Listen to the text.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Funarte abre edital para seleção de projetos em homenagem a Luiz Gonzaga

O edital que regulamenta o Prêmio Centenário de Luiz Gonzaga foi publicado nesta quinta-feira, 2, no Diário Oficial da União (seção 3, páginas 13 e 14).


O concurso será desenvolvido pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), vinculada ao Ministério da Cultura, e as inscrições estarão abertas até 19 de março. Aos selecionados serão concedidos 20 prêmios com valores brutos variados, sendo 12 prêmios de R$ 35 mil; cinco prêmios de R$ 50 mil; e três prêmios de R$ 100 mil, totalizando R$ 970 mil.

Podem participar do processo seletivo pessoas físicas (produtores, músicos ou representantes de grupos musicais) e pessoas jurídicas (empresas ou instituições privadas, com ou sem fins lucrativos, de natureza artística e/ou cultural). O concurso será realizado em duas etapas, que abrangem a triagem dos projetos inscritos e, em seguida, a avaliação das propostas habilitadas durante a triagem. A comissão de seleção será composta por cinco profissionais de larga experiência na área da música. Todos os projetos que receberem premiação terão de ser realizados até o mês de dezembro deste ano.

Seleção das propostas
O objetivo do concurso é selecionar projetos de criação, produção e/ou difusão de obras, atividades ou produtos de cunho musical que homenageiem o músico e compositor Luiz Gonzaga (o “Rei do Baião”), no centenário de seu nascimento, que será comemorado durante todo o ano de 2012. Nesse contexto, os projetos a serem inscritos poderão ser composições, arranjos, espetáculos, exposições, obras audiovisuais, cancioneiros, livros, discos, sites, revistas, pesquisas, seminários, ciclos de debates, palestras e oficinas.

De acordo com o regulamento, não só as propostas dedicadas à obra do compositor Luiz Gonzaga poderão ser inscritas, mas também aquelas que se referirem ao seu universo cultural e artístico, englobando os gêneros musicais que consagraram o artista pernambucano, como o baião, o xote e o xaxado. Nesse universo também figuram a sanfona e os sanfoneiros; a cena cultural dos bailes, forrós e feiras do Nordeste, além de outros.

A ficha de inscrição, os documentos e outros materiais solicitados dentro do edital deverão ser enviados, até 19 de março, pelos Correios, em um único envelope, por meio de carta registrada e Aviso de Recebimento para o seguinte endereço:

Prêmio Centenário de Luiz Gonzaga
Centro de Música/Funarte
Rua da Imprensa, nº 16, sala 1.308
CEP: 20030-120 – Rio de Janeiro/RJ
Luiz Gonzaga
Nascido na cidade de Exu, em Pernambuco, no dia 13 de dezembro de 1912, Luiz Gonzaga, conhecido como o “Rei do Baião”, “Gonzagão” ou “Velho Lua”, foi um artista completo da Música Popular Brasileira. Cantor, compositor, sanfoneiro, criou dezenas de músicas de sucesso, que nunca foram esquecidas ao longo do tempo, como Asa Branca, Assum Preto, Baião, realizadas em parceria com Humberto Teixeira; A Dança da Moda, Cintura Fina, ambas criadas com Zé Dantas; Juazeiro e tantas outras produções que marcaram a sua carreira.

Além da sanfona, a zabumba, o triângulo e as vestes de cangaceiro também foram características do trabalho de Luiz Gonzaga, que por onde se apresentava, levava a alegria de suas músicas, que tanto ajudaram a difundir, pelo restante do país, os sons musicais do Nordeste e a realidade de toda a Região. O compositor faleceu no dia 2 de agosto de 1989.

Acesse a página da Funarte
Leia aqui o edital
por Ascom-Minc

USP tem pós-graduação em Têxtil e Moda



Desde 2005 a Escola de Artes, Ciências e Humanidades – EACH da Universidade de São Paulo – USP tem o curso Têxtil e Moda, antes chamado de Tecnologia têxtil da indumentária. Em março de 2011, teve início o curso de Pós-graduação em Têxtil e Moda.

Com duração de 2 a 4 anos, o curso pretende formar profissionais capacitados tanto em criação quanto na parte de tecnologia. São duas linhas de pesquisa: Processos e Materiais Têxteis, que abrange questões de tecnologia, gestão e inovação; eProjetos em Têxtil e Moda, que engloba design, moda, arte e, eventualmente, comunicação e até sociologia.

Segundo a professora Júlia Baruque, que coordena o programa acadêmico do projeto, o curso foi criado devido à grande necessidade de profissionais especializados, professores e pesquisadores sobre o tema.




Predio da Pós-graduação em Têxtil e Moda em São Paulo.


fonte
babel das artes

Museu do Cacau ganhará nova vida


O Museu do Cacau, que conta a história da cacauicultura e do desenvolvimento do sul da Bahia, será transformado num espaço para exposição de produtos da agricultura baiana premiados internacionalmente. O museu fica na Cidade Baixa, em Salvador.

De acordo com a Secretaria Estadual de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária, as obras no local devem ser concluídas em 2014, incorporando-se aos equipamentos para a Copa do Mundo em Salvador.

Com as instalações ricas em madeira jacarandá, o Museu do Cacau possui um auditório espaçoso, que será reformado para receber eventos importantes, ampliando as opções para o turismo de eventos na capital.

Os turistas que desembarcam no porto de Salvador e a população em geral, incluindo os estudantes, terão a opção de conhecer os caminhos do cacau, desde a planta até o chocolate.
Terão oportunidade ainda de conhecer os produtos premiados da agricultura da Bahia, como o café, a cachaça, charutos, vinhos e espumantes, que poderão degustar e adquirir.

fonte:

Instituto Lula divulga nota sobre o Memorial da Democracia

O Memorial da Democracia será um museu aberto a toda a população, com um formato de apresentação multimídia e interativo. Mostrará a história da luta pela democracia em nosso país. Será construído e mantido pelo Instituto Lula, em terreno cedido pela Prefeitura Municipal de São Paulo nas proximidades da Estação da Luz, seguindo desenho institucional a ser definido entre poder público e a entidade responsável pela iniciativa.

O Memorial da Democracia difundirá e dará visibilidade pública à cultura política democrática. A memória histórica constitui um precioso recurso à disposição de todos os cidadãos interessados em contribuir para a consolidação e fortalecimento da vida democrática. A longa caminhada que interligou gerações sucessivas na construção de um Brasil livre, soberano e independente ainda é pouco conhecida por nosso povo, sobretudo pelos jovens.

Zumbi dos Palmares, Tiradentes, Frei Caneca, o advento republicano, Canudos, a resistência durante as duas ditaduras do século 20, as grandes campanhas cívicas do Abolicionismo, Petróleo, Anistia, liberdade sindical, Diretas Já, Constituinte de 1988, Impeachment e a luta pela terra, entre muitos outros, são elos de um processo sem fim, que passa pelo Brasil de hoje e se projeta num futuro de crescente valorização dos ideais de cidadania, pluralismo, solidariedade, tolerância, equidade, justiça social e não-violência.

O Memorial da Democracia colocará à disposição da sociedade brasileira e também aos turistas de outros países todo o acervo documental referente aos oito anos de mandato do Presidente Lula, com objetividade historiográfica e rigor museológico, sem nenhuma concessão a enfoques maniqueístas ou partidarizados. Além disso, propiciará instrumentos para distintos programas de coleta e sistematização de depoimentos sobre a história mais recente da reconstrução democrática no Brasil.

O acervo documental será aberto à visitação pública por intermédio de equipamentos digitais incorporando moderna elaboração museológica. Com variados recursos de interatividade, será oferecida aos visitantes uma educativa síntese sobre a caminhada secular do povo brasileiro rumo à democracia, conjugando entretenimento, enriquecimento cultural e ampliação do nível de informação e consciência cidadã. Ao mesmo tempo, será possível percorrer virtualmente todas as exposições e acessar documentos, fotos e filmes através do sítio internet do Memorial.

Além dos espaços expositivos, o projeto inicial também prevê a estruturação de um Centro de Pesquisa e Documentação e uma área de cursos rápidos sobre variados temas da educação democrática.

O Instituto Lula assumirá todos os custos da construção de um edifício de alta excelência arquitetônica para abrigar o Memorial da Democracia, na região da Luz, no centro de São Paulo, com fácil acesso ao sistema público de transporte: metrô, trens e ônibus. O terreno será disponibilizado pela Prefeitura de São Paulo, através de concessão administrativa, sem transferência de propriedade sobre o solo. O Instituto Lula se responsabilizará pela aquisição de todos os equipamentos do Memorial e pela sua operação, sendo a gestão compartilhada com o poder público municipal e, possivelmente, incluindo parcerias com os governos estadual e federal, através das respectivas áreas de Educação e Cultura, não importando a composição partidária nos Executivos dos três entes federados em cada momento.

Espaços comparáveis ao projeto do Memorial têm se mostrado bem sucedidos e servirão de referência à sua concepção. Na cidade de São Paulo, cabe citar o Museu da Língua Portuguesa, o Museu do Futebol e o Memorial do Imigrante. Em outros países, despontam como polos de atração o Museu do Apartheid, em Johannesburg, os Museus do Holocausto de Washington, Jerusalém e Berlim, o Museu da Resistência, em Varsóvia, o Museu dos Direitos Civis, em Memphis, dedicado á memória de Martin Luther King. E muitos outros.

fonte Instituto Lula