terça-feira, 1 de maio de 2012

Museu da Imagem e do Som e a Cidade do Conhecimento inaugura projeto com moedas digitais


veja link do evento em www.rc.com.br/moedascriativas

Nos dias 29, 30 de abril e 1 de maio acontece o encontro Moedas Criativas: Fronteiras do valor na Economia da Cultura, realizado pelo grupo de pesquisas Cidade do Conhecimento, sob a direção do professor Gilson Schwartz, do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR). O evento, que tem lugar no Museu da Imagem e do Som (MIS), de São Paulo, apresentará e ampliará as perspectivas do projeto Moedas Criativas para a sociedade, a partir da criação de uma incubadora de conteúdos para novas mídias e infraestrutura nos mercados do audiovisual. A partir do conceito de "iconomia", a incubadora usa novos meios de pagamento digitais, as "moedas criativas". O modelo será objeto de palestras, debates e oficinas.


O projeto Moedas Criativas começou há cerca de dez anos e já ganhou dois prêmios do Ministério da Cultura. Segundo Gilson Schwartz, a proposta é fazer a reinvenção do dinheiro a partir das tecnologias de informação e comunicação. “O mantra do projeto é: moeda é mídia”, conta. As moedas criativas são um novo tipo de dinheiro, como a moeda de um game, com funções de meio de pagamento e financiamento de empreendimentos inovadores e conteúdos audiovisuais.

De acordo com o professor, a incubadora reflete pesquisas sobre a economia do audiovisual como a fronteira da geração de valor numa economia organizada a partir da cultura das redes sociais. As moedas entram em circulação a partir de uma teia de projetos apoiados por um Fundo de Moedas Imaginárias (FMI). “Nessa nova economia do audiovisual ou "iconomia", a incubadora fomenta a produção e o consumo de novos conteúdos e estruturas tecnológicas para a sociedade do espetáculo audiovisual digital, em todas as áreas, não apenas no entretenimento”, explica Schwartz.

A criação da moeda, a partir da mídia e de mídia a partir de moedas,  explicada pelos novos conceitos da iconomia, a educação, a cultura e a criatividade ganham uma nova forma de inclusão na cultura e na sociedade. Para Gilson, “a Cidade do Conhecimento, depois de uma década de experimentação, transforma-se em uma plataforma para o empreendimento de novas tecnologias e novas mídias”. O projeto tem o apoio do BNDES, AMD Foundation, Comissão Europeia, Pure Bros, UOL Jogos e Folha de S.Paulo.

Moedas Criativas: Fronteiras do valor na Economia da Cultura se baseará na metodologia do projeto que se divide em Pensar, Fazer e Brincar, divisão tomada também nos dias do encontro, que será constituído por discussões, palestras e oficinas com o foco nos três temas. Ao longo do evento também serão anunciadas novas parcerias e serão lançados o Fundo de Moedas Imaginárias (FMI) e o iRIOT (Interdisciplinary Research for the Internet of Things), um novo colaboratório para a discussão das Moedas Criativas com pesquisadores da POLI, Cidade do Conhecimento-ECA, FFLCH, Medicina e Faculdade de Direito da USP. 

Serão, ainda, lançadas três moedas, cada uma ligada a uma das divisões metodológicas: os Saberes são as recompensas para o Pensar, os Talentos para o Fazer e as Alegrias para o Brincar. As moedas serão creditadas em contas correntes digitais abertas por meio da participação em cada um dos dias do evento.

Confira aqui a programação completa.

A metodologia do projeto e do evento está ligada a uma aproximação da economia com uma área específica da comunicação audiovisual: os games. Associando-se à rede internacional Games for Change, o intuito é reinventar a forma de fazer cultura. “Queremos envolver a Universidade em uma nova rede para transformar a sociedade”, conta Gilson.

O evento é aberto ao público e gratuito, porém é necessária a inscrição prévia. Haverá transmissão online e, no último dia, um "pitching" de projetos com a participação de Marcelo Tas, Jorge Forbes e outras personalidades do mundo acadêmico e empresarial brasileiro e internacional.

Data: 29 e 30 de abril e 1 de maio
Horário: 29/4 - das 9h30 às 20h
                30/4 - das 10h às 20h
                1/5 -  das 10h às 12h
Local: Museu da Imagem e do Som de São Paulo (Av. Europa, 158 - Pinheiros)