Listen to the text.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Garoto foi premiado pelo American Museum of Natural History

Menino de 13 anos revoluciona método de captação de energia solar

Difícil de acreditar? Com apenas 13 anos, o nova-iorquino Aidan Dwyer desbancou os mais renomados cientistas, de todo o mundo, que dedicam seus dias a pesquisas a respeito de métodos mais eficientes de captação de energia solar. Como? Estudante da sétima série do Ensino Fundamental, o menino construiu, sozinho, uma estrutura que capta 20% mais energia solar do que os atuais painéis fotovoltaicos.





E o melhor: para chegar à nova descoberta, o menino não realizou nenhuma pesquisa exorbitante. Apenas, exercitou o hábito de observar a natureza e aprender com sua sabedoria. Isso porque o projeto de Aidan para captar energia solar imita a estrutura de uma árvore – com galhos e folhas aparentemente irregulares, mas que cumprem muito bem sua função de coletar luz solar para realizar fotossíntese e, assim, produzir energia.

Depois de muita observação – e, claro, pesquisas na internet –, Aidan constatou que, de fato, uma “árvore metálica”, que possuísse placas fotovoltaicas em diferentes níveis (entenda melhor na foto, ao lado) captava muito mais energia do que um painel fotovoltaico plano, como os usados atualmente. Depois disso, foi “só” construir a estrutura que ele idealizou – mais uma vez, com a ajuda da web.
 O projeto deu tão certo que Aidan virou celebridade no mundo científico: o garoto foi premiado pelo American Museum of Natural History, dos EUA, e nesta semana participou da Conferência World Future Energy, nos Emirados Árabes, ao lado de importantes nomes, como o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Alguém ainda duvida da genialidade do menino?

Imagens: Divulgação/American Museum of Natural History

fonte:
http://super.abril.com.br/blogs/planeta/menino-de-13-anos-revoluciona-metodo-de-captacao-de-energia-solar/

Secretário de Cultura pede apoio do Estado para projetos de 2012

O secretário municipal de Cultura, Elson Reis, esteve reunido, ontem em São Paulo, com Claudinéli Moreira Ramos, coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico, quando foi apresentado o Projeto Complexo Museológico de Bauru e discutida a possibilidade de parceria técnica em Projeto Museográfico para a Estação Paulista. Em outra demanda, a Virada Cultural em Bauru depende de aprovação pelo governo estadual.

Segundo ele, a intenção deste encontro foi pedir orientações para elaboração dos projetos museológico e museográfico. Uma das solicitações é financeira. “A reforma da estação paulista vai abrigar dois museus, o Museu da Imagem e do Som (MIS) e o museu histórico municipal. Nisso, temos que ter projetos museológico e museográfico. Pedimos orientações a respeito do que poderia ser solicitado para que os projetos recebam apoio. Uma das possibilidades será pedir financiamento do Estado”, apontou.

A equipe ainda se reuniu com André Sturn, diretor executivo do MIS (SP), para tratar de questões relativas a suporte técnico e cursos voltados a funcionários, nos Museus de Bauru. Foi ainda solicitado auxílio para elaboração de projeto de recuperação da Casa dos Pioneiros.

O secretário também esteve com a responsável pelos projeto de difusão cultural, entre eles o da Virada Cultural. A prefeitura já encaminhou solicitação manifestando a intenção do município em receber novamente o evento. A decisão sai este mês.


fonte:
http://www.jcnet.com.br/detalhe_politica.php?codigo=220327