Listen to the text.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Projetos de pesquisa; de eventos científicos e CULTURAIS...para uso de supercomputador

USP e Rice University assinam convênio para uso de supercomputador


Evento contou com a participação de uma delegação de 30 pessoas da cidade de Houston, onde está situada a instituição norte-americana

Em cerimônia realizada no dia 27 de março, na Agência USP de Inovação, na cidade de São Paulo, a USP e a William Marsh Rice University assinaram um convênio, que promoverá o desenvolvimento de pesquisas e outras atividades acadêmicas e culturais entre as duas universidades, no qual está incluso um acordo de cooperação acadêmica e um acordo de colaboração para o compartilhamento de um supercomputador.
(da esq. p/ dir.) o reitor da Rice University, David Leebron; a prefeita da cidade de Houston, Annise Parker; e o reitor João Grandino Rodas na cerimônia.

No acordo de cooperação está previsto o intercâmbio de docentes e pesquisadores, elaboração conjunta de projetos de pesquisa; organização conjunta de eventos científicos e culturais; intercâmbio de informações e publicações acadêmicas; intercâmbio de estudantes; intercâmbio de membros da equipe técnico-administrativa; cursos e disciplinas compartilhados. E, a colaboração dará início a administração e ao uso compartilhado do supercomputador Blue Gene – um computador poderoso de investigação doado para a Rice pela IBM – que permitirá às duas instituições partilhar os benefícios do novo recurso.
Esta máquina deve ajudar a sinergia das colaborações científicas entre as duas universidades. A USP irá usar cerca de 30% da capacidade deste supercomputador para estudos inicialmente nas áreas de engenharia, física, estrutura de materiais, astronomia, previsão do tempo, ciências atmosféricas, clima, meio ambiente, design de fármacos, biotecnologia. Mas, a ideia é ampliar a utilização para outras áreas do conhecimento também.
“A utilização conjunta do supercomputador pela Rice University e pela USP, muito mais que um simples compartilhamento de um equipamento de alta tecnologia, significa a força de uma parceria eficaz entre as duas universidades”, disse o reitor João Grandino Rodas durante cerimônia de assinatura.
Segundo o superintendente de Tecnologia da Informação, Gil da Costa Marques, este compartilhamento faz parte do projeto da USP de criar um grande centro de dados para abrigar máquinas como este supercomputador para no futuro poder atender à demanda de computação de alto desempenho. Já o coordenador da Agência USP de Inovação, Vanderlei Salvador Bagnato, destaca que “este acordo não é somente um intercâmbio de pessoas, mas de conhecimento no qual a USP faz parte de um consórcio com outra universidade de primeira classe”.
O reitor da Rice University, David Leebron, celebrou a importância desta parceria. “Colaboração e parcerias têm um lugar de destaque na história da Rice como uma universidade de pesquisa preeminente, e é apropriado que ela comece seu segundo século com duas parcerias inovadoras que realçam os compromissos da universidade de expandir seu alcance internacional, fortalecendo a pesquisa e construindo laços mais fortes com nossa cidade sede”, comentou.
Além de membros da Rice, como o reitor e o pró-reitor de Pesquisa, George McLendon, estiveram presentes na cerimônia de assinatura uma delegação composta por 30 pessoas da cidade de Houston (EUA), onde está localizada a Rice University, entre eles a prefeita de Houston, Annise Parker; o presidente da Greater Houston Partnership (GHP), Jeff Moseley; e outros membros do GHP.
(da esq. p/ dir.) o reitor, a prefeita de Houston, e o vice-reitor Executivo de Relações Internacionais, Adnei Melges de Andrade, o qual afirmou durante assinatura que as "universidades não existem sozinhas e parcerias como esta traz benefícios mútuos".

Na ocasião, a prefeita Annise, que formou-se na Rice em 1978, disse que esta parceria entre as duas universidades é uma grande contribuição para desenvolver pesquisa e conhecimento. “Este acordo fortalece não apenas a Rice University, mas também a cidade de Houston” ressalta.
Blue Gene
O novo supercomputador Blue Gene, que ainda não foi nomeado, está programado para se tornar operacional em maio. Rice e IBM dividiram o custo do sistema.
Ao contrário dos computadores típicos, que possuem um único microprocessador, o supercomputador contém milhares de processadores. Isto o torna ideal para cientistas que estudam problemas complexos, porque trabalhos podem ser divididos entre todos os processadores e operam em questão de segundos em vez de semanas ou meses. Supercomputadores são usados para simular coisas que não podem ser reproduzidas em laboratórios – como o clima da Terra ou a colisão de galáxias – e examinam imensos bancos de dados como os usados para mapear os reservatórios subterrâneos de óleo ou para desenvolver tratamentos médicos personalizados.
Em 2009, o Presidente Barack Obama concedeu à IBM e à sua família de supercomputadores Blue Gene a Medalha Nacional de Tecnologia e Inovação, a mais prestigiada premiação nos Estados Unidos, dada a líderes inovadores em realização tecnológica.

fonte:
http://www.usp.br/imprensa/?p=19683

Evento de cultura popular do Brasil e como um sistema de vanguarda em Pernambuco, encontramos três importantes pilares neste projeto: cultural, social e ambiental

Recife sedia a tradicional Festa da Lavadeira



Este ano, a 26ª edição da Festa da Lavadeira será realizada, no Recife, no dia 1º de maio. O evento será no Bairro do Recife, região central da capital pernambucana. São cerca de 50 grupos culturais, todos de ritmos pernambucanos. A festa tem o apoio do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC).



A primeira edição da Festa da Lavadeira foi realizada em 1987 e, ao longo desses anos, se consagrou como o maior festival da diversidade cultural de Pernambuco e do Nordeste brasileiro reunindo um público médio de setenta mil pessoas. Em todas as edições, o evento foi realizado na Praia do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho.



A festa se tornou um produto turístico, em uma data de feriado nacional. “O Governo do Estado, através da Secretaria de Turismo e Empetur, vem investido no turismo étnico desde o ano passado e a Festa da Lavadeira é um caso de sucesso nessa área. É um ganho importante sob dois pontos de vista, tanto do turismo étnico, quanto do turismo de eventos, ela ter crescido e vindo para o Bairro do Recife e mais especificamente para o Marco Zero, por ser um espaço importante em eventos que são a cara do Estado”, salienta o secretário de turismo de Pernambuco, Alberto Feitosa.



Na edição de 2012, a festa tem a expectativa de público em torno de cem mil pessoas e para atender a este público o evento contará com quatro polos de animação cultural intermitente por dez horas seguidas de programação tradicional. Para o diretor presidente do evento, Eduardo Melo, a realização da festa no Recife vai oferecer uma maior visibilidade e acessibilidade a este projeto único de valorização e difusão da cultura popular.



No evento apresentam-se grupos das diversas regiões de Pernambuco e do Nordeste, integrando esta região e promovendo o encontro da identidade e diversidade cultural com apresentações ininterruptas no horário das 10h às 22h. A festa, nestes 25 anos, conquistou oficialmente o título de Patrimônio do Povo de Pernambuco e Patrimônio Imaterial do Estado de Pernambuco.



“O Sistema Jornal do Commercio não poderia deixar de apoiar o maior evento de cultura popular do Brasil e como um sistema de vanguarda em Pernambuco, encontramos três importantes pilares neste projeto: cultural, social e ambiental. O evento reúne mais de 1,5 mil artistas de diferentes tradições e estes grupos trabalham muito com o públicos jovem das comunidades”, Ivan Patriota, gerente de projetos especiais do Sistema Jornal do Commercio.





fonte:
http://ne10.uol.com.br/canal/cultura/noticia/2012/04/05/recife-sedia-a-tradicional-festa-da-lavadeira-336049.php

Exposição em Londres mostra animais por dentro

Elefante é exposto no Museu de História Natural de Londres

 
Uma exposição no Museu de História Natural de Londres mostra o corpo de animais por dentro, em um safári anatômico. São quase 100 espécimes em exibição, de pequenos sapos a um enorme elefante.
Para tornar possível ver o interior dos animais, foi usada uma técnica chamada plastinação, criada em 1977 pelo alemão Gunther von Hagens. Ao substituir a água nos tecidos corporais por silicone, ossos, músculos e veias se transformam em plástico e ficam perfeitamente conservados. A exposição fica em cartaz entre 6 de abril e 16 de setembro de 2012.

fonte:
http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5704209-EI8145,00-Exposicao+em+Londres+mostra+animais+por+dentro.html