Listen to the text.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Vitória da Conquista ganha centro cultural

 Vitória da Conquista será o primeiro município baiano a ter um Centro Cultural do Banco do Nordeste do Brasil (CCNBB). O município baiano recebe o centro, tendo em sua história um potencial artístico e cultural, com representação tanto no estado quanto no Brasil. Glauber Rocha, Xangai, são alguns dos nomes pertencentes ao município que representam com sua arte o potencial do povo conquistense. 
Vitória da Conquista ganha centro culturalOutros centros patrocinados pelo Banco do Nordeste estão localizados em Fortaleza (CE), Juazeiro do Norte (CE) e Sousa (PB). A estrutura funcional do CCNBB compreende publicação anual de editais destinados aos diversos seguimentos artístico e cultural do município, além de oferecer à população uma programação cultural variada ao longo do ano.
 
O centro é formado por salas de leitura e de ensaios, biblioteca para 60 mil títulos, centro de informática, salão de exposições, cine-teatro para aproximadamente 400 pessoas, auditório multiuso, totalizando uma área de 4,7 mil m2.
 
Um destaque na implantação do projeto em Vitória da Conquista dá ao centro uma importância a mais, a participação da comunidade conquistense na discussão do projeto. Esta participação popular chegou até alterar o projeto arquitetônico inicial do centro, demonstrando como a cultura e as artes fazem parte do município.
 
O município também participa do projeto, o terreno onde será implantado o centro é uma doação da prefeitura municipal. Enquanto o CCNBB não é instalado o Banco do Nordeste já realiza no município diversas atividades culturais. São ações introdutórias que dão uma ideia do que virá por aí em termo de projetos culturais para o município. Vitória da Conquista passa a integrar com esta ação do banco e do município um novo polo cultura no estado que poderá colocar o município no circuito cultura do país.

Novo Diretório dos Museus e Coleções da Espanha

A base de dados é a maior e mais exaustiva existente na Espanha

Acaba de ser lançado o novo Diretório de Museus e Coleções da Espanha, que já se encontra disponível na página web da Secretaria de Estado de Cultura do Ministério de Educação, Cultura e Esporte da Espanha.
O Diretório, desenvolvido com a colaboração de todas as Comunidades Autônomas da Espanha, é um serviço público de informação ao cidadão que recolhe os mais de 1.500 museus e coleções museográficas existentes na Espanha, para dar a conhecer todas suas possibilidades e incentivar a visita aos mesmos.
Uso do Diretório
Através dos buscadores, geral e avançado, se pode aceder às fichas de cada instituição, nas quais são recolhidos os dados de contato e localização, assim como imagens, informação útil para a visita, os serviços disponíveis, as atividades que se realizam habitualmente, a acessibilidade, os equipamentos culturais ou rotas turísticas nos quais se integra, ou detalhes acerca da história da instituição e as coleções que alberga.
O aplicativo permite a cada instituição aceder à sua ficha para atualizar diretamente a informação disponível e autogestionar seus conteúdos no Diretório, facilitando assim a aproximação entre estes centros e o cidadão. Por tanto, a informação disponível em cada uma das fichas é responsabilidade, em cada caso, da instituição correspondente.

fonte:

Concurso design sustentável para estudantes


Até 10 de maio estão abertas as inscrições para o IV Concurso Talentos Design’12 para estudantes. 
Serão cinco categorias premiadas: Gráfico, Moda e Têxtil, Digital, Espaços e Interiores, Industrial ou Produtos. 
Cada inscrito pode apresentar até 10 projetos (dois por categoria). 
O vencedor receberá 5 mil euros. Os 5 finalistas ganharão 2,5 mil euros cada. 

Os 50 mais votados na internet ganharão exposição em Madri. Na última edição do Concurso, patrocinado pela Fundação Santander e apoio do Universia, dois brasileiros venceram: um na categoria Gráfico e outro em Moda e Têxtil (foto abaixo).


design sustentavel santander concurso
Em 2011 a brasileira Natalia Bertolo foi vencedora do IV Concurso Talentos Design'12 em Moda e Têxtil.

Podem participar estudantes (maior de 18 anos, de qualquer nacionalidade) matriculados em qualquer Universidade, Faculdade ou Escola de Ensino Superior em curso acadêmico no período 2011/2012. O candidato deverá ser usuário do Universia e se cadastrar aqui. Saiba mais sobre o regulamento no site do concurso.

fonte:
babel das artes

Crato investe R$ 271 mil em reformas de museus

Como patrimônio histórico, museus do Crato passarão por obras monitoradas por conselho estadual

Clique para Ampliar

FOTO: YAÇANÃ NEPONUCENA
Museu Histórico do Crato passará por obras de conservação. fechado há três anos, as estruturas de madeira e alvenaria estão comprometidas


Crato Após mais de três anos fora de atividade, finalmente o Museu Histórico deste Município e Museu de Artes Vicente Leite serão reformados. O prefeito do Crato, Samuel Araripe, já assinou a ordem de serviço para a reforma e modernização dos museus que estão situados na antiga Casa de Câmara e Cadeia, no centro da cidade. A previsão é que as obras se iniciem nos próximos 10 dias.

Desde novembro do ano passado, a Prefeitura planejava dar início às obras. Entretanto, apesar de já ter realizado a licitação para a escolha da empresa que irá executar os serviços, não viabilizou o início da reforma justificando problemas licitatórios.

Agora, o prazo para que os museus voltem a funcionar é de 30 dias após a conclusão da obra, que terá prazo máximo de oito meses.

Toda a reforma está orçada em R$ 271 mil, em média, e será paga com recursos da própria Prefeitura, uma vez que a administração municipal não conseguiu parcerias e financiamentos com os governos do Estado e Federal. O repasse integral será feito através da Secretaria de Infraestrutura do Município.

Na reforma estão incluídas a recuperação da estrutura de madeira em Pau d´arco, muito danificada pela ação dos cupins, reconstrução do forro e recuperação da cobertura, substituição do assoalho em Ipê e de instalações elétricas, pré-instalação para climatização dos ambientes, recuperação e adaptação dos esquadrilhos de madeira, pintura do prédio e ainda a acessibilidade, com a instalação de um elevador e uma rampa para os portadoras de necessidades especiais.

Desde os anos 60, o prédio que abriga os museus está protegido pelo tombamento histórico e arquitetônico estadual, segundo a lei número 9.109, de 30 de julho de 1968. Por isso, o projeto da reforma do prédio vem sendo acompanhado pelo Conselho Estadual de Proteção ao Patrimônio Cultural (Coepa). O prédio tem 90% da sua estrutura física comprometida pela ação do tempo. A falta de manutenção já ocasionou até o desabamento do teto, além de danos ao acervo museológico lá instalado.

De acordo com o secretário de Infraestrutura do Município, José Muniz, a requalificação do prédio é urgente. "Por dois ano tentamos alocar recursos e não conseguimos. Não podíamos empenhar recursos para esta reforma no final do ano passado, não queríamos deixar restos a pagar. Mas, com planejamento, tudo deu certo nesse momento. Espero que o prédio esteja pronto em um período mais breve possível", disse.

No planejamento da obra está prevista a conservação da originalidade do prédio. A preocupação é manter os padrões de quando a construção foi erguida e oferecer condições e estrutura típicas de museus, como iluminação e segurança. Por causa desta exigência, um técnico em obras de arte realizou a prospecção nas paredes do prédio para descobrir qual era a cor da primeira pintura que a construção recebeu. O trabalho desvendou que a pintura original era branca. A cor será conservada.

Para dar expansão ao Museu Histórico do Crato, o presidente da Fundação Cultural J. de Figueiredo Filho, administradora dos museus, Francisco Érico Gonçalves Felício Callou, planeja transferir todo o acervo do Museu Vicente Leite para o Centro Cultural do Araripe. As obras de arte que já estão reformadas serão alojadas no saguão principal da antiga Rffesa.

Mais informações:

Secretaria de Infraestrutura do Município do Crato

Rua 7 de Setembro, S/N

Bairro São Miguel

Telefone: (88) 3586.8017

YAÇANÃ NEPONUCENA
REPÓRTER

fonte:
http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1101726

Esponja de limpeza nanomagnética revoluciona restauração de obras de arte

Cientistas italianos utilizaram a nanotecnologia para desenvolver um novo tipo de esponja de limpeza que promete revolucionar a limpeza e a conservação de obras de arte, incluindo pinturas e esculturas feitas com os mais diversos tipos de materiais.
Esponja de limpeza com nanotecnologia
Piero Baglioni e seus colegas daUniversidade de Florença criaram uma esponja nanomagnética que é capaz de incorporar os materiais de limpeza em sua própria estrutura.
A seguir ela é cortada no formato necessário para cada obra de arte em particular, o que faz com que os produtos cheguem a todos os pontos da pintura ou escultura de forma homogênea e rápida. E isso não é tudo: sua maior vantagem está na facilidade de retirar o material de limpeza depois que ele terminou de agir.
Trabalhos de restauração
Hoje, os restauradores utilizam solventes e outros agentes de limpeza em forma de gel. A textura gelatinosa faz com que o material permaneça na superfície da obra de arte, ao contrário de um líquido, que tem a tendência de se infiltrar e pode resultar em danos irreparáveis.
Os géis, contudo, também têm seus inconvenientes. O principal deles é que é difícil removê-los de superfícies pintadas, o que não raro resulta em resíduos indesejáveis deixados sobre as obras de arte.
Remoção magnética
A nova esponja nanomagnética resolve esse problema. Além de permitir a construção de verdadeiros "moldes de limpeza", que chegam a qualquer canto, o gel de limpeza pode ser facilmente retirado com um ímã.
"O gel nanomagnético representa o mais avançado e versátil sistema para limpeza e terá um impacto dramático sobre os métodos convencionais utilizados no campo da conservação e em várias outras áreas onde se exige o ajuste fino da liberação ou da retirada de materiais confinados," diz o artigo publicado pelos cientistas.
Com a continuidade das pesquisas, eles esperam que a esponja de limpeza nanomagnética possa vir a ser utilizada também na cosmética, nos detergentes para limpeza doméstica e na biomedicina.
Bibliografia:

Nanomagnetic Sponges for the Cleaning of Works of Art
Massimo Bonini, Sebastian Lenz, Rodorico Giorgi, Piero Baglioni
Langmuir
Vol.: 23 (17), 8681 -8685
DOI: 10.1021/la701292d

Bactérias limpam obras de arte

Bactérias nos quadros
Pegue uma obra de arte famosa, daquelas guardadas em museus ou igrejas há séculos, e infeste-a de bactérias.
O que à primeira vez mais se parece com uma receita de vandalismo, está-se mostrando altamente eficaz para limpar pinturas famosas.
Os testes estão sendo conduzidos em pinturas da Igreja de São João, em Valência, na Espanha, e nos murais do Campo Santo, de Pisa, na Itália, por um grupo de cientistas de três instituições espanholas.
A aplicação das bactérias começou em meados do ano passado, em afrescos do pintor Antonio Palomino, do século 17.
As primeiras avaliações mostram que o tipo adequado de microrganismo é capaz de limpar as obras de arte muito rapidamente e sem causar qualquer dano à pintura - e nem ao meio ambiente ou às pessoas.
Eflorescências salinas
O projeto surgiu quando os pesquisadores foram encarregados de restaurar os murais da Igreja de São João, que foram praticamente destruídos em um incêndio em 1936, e indevidamente restaurados na década de 1960.
Pesquisadores italianos já haviam testado o uso de bactérias para remover cola endurecida nas obras de arte.
A equipe espanhola aperfeiçoou a técnica e identificou a cepa da bactériaPseudomonas mais adequada para literalmente comer as eflorescências salinas que se desenvolveram sobre os afrescos.
"Pela ação da gravidade e da evaporação, os sais de matéria orgânica em decomposição migram para as pinturas e geram uma crosta branca, escondendo a arte," explica Pilar Bosch, coordenadora da equipe.
Bactérias faxineiras
Como os produtos químicos tradicionalmente utilizados na restauração de obras de arte têm seus próprios efeitos colaterais, o jeito é chamar as bactérias.
As bactérias são incorporadas em um gel, que é aplicado sobre a pintura. Isso evita que a umidade penetre na pintura, causando novos problemas.
"Depois de uma hora e meia, nós removemos o gel com as bactérias. A superfície é então limpa e seca," diz a pesquisadora.
Sem o ambiente adequado do gel, as bactérias restantes morrem. E o quadro fica limpo.
"Com os bons resultados dos testes, nós vamos continuar com os estudos e melhorar a técnica, com o objetivo de passá-la para outras superfícies. Como na natureza nós encontramos bactérias que comem praticamente tudo, estamos certos que poderemos eliminar outras substâncias, de diferentes tipos de materiais," conclui a pesquisadora.

Bactérias limpam obras de arte

A Dra. Pilar Bosch trabalhando nas pinturas da Igreja de São João, em Valência.[Imagem: RUVID]



fonte: