Listen to the text.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Projeto que prevê a construção de museus em Brasília ganha apoio internacional

Esplanada dos Museus


Apresentado pelo Ministério da Cultura em novembro de 2011, o projeto Esplanada dos Museus ganhou um apoio de peso na última semana. O projeto, que visa a criação de seis novos espaços museais em Brasília, ganhou o apoio do Smithsonian Institution, entidade norte-americana que é responsável por administrar um complexo de 19 museus e galerias, além de nove centros de pesquisa.
Em reunião com a diretora para a área internacional do Smithsonian, Elisabeth Dugall, o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), José do Nascimento Jr., demonstrou entusiasmo com a iniciativa e interesse na elaboração de parcerias na área de formação, fóruns de liderança, além de contribuir na elaboração do plano estratégico do projeto.
Desenvolvido em parceria com o Governo do Distrito Federal, o Esplanada dos Museus prevê a construção de seis novos museus temáticos em Brasília nos próximos anos: Museu dos Esportes, de Arte das Américas, da Democracia, da Biodiversidade e da Diversidade Cultural, além do museu da Ciência e Tecnologia, proposto pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).
O presidente do Ibram ressaltou que o projeto se configura com um importante legado cultural da Copa do Mundo 2014 para o país. “Compartilhamos com Smithsonian a visão dos museus como instituições de caráter público que prestam um inestimável serviço à população”, apontou o presidente.
Durante o encontro, também foram discutidas propostas de cooperação técnica entre os dois órgãos, como por exemplo, a ampliação do Programa Pontos de Memória no exterior, a discussão em torno de um intercâmbio voltado à formação de profissionais de museus brasileiros nos Estados Unidos, além da discussão sobre instrumentos legais de proteção ao patrimônio museológico.
Uma Nova Esplanada
Na parte central de Brasília, espinha dorsal da capital federal, a instalação dos novos museus reforçará a feição cultural da esplanada, que já conta com o Complexo Cultural da República. Um dos principais objetivos do projeto é colaborar para a inserção de Brasília nas rotas turísticas, e contribuir com o direito à memória, à cultura e ao museu. Segundo a proposta, todos os museus dariam ênfase às atividades de pesquisa, formação profissional, conservação de bens culturais, comunicação e educação. A sustentabilidade ambiental, a acessibilidade, o uso de novas tecnologias e o investimento na inovação e na interatividade serão características de todas as instituições museais a serem criadas.
Após a primeira reunião, foi acordado que o GDF deverá avaliar quais locais indicados pelo projeto poderiam receber as novas instituições. Já o Ministério da Cultura (MinC) e suas insitutições vinculadas, como Instituto Brasileiro de Museus e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), devem ficar responsáveis por estabelecer parcerias para a construção e instalação dos espaços e constituição dos acervos.
(Texto: Marcos Agostinho (Ascom/MinC)

Inscrições de propostas para a Rede de Salas Digitais

Inscrições de propostas para a Rede de Salas Digitais


    Trinta salas brasileiras de cinema digital serão selecionadas pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAV/MinC) para concorrer à licitação internacional no âmbito do eixo 3 do Programa MERCOSUR Audiovisual – Redes de Salas Digitais (RSD). Após a seleção dos espaços, uma equipe técnica do programa irá eleger as dez salas que irão compor a rede.





Ao lado das salas brasileiras, serão definidas também dez salas argentinas e cinco no Paraguai e mais cinco no Uruguai, totalizando assim 30 espaços. O programa é composto além do fomento a Rede Mercosul de Exibição, de mais quatro eixos temáticos: Legislação Audiovisual, Formação e Capacitação, Preservação e Observatório Mercosul Audiovisual.

Para participar da RSD não é necessário ter muita experiência, nem pagamento de licenças para funcionamento. Além disso, a participação apresenta outras vantagens como: sala conectada em rede usando internet em acesso remoto, simplificando o trabalho da equipe da cabine de projeção; os conteúdos vão chegar via internet, em definição full HD, diretamente ao servidor digital de playout e estarão criptografados a fim de evitar pirataria; garantia de conteúdo para o ano todo; ideal para educação a distância, oficinas de capacitação, conferências internacionais etc.; estreia simultânea em todas as salas que fazem parte da rede; tecnologia preparada para recepção por satélite e catálogo online atualizado constantemente e notificações via e-mail das novidades.

Os interessados em inscrever salas de cinema no processo de seleção deverão encaminhar o formulário preenchido, até o dia 24 de fevereiro, para o e-mail sav.internacional@cultura.gov.br. Com isso, a Secretaria do Audiovisual também pretende identificar, mapear e diagnosticar um conjunto de salas de cinema com vocação cultural que tenha funcionamento sustentável. De acordo com o cronograma do projeto, todos os espaços deverão estar em funcionamento no primeiro semestre de 2013.

Para participar da seleção os proponentes deverão contar com um espaço que disponha de no mínimo 64 assentos fixos; projetor com qualidade Full HD e resolução mínima de 1920×1080 pixels. O projetor não precisa ser de uso exclusivo da sala; player Digital (Playout Server); espaço isolado do público (cabine de projeção) para instalar o sistema de projeção, de som e computador (server de playout), que deverá estar refrigerado entre 16 e 21° Celsius;  sistema de som 5.1; rede elétrica estabilizada e conexão a Internet com banda larga.

Integração Audiovisual

Com o objetivo de que os cidadãos tenham mais acesso aos conteúdos audiovisuais produzidos na região, por intermédio de uma série de ações coordenadas a fim de promover a complementaridade das indústrias cinematográficas, facilitar a circulação inter-regional e ampliar a capacidade técnica, o Programa Mercosur Audiovisual foi criado por acordo firmado entre o Mercosul e a União Europeia para beneficiar os quatro países-membro (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai).

O programa visa, além da criação das RSD, a realização de estudos comparativos sobre a legislação e a cadeia de valor do setor audiovisual nos países do bloco. O Programa atua também na preservação, restauração, digitalização e divulgação do patrimônio audiovisual dos países-membros.



Fonte: Marcos Agostinho – Ascom/MinC

Exposição erótica instiga o público no Museu Brasileiro da Escultura

MuBEMuseu Brasileiro da Escultura exibe até o dia 4 de março a exposição Hentai, do artista Felipe Yung, conhecido como Flip.
Ocupando a sala e jardim do espaço Burle Marx, a exposição apresenta desenhos, vídeo-instalação, esculturas  de cerâmica e expressões do erotismo asiático na visão do artista.
Veja algumas fotos clicadas quando visitamos a exposição:
Uma das instalações mais interessantes, na minha opinião, é a porta branca. Já a alguns metros de distância podemos ouvir gemidos e sussurros. A curiosidade e um certo voyerismo nos convidadam a ajoelhar para "espiar" pela fechadura da porta. E o que vemos?
Surpresa! Você vai precisar comprovar com os seus próprios olhos *__*
Flip, que também é grafiteiro, já fez exposições e trabalhos em Florianópolis, Porto Alegre, Brighton, Madrid, Barcelona, Paris, Los Angeles e Londres. Em nota divulgada pelo museu, ele disse que "Depois de sete anos, essa será a primeira vez que irei fazer uma exposição individual em São Paulo, já que estamos no Museu Brasileiro da Escultura, preparei obras inéditas que irão harmonizar com o espaço".
Assista o vídeo de divulgação preparado pelo museu e sinta Hentai mais de perto.
ONDE: MuBE - Museu Brasileiro da Escultura
ENDEREÇO: Avenida Europa, 218, São Paulo.
QUANDO: De terça a domingo, das 10h00 até as 19h00.
CLASSIFICAÇÃO: Somente para maiores de 16 anos.
CONTATO           (11) 2594-2601      .

Mulatice de Mário de Andrade é celebrada no Museu Afro Brasil

Para celebrar os 90 anos da Semana de Arte Moderna de 1922, o Museu Afro Brasil, em São Paulo, abrirá nesta quinta-feira (16), às 19h, uma exposição cenográfica sobre o escritor Mário de Andrade, um dos líderes do modernismo brasileiro, ao lado de Oswald de Andrade. Com o título inspirado em "Macunaíma" (''Mário - Eu Sou um Tupi Tangendo um Alaúde"), ela trará pinturas, objetos, imagens e poemas. O curador e escultor Emanoel Araújo pretende destacar a "mulatice" do intelectual paulistano.


Fotografia de Mário de Andrade, por Jorge de Castro, presente na exposição cenográfica do Museu Afro Brasil
Fotografia de Mário de Andrade, por Jorge de Castro, presente na exposição cenográfica do Museu Afro Brasil










- É o Mário total. Sou fascinado pela mulatice de Mário de Andrade. Ele encarna essa genialidade mulata. Ele fala da racialidade mulata que deu Domingos Caldas Barbosa, Aleijadinho e todos os outros. Mário entra pela África através da religiosidade, dos ex-votos. E faz aquele lindo livro sobre Jesuíno do Monte Carmelo, de São Paulo. A ideia da exposição é muito mais sobre Mário do que pela Semana de Arte Moderna - explica Araújo.
Chamado de "meu poeta futurista" por Oswald, mais tarde seu notório desafeto, Mário publicou ensaios e livros fundamentais para a compreensão da brasilidade. Na exposição do Museu Afro, Macunaíma ocupará um lugar central, com a instalação de um peji. Emanoel descrê nos impactos estéticos da Semana, ao passo que destaca a influência de Mário de Andrade para a mentalidade nacional.
- A Semana ainda está envolva por um certo lirismo brasileiro de eufemismos, de um País supercaipira nos anos 20, com meia dúzia de grã-finos. Não teve essa consequência que querem imprimir. De moderno, talvez, só Anita Malfatti, à maneira alemã. Mário é a brasilidade em Macunaíma, na Paulicéia Desvairada, naLira Paulistana... Ele é a paulistanidade. Consegue ver, de São Paulo, o Brasil. Quero enfatizar o Mário de Macunaíma, esse mito que, para mim, é o grande mito nacional - avalia o curador.
Mário - Eu Sou um Tupi Tangendo um Alaúde"
Museu Afro Brasil 

Telefone:             (11) 3320-8900      
Av. Pedro Alvares Cabral, s/n
Pavilhão Pe. Manoel da Nobrega
Parque Ibirapuera - Portão 10
CEP 04094-050- São Paulo - SP

Museu do Estado recebe carruagem que transportou o corpo de Carlos Gomes

O Museu Histórico do Estado do Pará, que já possui objetos pessoais e quadros que retratam o maestro Carlos Gomes, vai ganhar mais uma peça para o acervo: a carruagem que transportou os restos mortais do maior compositor de ópera do Brasil por ocasião do cortejo fúnebre realizado no dia 16 de setembro de 1896. O coche da Irmandade Franciscana, peça histórica do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, será doado ao MHEP nesta quinta-feira, 16, às 18h.  A solenidade de doação da carruagem ao Museu Histórico do Estado do Pará acontece na Sala das Artes, um dos espaços do museu. O evento é aberto ao público e conta com a participação do pianista e superintendente da Fundação Carlos Gomes, Paulo José de Campos Melo, e do coral da fundação.
Apesar de ter nascido em Campinas, Carlos Gomes escolheu a cidade de Belém para passar seus últimos dias. Como era costume na época, o maestro também teve seus restos mortais transportados em uma carruagem. De acordo com o diretor do MHEP, Sérgio Mello, no século XIX, Belém vivia uma época de grande apreciação da música e das artes, o que fez com que a música do maestro fosse bastante valorizada na cidade. “O cortejo fúnebre foi um momento de confirmação da importância de Carlos Gomes para Belém. A cidade parou. Ele foi homenageado com as honras de um herói nacional e, sobretudo, um herói da cultura”.
Na época do período colonial brasileiro, alguns símbolos representavam a riqueza e o status de uma família na sociedade. Os brasões, as pinturas expostas nas casas, o acesso à educação e até mesmo a maneira como era realizado o funeral de uma pessoa, indicavam a dimensão do poder que ela, ou sua família, tinham na sociedade. A prática de realizar o cortejo fúnebre bastante ornamentado e exagerado foi um costume que atravessou vários anos, inclusive no período republicano.
A carruagem possui dois módulos em madeira, com detalhes de metal. Na parte superior há características da coroa, apresentando também o coroado. Segundo Sérgio Mello, “agregar qualquer obra de uma referência local ao museu é muito importante, mas receber uma peça que tenha relação direta com Carlos Gomes é mais gratificante ainda. Belém foi a cidade que o maestro acolheu e se identificou”. Após a doação, o coche entra em processo de restauro e só depois volta à exposição.
Serviço:
Solenidade de doação, nesta quinta-feira, 16, às 18h.
Local: Museu Histórico do Estado do Pará – MHEP (Praça Dom Pedro II). Entrada franca. 

fonte:

MIT lança curso universitário a distância

MIT lança curso universitário a distância

O projeto online, intitulado MITx, vai oferecer, por enquanto, apenas uma modalidade de aprendizagem, que começa em março. O curso interativo de eletrônica foi projetado para "quebrar barreiras na educação", pois o esquema inovador representa um passo significativo no uso da tecnologia para oferecer aulas de ensino superior.
A universidade não vai exigir dos alunos a necessidade de requisitos de entrada ou experiência em outras instituições. As matérias de estudo e grade horária com notas e aulas serão fornecidas inteiramente online, assim como um laboratório virtual, e-books, discussões na web e vídeos equivalentes a palestras. O esperado é que o curso tenha uma duração de quatro meses (caso se inicie em março), com carga horária de 10 horas semanal. Ao final dos estudos, os alunos recebem um certificado com a marca do MIT.
Para garantir o comprometimento dos alunos virtuais, o MIT fará o código de honra, uma espécie de contrato onde os estudantes em casa garantem que terão um comportamento honesto durante o aprendizado. No futuro, a universidade pretende implementar mecanismos de verificação de identidade e trabalhos facultativos de cada um dos usuários para apontar possíveis plágios.
De acordo com a BBC, embora não existam requisitos iniciais para começar o curso de eletrônica, o professor Anant Agarwal, diretor do laboratório de ciências da computação e inteligência artifical do MIT, afirma que os estudantes precisam ter conhecimento mínimo em matemática e ciências.
Na próxima segunda-feira, os responsáveis pela novidade devem definir como outras modalidades serão colocadas em prática. Isso inclui cursos que hoje são oferecidos no campus da universidade com um modelo feito exclusivamente para a internet. Além disso, o MIT planeja lançar outras disciplinas inteiramente online, como biologia, matemática e física.
Rafael Reif, reitor do MIT, diz que a universidade quer ter essa experiência como uma forma de descobrir o que pode ser entregue aos alunos por meio de cursos ministrados na web, como também acreditar que esse mecanismo de ensino pode ser valioso para a formação de profissionais no futuro. Isso tudo sem contar o despertar para o interesse em estudar no próprio campus da universidade, em Massachusetts, formando um grupo bem maior de estudantes internacionais.
Você consegue mais informações sobre como se inscrever, além de ver a lista dos cursos oferecidos, clicando aqui.
Com informações de Olhar Digital


fonte: