terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Descoberta nova Mona Lisa que foi pintada ao mesmo tempo que a original

Uma cópia da Mona Lisa de Leonardo da Vinci foi pintada por um pupilo ou seguidor do artista ao mesmo tempo em que a pintura original foi criada, e agora está sendo considerada a cópia mais antiga da enigmática obra.



A pintura estava na coleção real da Espanha, antes de ser enviada para Madri, em 1819, quando o Museo del Prado foi fundado. A pintura orginalmente ganhou pouca atenção por estar em um fundo preto, ao invés da paisagem do original. Mas conforme os restauradores foram trabalhando para coloca-lá em uma exibição de da Vinci no Louvre, em Paris, eles descobriram que por trás do verniz preto estava uma cópia da paisagem fantasiosa.
Essa cópia da Mona Lisa revela alguns detalhes da misteriosa mulher, incluindo a roupa que cobre seus seios, o véu semitransparente ao redor dos ombros e formato da cadeira. A cópia também mostra mais claramente a paisagem do fundo.
Pesquisas anteriores já haviam sugerido que da Vinci colocou sobrancelhas na moça, apesar de elas terem desaparecido. Esse mesmo estudo, onde um engenheiro analisou a pintura original com várias ondas diferentes de luz, sugeriu também que o grande artista havia pintado os dedos da mão esquerda em uma posição diferente.
Os pesquisadores têm por muito tempo se indagado sobre a identidade da mulher. No ano passado, arqueólogos anunciaram ter encontrado o esqueleto do que seria Lisa Gherardini Del Giocondo, a susposta modelo do artista.
A restauração da cópia tem previsão de estar completa em cerca de três semanas. [LiveScience]

fonte:

Baseado na história real do mágico Jasper Maskelyne, o livro de David Fisher conta como a inteligência

Diretor de 007 revelará truques de mágica da 2ª Guerra Mundial

O diretor Marc Forster (“007 – Quantum of Solace”) vai dirigir a adaptação do livro “The War Magician”, segundo a revista Variety.

Baseado na história real do mágico Jasper Maskelyne, o livro de David Fisher conta como a inteligência britânica se valeu dos talentos do ilusionista durante a 2ª Guerra Mundial. Truques como jogos de espelho foram usados para tornar invisíveis formações inteiras de tanques de guerra no norte da África.
A adaptação para as telas já havia sido cogitada pelo diretor Peter Weir (“Mestre dos Mares”) e seria estrelada por Tom Cruise (“Missão: Impossível – Protocolo Fantasma”).
No momento, Forster está trabalhando na pós-produção do filme de zumbis “Word War Z”, estrelado por Brad Pitt (“A Árvore da Vida”).

fonte:
http://pipocamoderna.com.br/diretor-de-007-vai-revelar-truques-de-magica-da-2a-guerra-mundial/145718

Museu Floriano Peixoto apresenta exposição de Bumba-meu-boi

A partir desta terça-feira (7), a exposição Bumba meu boi - Nosso Patrimônio Cultural estará aberta à visitação no Museu Palácio Floriano Peixoto (Mupa). A mostra reúne uma série de fotografias do concurso de Bumba meu boi realizado em fevereiro de 2011, além de trazer ao público bumbás das agremiações Boi Gavião e Boi Vingador.

A exposição das peças singulares do boi alagoano tem como objetivo promover a valorização das manifestações populares, bem com seus mestres e ritmos. A iniciativa é da Liga dos Grupos de Bumba meu boi de Maceió e da Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

De acordo com o presidente da liga, Eugenio Vilela, a exposição, que esteve por dois meses no Memorial à República, faz nesta edição uma homenagem ao radialista Luiz de Barros, que completa 50 anos de carreira em 2011. “Estamos prestando uma justa homenagem ao percussor dos concursos de Bumba meu boi em Alagoas. Luiz de Barros deu início, em 1994, aos concursos nos bairros de periferia, trazendo-os para a região central da cidade e realizando também concursos em diversos municípios do Estado”, destacou.

Ainda de acordo com Eugenio Vilela, este ano será realizado o 20º Concurso de Bumba meu boi, que conta com o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. “Mais uma vez, mostraremos toda a tradição desta manifestação popular alagoana”, afirmou ele.

Além dos próprios bumbas, instrumentos percussivos do Bumba meu boi também fazem parte do acervo da exposição, assim como peças em papel confeccionadas pelas comunidades participantes.

Eugênio Vilela explica que, por meio de discussões realizadas no seminário ocorrido na última exposição no Memorial à República, foi verificado que Alagoas dispõe de instrumentos específicos de percussão que compõem a manifestação. “Além do surdo, repique, tarol e violão, foi adicionada a timba, elemento que faz a abertura e marcações da brincadeira”, explicou ele.

O secretário de Estado da Cultura, Osvaldo Viégas, destaca a importância de preservar e valorizar essa manifestação cultural tão forte em Alagoas. “Incentivamos esses momentos para que a população, turistas e crianças conheçam um pouco mais sobre o bumba meu boi, que é um folguedo característico de Alagoas”, disse.

Doação 

Parte da exposição, a peça de bumbá Boi Jaguar foi doada à Secult pelo presidente da Agremiação Boi Jaguar, Maxzoomilx Simões. O grupo foi fundado em 1995 e dispõe de 70 integrantes. Atualmente, existem 35 grupos de Bumba meu boi em Maceió, localizadas nos bairros da Ponta da Terra, Pajuçara, Jatiúca, Cruz das Almas, Santo Eduardo, Poço, Trapiche, Vergel, Ponta Grossa, Jacintinho e Vale do Reginaldo.

A exposição ficará aberta até março. A visitação acontece às terças, quintas e sextas-feiras, das 8h às 17h; às quartas-feiras, das 8h às 21h; e sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h. Mais informações nos telefones 3315-7874 e 8882-5626.


Mostra homenageia o radialista Luiz de Barros, percussor dos concursos de bois em Alagoas


fonte:
http://gazetaweb.globo.com/v2/noticias/texto_completo.php?c=249982

Instituto Lula criará Memorial da Democracia

Em nota divulgada na quinta-feira (3), o Instituto da Cidadania anunciou que irá construir, em São Paulo (SP), o Memorial da Democracia, com o objetivo de difundir e dar visibilidade à história da luta pela democracia no Brasil. O espaço será um museu aberto a toda a população, com acervo em formato multimídia e interativo.

“Zumbi dos Palmares, Tiradentes, Frei Caneca, o advento republicano, Canudos, a resistência durante as duas ditaduras do século 20, as grandes campanhas cívicas do Abolicionismo, Petróleo, Anistia, liberdade sindical, Diretas Já, Constituinte de 1988, Impeachment e a luta pela terra, entre muitos outros, são elos de um processo sem fim, que passa pelo Brasil de hoje e se projeta num futuro de crescente valorização dos ideais de cidadania, pluralismo, solidariedade, tolerância, equidade, justiça social e não-violência”, diz a nota do Instituto Lula. 

O Memorial disponibilizará todo o acervo documental referente aos oito anos de mandato do Presidente Lula. “A memória histórica constitui um precioso recurso à disposição de todos os cidadãos interessados em contribuir para a consolidação e fortalecimento da vida democrática. A longa caminhada que interligou gerações sucessivas na construção de um Brasil livre, soberano e independente ainda é pouco conhecida por nosso povo, sobretudo pelos jovens”, diz ainda a nota.

O deputado José de Filippi (PT-SP), um dos diretores do Instituto Lula, destacou a importância do Memorial para a juventude brasileira. “Vai ser um espaço que vai procurar sempre incentivar o relacionamento interativo, especialmente com a juventude, com as escolas, e terá um acervo riquíssimo acerca dos últimos 25 anos da democracia no Brasil, que teve o ex-presidente Lula como um protagonista muito efetivo, fato que está sendo amplamente reconhecido em âmbito internacional”, disse o parlamentar.

Filippi também chamou a atenção para a valorização da região que deverá ocorrer com a construção do Memorial. “O prédio do Memorial ficará situado num local central da maior cidade do País, com facilidade de acesso através do transporte público, e certamente será um projeto arquitetônico que contribuirá para a valorização e revitalização do centro de São Paulo”, frisou.

Caminhada secular

O Memorial da Democracia será construído e mantido pelo Instituto Lula, em terreno cedido pela Prefeitura Municipal de São Paulo nas proximidades da Estação da Luz, seguindo desenho institucional a ser definido entre poder público e a entidade responsável pela iniciativa.

O projeto de implantação do espaço está sendo coordenado pelo ex-ministro de Direitos Humanos do governo Lula, Paulo Vannuchi, que gerencia uma equipe composta por profissionais de arquitetura, museologia, ciência política, entre outras áreas.

O acervo documental será aberto à visitação pública por intermédio de equipamentos digitais incorporando moderna elaboração museológica. Com variados recursos de interatividade, será oferecida aos visitantes uma educativa síntese sobre a caminhada secular do povo brasileiro rumo à democracia, conjugando entretenimento, enriquecimento cultural e ampliação do nível de informação e consciência cidadã. Ao mesmo tempo, será possível percorrer virtualmente todas as exposições e acessar documentos, fotos e filmes através do site do Memorial.

Espaços comparáveis ao projeto do Memorial têm se mostrado bem sucedidos e servirão de referência à sua concepção. Na cidade de São Paulo, cabe citar o Museu da Língua Portuguesa, o Museu do Futebol e o Memorial do Imigrante. Em outros países, despontam como polos de atração o Museu do Apartheid (Johannesburg), os Museus do Holocausto de Washington, Jerusalém e Berlim, o Museu da Resistência (Varsóvia), o Museu dos Direitos Civis (Memphis), entre outros.

Fonte: Instituto Lula