domingo, 26 de fevereiro de 2012

Porto de Santos lança livro e museu virtual

O maior porto da América Latina, o Porto de Santos, fez 120 anos. Para comemorar, lançou um kit patrimonial que inclui um museu virtual e o livro Paisagens Culturais da Baía de Santos, com depoimentos de trabalhadores do porto e moradores do entorno da cidade litorânea, em São Paulo.
Além da distribuição gratuita para bibliotecas e escolas, o livro poderá ser baixado, em formato digital, no próprio site do Porto de Santos.
No acervo do museu virtual, há vestígios de ocupação humana de 4500 anos atrás e fotos das peças retiradas de escavações, com ficha técnica explicativa, documentação histórica e planilhas. Há vestígios indígenas relacionados a diferentes grupos, incluindo os de língua Tupi, que tiveram contato com os primeiros europeus.
Seminário Porto + 120: como parte dos eventos comemorativos, no dia 29/2 haverá oSeminário Porto + 120 que terá como tema Memória e Patrimônio, seguido de lançamento do livro Porto de Santos – 120 Anos de História. Ambos na Estação Santos, à Rua Tuiuti, 56, Centro Histórico.
Os interessados podem se inscrever gratuitamente no endereço eletrônicoinscricao@porto120.com.br. As vagas são limitadas.
Veja programação no site do evento.

fonte:
Babel das Artes

Bandidos roubam peças de museus de Sorocaba

Entre os itens levados do prédio na Brasilândia, estão baús e selas de cavalos feitos há mais de 200 anos


A polícia descobriu, na tarde desta sexta-feira (24), o roubo de diversas peças arqueológicas e da reserva técnica dos museus de Sorocaba. 

As peças estavam armazenadas no prédio onde fica o antigo Matadouro Municipal, no bairro Brasilândia, e que é administrado pela Secult (Secretaria da Cultura). No local estavam reunidos objetos de três museus da cidade.
Entre os materiais furtados, está praticamente todo o acervo do Casarão de Brigadeiro Tobias, onde se incluem baús e selas de cavalos feitos há mais de 200 anos. Itens relacionados com a Estrada de Ferro Sorocabana também se perderam. 

Os criminosos retiraram urnas e ossos indígenas de cerca de mil anos, encontrados na região. A história das fábricas têxteis também foi prejudicada. Vários teares desapareceram.
A primeira a ver a porta do local arrombada foi a chefe do Patrimônio Histórico de Sorocaba. Dos objetos furtados, muitos têm venda fácil em antiquários, como é o caso de rádios a válvula, máquinas de escrever e de costurar.
*Com informações TV TEM

fonte: