Listen to the text.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Museu Amazônico realiza lançamento

No dia nacionalmente dedicado aos Povos Indígenas no Brasil, o Museu Amazônico promove o lançamento do "Catálogo das Coleções  Cursos d’Água Doce - Memórias de gentes e lugares nas coleções de um museu". Evento será no dia 19 de abril, às 19h, na sede do Museu.


Organizado pelo professor  Sérgio Ivan Gil Braga, com financiamento da PETROBRAS e do Ministério da Cultura, o Catálogo é resultado do projeto "Preservação e Conservação do Acervo do Museu Amazônico", patrocinado pelo Programa Preservação e Memória: Apoio a Museus, Arquivos e Bibliotecas -  PETROBRAS Cultural (Edição 2006/2007) e traz para o público os temas: Pesquisa e Documentação Histórica; Museologia; Arqueologia; Antropologia e Biblioteca.

Por meio do projeto citado, ainda vigente, o Museu Amazônico realizou importantes atividades museológicas, visando aperfeiçoar a preservação e a conservação de seu patrimônio histórico e cultural, como também promoveu a difusão de conhecimentos produzidos sobre a região Amazônica.

Entre as atividades realizadas estão: inventário do acervo; ações de restauro e conservação por meio de higienização, a partir do tratamento e guarda das peças; capacitação da equipe técnica e modernização do sistema de arquivamento; aumentando de sua capacidade de armazenamento e aperfeiçoamento das acomodações específicas para cada tipo de peça.

O Catálogo apresenta ao público a história do Museu Amazônico (criado em 1975, implantado em 1989 e inaugurado em 1991) e às coleções integrantes do seu rico e variado acervo, que tem sido referência para produção de conhecimento sobre Amazônia nos vinte anos de existência do Museu.

Informações  nos sites http://portal.ufam.edu.br
 e pelo telefone 3305-5200.

O Museu está localizado na Rua Ramos Ferreira, 1036 - Centro. 

Secretaria da Cultura lança o Programa Museus Paraná

Dentro das metas de governo estabelecidas para a atual gestão, a Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) lança nesta quarta-feira, 11 de abril, o Programa Museus Paraná. Trata-se de um projeto que envolve todo o Estado e irá beneficiar os museus municipais localizados nas diversas regiões do Paraná. O Programa consiste em três etapas: exposições itinerantes, capacitação e apoio técnico. O trabalho faz parte do plano gestor museológico, que visa organizar as ações realizadas nas instituições do Paraná. 

Clique na foto para ampliar



O Programa tem início com as exposições “Memória e Imagem: nas lentes de Guilherme Glück”, organizada pelo Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS) e o Instituto Federal do Paraná, e "Um Olhar Contemporâneo sobre a Lapa de Glück", durante o V Festival de Cinema da Lapa – Filmes de Época.
No decorrer do ano, diversas exposições com obras do acervo dos museus da SEEC irão percorrer as oito macrorregiões do Estado. As mostras serão realizadas de forma simultânea. Enquanto um município recebe uma exposição pertencente ao Museu Oscar Niemeyer, por exemplo, outra cidade tem a oportunidade de conhecer obras do Museu de Arte Contemporânea. Ao término da exposição, as obras seguem para outro município, até que todas as oito macrorregiões sejam contempladas, por meio de um revezamento de cidades.
O Programa Museus Paraná também irá propiciar a capacitação das pessoas que trabalham nos museus localizados no Estado. Em 2012, técnicos da Secretaria irão percorrer as oito macrorregiões e realizar cursos de uma semana, que englobam cinco áreas técnicas: conservação preventiva das obras, museografia (concepção do espaço), montagem de exposição, ação educativa e inventário. 
A terceira etapa do Programa consiste no apoio técnico, de acordo com as demandas de cada município. Dessa maneira, o representante do museu poderá passar um período em Curitiba para acompanhar o trabalho realizado na Coordenação do Sistema Estadual de Museus. Outra forma é o técnico da SEEC visitar a região e atender a solicitação.
No Paraná, existem aproximadamente 150 museus municipais. O levantamento está sendo realizado pela Secretaria de Estado da Cultura. Informações sobre o Programa Museus Paraná podem ser obtidas pelo telefone (41) 3321-4762 ou pelo e-mail cosem@seec.pr.gov.br.
Lapa
A exposição “Memória e Imagem: nas lentes de Guilherme Glück” é constituída de 62 fotografias. As fotos destacam a arquitetura, o cotidiano, as escolas, os desfiles patrióticos, enfim, uma diversidade de temas pelos quais a Lapa e as cidades ao seu entorno foram vistas através das lentes de Glück. Já a mostra "Um Olhar Contemporâneo sobre a Lapa de Glück", das fotógrafas Tânia Buchmann e Charly Techio apresenta uma exposição complementar com 20 imagens que buscam compreender as relações sociais e a dinâmica dessa comunidade largamente registrada por Glück.
A Lapa é a segunda cidade a receber o projeto de exposições itinerantes. Em fevereiro, a mostra “Pescadores da Tainha”, do Museu Oscar Niemeyer, foi apresentada em Castro.
Serviço
Lançamento do Programa Museus Paraná, com a abertura das exposições  “Memória e Imagem: nas lentes de Guilherme Glück” e "Um Olhar Contemporâneo sobre a Lapa de Glück", no V Festival de Cinema da Lapa – Filmes de Época.
Local: Saguão da prefeitura da Lapa, Casa da Música e Cine Imperial (Centro Histórico).
Período expositivo: de 11 de abril a 04 de maio de 2012.
Entrada gratuita.
Informações sobre o Programa Museus Paraná: telefone (41) 3321-4762 ou e-mail cosem@seec.pr.gov.br.

fonte:

História e cultura. Arqueologia e antropologia. Cidade do México

Arqueologia e antropologia marcaram encontro na Cidade do México. Resultado: amplo legado de civilizações que marcaram época e ditaram rumos mundiais.


Monumento dedicado à Revolução Mexicana, na Praça da República
O Museu de Antropologia é imperdível. Há quem o considere o melhor do mundo, no segmento.
Os museus de Arte Moderna, de História Natural, da Cidade do México e da pintora Frida Khalo, entre tantos outros (a capital mexicana tem mais de 20 museus), também seduzem por seus acervos riquíssimos.
Mas a cultura da Cidade do México reserva igrejas bem conservadas, como a imponente Catedral Metropolitana. E preserva um ultra ou mega Palácio de Governo, que também fica na Praça da Constituição.
Mas não é só. Há teatros em profusão, galerias de arte, templos e monumentos em praças públicas que contam a própria História do país. Isso sem contar as pirâmides, em torno da Cidade do México.
fonte: