresentaram. O próximo evento acontece no dia 29 de janeiro, às 18h, no Museu du Ritmo. As ações de economia criativa continuam até o último Sarau, no dia 25 de fevereiro.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias Bahia: (71) 3444-6808 / 6813 / 6815
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
www.ba.agenciasebrae.com.br
www.twitter.com/sebraebahia
www.facebook.com/sebraebahia

Inscrições para Semana Nacional de Museus seguem até o fim do mês

Estão abertas até o dia 31 de janeiro as inscrições para a 10ª Semana de Museus. A temporada de eventos é promovida pelo Ibram/MinC em parceria com os museus brasileiros, em comemoração ao Dia Internacional de Museus (18 de maio), e será realizada entre os dias 14 e 20 de maio.



Em 2012, terá como tema “Museus em um Mundo em Transformação – novos desafios, novas inspirações”, escolhido pelo Conselho Internacional de Museologia (ICOM).

Seminários, exposições, oficinas, espetáculos musicais, de teatro e de dança, mesas-redondas, visitas guiadas e exibições de filmes são alguns exemplos de ações que vêm sendo realizadas pelas instituições participantes a cada edição.

Podem participar museus e outras entidades culturais. O Ibram espera um novo recorde de instituições participantes e eventos inscritos. Em 2011 foram mais de 3 mil atividades em 994 instituições de todo o país.

As inscrições podem ser feitas pelo site do Ibram (http://eventos.museus.gov.br/). A instituição que tiver dúvidas pode entrar em contato pelo email cpgii@museus.gov.br ou pelos telefones (61) 3521-4122 ou 3521-4135.
 
fonte:
 

Museu Casa Alphonsus de Guimaraens - Mariana

A idéia se concretizou quando, em 1975, o Governo do Estado de Minas Gerais adquiriu a casa do poeta para abrigar o museu. A casa foi restaurada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG) entre 1976 e 1979.

A criação de um museu em Mariana que reunisse o acervo do poeta Alphonsus de Guimaraens surgiu como proposta de sua família em 1971.



Inaugurado em 1984, o museu foi conceituado como uma instituição cultural voltada para o estudo, exposição e divulgação da vida e obra de Alphonsus de Guimaraens, fixando-se como um centro de pesquisas sobre a literatura mineira. Mas à época, as idéias que nortearam o projeto de implantação não chegaram a se concretizar plenamente.

Em 1999 a Superintendência de Museus entrou em ação com um programa de reestruturação do museu – estabelecendo uma parceria com a Associação Acervos Literários de Mariana, formalizada por meio de convênio de cooperação técnica vigente e constante diálogo com a comunidade local.
O Prédio

Situado na Rua Direita, o prédio é um belo exemplar da arquitetura civil urbana do fim do século XVII até o princípio do XIX.
Foi nesse sobrado, alugado em 1913, que Alphonsus de Guimaraens residiu com sua família até a sua morte, em 1921. No térreo, que na época era ocupado para fins comerciais, Alphonsus instalou seu escritório. O segundo piso foi reservado para a vida familiar, com cômodos ocupados pela sala de visitas, sala de refeições, quartos de dormir e cozinha.

Clique aqui e saiba mais sobre Alphonsus de Guimaraens

O acervo
Constituído por doações da família, o acervo do Museu Casa Alphonsus de Guimaraens é composto predominantemente por objetos de uso pessoal, mobiliário, equipamentos domésticos e detalhes que retratam a vida do poeta, escritor e juiz mineiro e que testemunham suas relações familiares.
Destaca-se no Museu um valioso acervo textual, com correspondências originais de poemas, fotografias, recortes de jornais e obras raras, estimando-se 1.500 documentos e 240 livros.O espaço também oferece exposição permanente do acervo de Alphonsus de Guimaraens, com visitas monitoradas, e programação de exposições temporárias, renovadas trimestralmente.

Ação Educativa
A instituição oferece uma ação educativa museal de qualidade, voltada à inclusão sócio-cultural de alunos de escolas das redes de ensino público e privado, que visa promover maior aproximação entre professores e estudantes, além de estimular a sociedade a identificar, preservar e valorizar o patrimônio cultural. As visitas são monitoradas pela equipe da Superintendência de Museus e Artes Visuais e devem ser agendadas com antecedência.

Digitalização do acervo
O projeto de digitalização tem como objetivo disponibilizar, em meio digital, a totalidade do acervo do Museu, constituído de documentos originais, correspondências e textos de Alphonsus de Guimaraens. O projeto contou com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) em 2005 e da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Mariana, em 2006.

Visitação
Museu Casa Alphonsus de Guimaraens
Rua Direita, 35, Mariana-MG - CEP  35420-000
Tel.: (31) 3557-3259
E-mail: museualphonsusguimaraes@cultura.mg.gov.br
Horário de visitação: o museu está temporariamente fechado para reformas. (Apesar disso, o Museu continua desenvolvendo diversas ações)
Distância: Belo Horizonte - Mariana: 120,4 km

http://www2.cultura.mg.gov.br/