sexta-feira, 16 de março de 2012

A importância da Copa do Mundo e das Olimpíadas é discutida em livro

Segunda feira, dia 26/03, acontecerá o lançamento do livro Cidades Criativas – Soluções Inventivas que discutirá o papel da Copa, das Olimpíadas e dos museus internacionais.

O livro de Ana Carla Fonseca, economista e doutora em Urbanismo, tem o apoio da São Paulo Turismo (SPTuris, empresa de promoção turística e de eventos do município) e do Serviço Social da Indústria (Sesi).

O livro trata de grandes projetos culturais e esportivos num contexto social. Os exemplos escolhidos se referem a cidades de diferentes níveis de desenvolvimento socioeconômico, analisando aspectos bem-sucedidos e aprendizados. Barcelona (Espanha, Olimpíadas de 1992), Bilbao (Espanha, Museu Guggenheim), Bogotá e Medellín (Colômbia, Parques-Bibliotecas), Cidade do Cabo e Johanesburgo (África do Sul, Copa de 2010), Londres (Inglaterra, Olimpíadas de 2012) são as cidades abordadas.

Os autores analisam o papel transformador dos grandes eventos e dos empreendimentos culturais e lançam reflexões sobre como podemos melhorar o aproveitamento da Copa de 2014, das Olimpíadas de 2016 e dos equipamentos culturais com representação internacional em construção por todo o país.

Para o debate, Ana Carla reuniu especialistas dos setores de cultura, turismo e entretenimento para discutir o assunto a partir dos conceitos de economia criativa e cidades, como Marcelo Rehder, o presidente da São Paulo Turismo; Caio Luiz de Carvalho, o presidente da Enter Entertainment & Experience e autor do prefácio do livro; Walter Feldman, entre outras autoridades dos governos municipal e estaduais e especialistas.

O livro será distribuído durante o evento e estará disponível a partir do dia 26/03 no site oficial de turismo de São Paulo, o www.cidadedesaopaulo.com 

Debate Cedem/Unesp: 29/03/12 -- Macunaíma e o diálogo com a Semana de 1922 -


Debate Cedem/Unesp

        Em comemoração aos 90 anos da Semana de Arte Moderna, o tema: Macunaíma e o diálogo com a Semana de 1922, será o centro do debate no próximo dia 29 de março, quinta-feira às 18h30, promovido pelo CEDEM – Centro de Documentação e Memória da UNESP. O livro Macunaíma (O herói sem nenhum caráter), de Mário de Andrade, um dos fundadores do modernismo e principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, no Teatro Municipal de São Paulo. Evento este que influenciou Mário e outros artistas que participaram da Semana, a criarem novas concepções estéticas para a arte brasileira, algo fora do academicismo tradicional, algo contemporâneo.

        Buscando cada vez mais as origens brasileiras, em março de 1924,Oswald de Andradepública no Correio da Manhã o Manifesto Pau-Brasil, em que expressa à necessidade de buscar na miscigenação da raça brasileira uma nova perspectiva artística. Mas só em 1928, com oManifesto Antropofágico (também de autoria de Oswald) que fica evidente o repúdio às normas tradicionais e ultrapassadas, que impunham os padrões acadêmicos para a arte, e assim, adentrar as origens da cultura brasileira. Como Oswald diz nesse Manifesto: “Antes dos Portugueses descobrirem o Brasil, o Brasil tinha descoberto a felicidade”.

        Segundo Antônio Cândido, em Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária (7ª Ed. São Paulo: Ed.Nacional, 1985), Macunaíma é “a obra central e mais característica do movimento modernista, podendo encontrar nela um verdadeiro compêndio das lendas dos índios, dos ditos populares, dos sincretismos religiosos, dos vários regionalismos brasileiros; tudo isso desenvolvido com uma sátira popular peculiar, em que parodia as formas acadêmicas e as “importadas” da Europa. Mario de Andrade mergulhou no primitivismo dos povos indígenas e na cultura das demais raças que originaram o Brasil (Maria Luiza Camara de Camargo – bolsista da UNESP).

Expositor
Luiz Antonio Amaral
Graduação em Letras - UNESP
Mestrado em Linguística e Língua Portuguesa – UNESP e Doutorado em Letras - USP
Vice-Diretor e Professor da UNESP – Campus de Araraquara
Debatedores
Maria Lúcia Outeiro Fernandes
Graduação em Letras - UFPR
Mestrado em Letras – USP e Doutorado em Letras – PUC/RJ
Professora da UNESP – Campus de Araraquara
Omar Khouri
Graduação em História – USP
Mestrado e Doutorado em Comunicação e Semiótica – PUC/SP
Livre Docente em Teoria e Crítica da Arte – Instituto de Artes da UNESP
Mediador
Oscar D´Ambrósio
Mestre em Artes – Instituto de Artes da UNESP
Crítico de Arte, Escritor, Jornalista
Coordenador de Imprensa da Reitoria - UNESP

PARTICIPE E CONVIDE OS SEUS AMIGOS!

Inscrições gratuitas c/ Sandra Santos pelo e-mail:ssantos@cedem.unesp.br
Data e horário: 29 de março de 2012 (quinta-feira) às 18h30
Local: CEDEM/UNESP - Centro de Documentação e Memória
Praça da Sé, 108- 1º andar, esquina c/ Rua Benjamin Constant (metrô Sé)
(11) 3105 - 9903-www.cedem.unesp.br

O salário para o mês de fevereiro de 2012 é de R$ 5.691,08 - ABERTURA - CONCURSO PÚBLICO - CONSERVADOR

O Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo torna pública a abertura de concurso público para o preenchimento de 1 vaga na carreira do Grupo Superior S1 A, de Especialista em Pesquisa/Apoio de Museu – Área de Conservação e Restauro, e outras que surgirem durante o prazo de validade deste edital.


edital em:
http://www.mae.usp.br/noticias/43

Federação Mundial de Amigos de Museus (World Federation of Friends of Museums - WFFM) - o maior evento de 2012 do segmento.

Dentro de poucos dias, a Feambra estará coberta de azul, cor de seu logotipo e do da Federação Mundial de Amigos de Museus (World Federation of Friends of Museums - WFFM). Depois de mais de um ano de preparativos, nossa federação receberá as principais lideranças mundiais de Amigos de Museus para o maior evento de 2012 do segmento.

Será a primeira vez em que a Reunião do Conselho e a Assembleia Geral da WFFM terão o Brasil como sede. Os participantes, em sua maioria presidentes das federações de Amigos de Museus de cada país, serão recebidos com uma programação feita especialmente para dar uma pequena amostra de nossa riqueza cultural. Além das recepções no Palácio dos Bandeirantes e na Fundação Ema Gordon Klabin, os representantes terão visitas orientadas em vários museus, como o Masp, e ainda um city tour personalizado por São Paulo e outro para conhecer o design e o grafite brasileiros.

A gastronomia será um capítulo a parte, com o melhor da comida brasileira - e,m algumas ocasiões, acompanhados de música e arte nacionais.

Entre os países já inscritos, estão EUA, França, Israel, Argentina, Uruguai, Coréia, Espanha, Singapura, Austrália, e as inscrições não param de chegar.

Amigos de Museus, pessoas ligadas a museus ou com interesse em arte em geral também podem participar do evento. Entre em contato e saiba como participar.

Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (11) 3217-4379 (MCI, empresa organizadora) ou (11) 3085-4402 (Feambra), pelo e-mail info@wffm2012saopaulo.com ou visualizadas no site www.wffm2012saopaulo.com


fonte:
http://www.feambra.org/detalhe_secao.php?codigo=373

Museus históricos são tema na abertura do ciclo Museus em Debate

Com o intuito de promover o diálogo entre os 30 museus integrantes do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) começa, no dia 15 de março, o ciclo Museus em Debate, que será realizado até novembro no auditório da sede do Ibram, em Brasília (SBN, Quadra 2, Bloco N, Lote 8 - sobreloja). A cada edição, o projeto aproximará pelo menos três museus da rede Ibram em torno de temas e recortes conceituais.

O tema escolhido para a o primeiro dos oito encontros agendados, Tempo e memória nos museus históricos, terá como debatedores os diretores Vera Tostes (Museu Histórico Nacional), Maurício Vicente Ferreira Junior (Museu Imperial) e Magaly Cabral (Museu da República). Ana Lucia de Abreu Gomes, do Curso de Museologia da Universidade de Brasília, fará a moderação. A mesa acontece das 9h às 12h e tem entrada franca.

A proposta curatorial do Museus em Debate foi desenvolvida pelo Departamento de Processos Museais (DEPMUS/Ibram), resultando em um ciclo inédito de encontros, que revelará visões diferenciadas sobre a atuação das instituições museológicas no país.

No encontro de estreia, os participantes discutirão novas abordagens e reflexões sobre as narrativas históricas submetidas à mediação dos museus. Mais que a escrita do passado, o encontro propõe um debate sobre o tempo, a memória e a história da escrita museal.

Texto: Ascom/Ibram

Bienal Naïfs do Brasil 2012 – inscrições abertas

Artistas Naïf, também conhecida como arte primitiva, ingênua, espontânea e popular, podem se inscrever até o dia 20 de abril para a seleção da 11ª edição da Bienal Naïfs do Brasil 2012. Podem se inscrever artistas brasileiros ou estrangeiros radicados no Brasil há mais de três anos e maiores de 18 anos.




Organizada desde 1992, a mostra realizada no Sesc de Piracicaba, em São Paulo, é referência no estilo não só para artistas, mas também para pesquisadores, colecionadores, galeristas, educadores e estudantes. Além da exposição (de 9 de agosto a 9 de dezembro), a programação da Bienal inclui oficinas, cursos palestras e apresentações artísticas.

Mais informações na Secretaria Geral do Sesc (19) 3437-9286
bienalnaifs@piracicaba.sescsp.org.br

Titanic inspira arquitetura de novo museu na Irlanda do Norte

Edifício é erguido no mesmo local onde o navio naufragado em 1912 foi construído
 

No dia 31 de março será inaugurado em Belfast, capital da Irlanda do Norte, o edifício "Titanic Belfast", erguido no mesmo local de construção do famoso navio Titanic, que naufragou em 14 de abril de 1912. Com projeto do escritório de arquitetura Civic Arts / Eric R. Kuhne & Associates, a arquitetura do museu tenta resgatar características de um navio, com quatro volumes apontados para direções distintas, representando as proas de uma embarcação. Um volume retangular central, com fechamento em vidro, conecta as quatro representações de proas.

Divulgação: Titanic Belfast
Volumes buscam representar a forma de uma proa de navio

A construção também tenta recriar a imagem de um navio em sua fachada: todo o edifício será revestido com cerca de 3 mil placas de alumínio dispostas de forma assimétrica, conferindo movimento ao edifício e "quebrando" a luz refletida, de modo a criar a ilusão de ondas marítimas.

Segundo o escritório, o edifício se expande a partir de uma planta modesta, criando uma série de pavimentos em balanço que aumentam o volume do prédio. "O edifício traz uma série de atrações em um grande espaço sem precisar passar por cima do que ainda existe do antigo estaleiro, que está sendo preservado de todas as formas possíveis", diz o escritório.

Internamente, o edifício conta com aproximadamente 12 mil m² de área divididos em cinco pavimentos de pé-direito duplo. Já os três pavimentos inferiores foram construídos de forma a relembrar as instalações de uma indústria de navios ou o fundo de um casco de navio. No local, é possível conhecer toda a história do naufrágio do Titanic.

Segundo o escritório de arquitetura responsável pelo projeto, a região de Queen's Island, onde está o novo edifício, deve se tornar um dos principais pontos turísticos de Belfast. A ideia da construção deste equipamento foi representar a importância da construção de navios no passado para o desenvolvimento da cidade.

Divulgação: Titanic Belfast
Interior tenta retratar interior de um navio


Divulgação: Titanic Belfast
Fachada é revestida com 3 mil placas de alumínio


Divulgação: Titanic Belfast
Edifício está localizado na região onde foi construído o Titanic


Divulgação: Titanic Belfast
Museu se tornará um dos principais pontos culturais do local

fonte:
http://www.piniweb.com.br/construcao/arquitetura/arquitetura-de-novo-museu-na-irlanda-do-norte-homenageia-o-253605-1.asp

O Museu Etnográfico Manuel Vicente Guerreiro vai passar a integrar a Rede de Museus de Almodôvar,

Almodôvar: Museu Etnográfico passa para a “alçada” da autarquia
O Museu Etnográfico Manuel Vicente Guerreiro vai passar a integrar a Rede de Museus de Almodôvar, o que significa que este espaço passa para a alçada da autarquia almodovarense.

 
 
A autarquia almodovarense e a Casa da Cultura de Santa Clara-a-Nova vão assinam hoje, um protocolo de colaboração que permite a integração do Museu Etnográfico Manuel Vicente Guerreiro (na foto) na Rede de Museus de Almodôvar.
A assinatura deste protocolo significa que a partir de agora é da responsabilidade do município assegurar todas as questões relativas à gestão do Museu, como a preservação do seu espólio, a renovação e divulgação de exposições e a limpeza do espaço.
Rui Santana, do município de Almodôvar, afirmou que se trata de um Museu que tem um espólio etnográfico muito significativo.
Ainda segundo Rui Santana o Museu Museu Etnográfico Manuel Vicente Guerreiro vai ser integrado na Rede de Museus de Almodôvar contribuindo assim para aumentar a oferta de quem visita aquela região. Este responsável avançou ainda que existe um projecto para a criação de um núcleo de Arte Sacra no Convento de Nossa Senhora da Conceição.
Inês Patola
 
fonte: