sábado, 5 de maio de 2012

O Museu de História Natural deverá ser beneficiado com subvenção de...

Museu de História Natural deverá receber R$ 84 mil com aprovação da Câmara 

O Museu de História Natural deverá ser beneficiado com subvenção de R$ 84 mil concedida à Funat (Fundação de Apoio à Ciência e Natureza), com aprovação pela Câmara de Taubaté de projeto de autoria do Executivo, incluso em urgência na pauta da sessão dia 2. A proposta deve passar por segunda discussão antes de ser enviada para sanção do prefeito.

Pollyana Gama (PPS) chamou atenção para necessidade de divulgação e fomento do Museu pelo poder público, sugerindo que alunos da rede sejam levados à visitação do local. “É um local muito interessante, um passeio para a gente levar os filhos no fim de semana”, acrescentou a vereadora.
Chico Saad (PMDB) destacou a atuação do poder público, tanto Executivo quanto Legislativo, em prol do Museu. “Ajudamos a trazer um crânio de Tiranossauro Rex que estava nos Estados Unidos”, exemplificou.

Também sobre o Museu de História Natural, foi aprovado requerimento de Maria Teresa Paolicchi (PSC), que pede informações sobre a regularização do imóvel. Segundo ela, a instituição vem buscando apoio financeiro junto a órgãos públicos e iniciativa privada para desenvolvimento de projetos, e está com dificuldades de formalizar convênios porque depende da regularização do imóvel junto à Prefeitura.

A inclusão da Corrida Pedestre 1º de Maio da Vila São José no calendário oficial do município, projeto de vários vereadores, foi aprovada. O evento é realizado há 44 anos pela paróquia São José Operário.

Parecer contrário da Comissão de Justiça ao projeto que autoriza o município a ceder estagiários ao Tribunal de Justiça do Estado foi derrubado. Favorável ao parecer, integrante da Comissão de Justiça, Rodrigo Luis Silva “Digão” (PSDB), defendeu que a cessão de funcionárias da Prefeitura irá impactar a folha de pagamento.

Mário Ortiz (PSD) considerou a cessão irregular e o presidente da Comissão, Chico Saad justificou que elabora pareceres sobre projetos de acordo com a lei.

Presidente da Casa, Luizinho da Farmácia (PR) defendeu a derrubada do parecer. “Prefeitura sabe o que está fazendo, não cederia se não pudesse”.

A discussão de três propostas foi adiada: obrigatoriedade das escolas disponibilizarem no quadro de funcionários pessoa com curso de primeiros socorros, da vereadora Maria das Graças Oliveira (PSB), a declaração de cidades irmãs para Taubaté e Ubatuba, de Henrique Nunes, e a alteração na estrutura organizacional da Secretaria de Administração e Finanças.

Sobre a última proposta, incluída em regime de urgência, Digão chamou atenção que a mudança pode gerar gastos com pessoal acima do permitido na Lei de Responsabilidade Fiscal. Chico Saad defendeu o projeto e pediu adiamento da votação por uma sessão, solicitação aprovada em plenário.

fonte:
http://www.diariotaubate.com.br/display.php?id=26911

Paraíba: celeiro de moda ecológica e de viés cultural



Da semente desenvolvida há cerca de 15 anos pelo Embrapa na Paraíba, surgiu um tecido ecológico e sustentável que movimenta a cadeia produtiva da Moda: o algodão colorido.

O tecido associado ao rico artesanato local (renda renascença, macramê e bordados) garantiu identidade cultural para a produção do Estado. O grupo Natural Cotton Color, um pool de pequenas empresas paraibanas, tem marcado presença em eventos de negócios de Moda como Rio-à-Porter, So Ethic (Paris) e Pure London (Londres) atraindo exigentes clientes.

Em João Pessoa, periodicamente os empresários interessados em exportação recebem sugestões de adequação dos produtos para atender a demanda do mercado globalizado. A ação da Associação Brasileira das Indústrias Têxteis – ABIT por meio do Programa Texbrasil e apoio Apex-Brasil vem rendendo boa repercussão.


Pool de pequenas empresas da Paraíba faz moda com algodão ecológico e artesanato como a renda renascença. A adequação ao mercado globalizado levou a marca para eventos de negócios de Moda dentro e fora do país. Foto: Natural Cotton Color
Para atender a demanda crescente, a necessidade de capacitação atinge todos os níveis. Há esforços na esfera pública e privada que merecem destaque.

Entre os projetos desenvolvidos pelo Centro Vocacional Tecnológico de Confecções de João Pessoa – CVT -  Estação da Moda, órgão vinculado à Secretaria de Ciência e Tecnologia da Prefeitura Municipal, há cursos de modelagem, corte e costura voltados para formação de mão-de-obra para o mercado de trabalho. A instituição também realiza fóruns, workshops, células de criação e concursos (Fashiotech) para incentivar a produção autoral e dar visibilidade aos novos estilistas do Estado.


Em João Pessoa, a Estação da Moda - centro de capacitação vinculado à Prefeitura - garimpa novos estilistas por meio de concursos. Na foto, Anderson George e um dos vestidos da sua "Coleção Redes" premiada no I Fashiotech.


"Tecnologia Artesanal" é o tema do concurso realizado em João Pessoa-PB. A rede de descanso -- típica do Nordeste e de larga produção na Paraíba, foi a base para a criação do vestido desenvolvido pelo jovem estilista Anderson George. Foto: Flickr/AndersonGeorge

Os centros educacionais têm investido na formação de profissionais para a elaboração e gerenciamento de projetos para a indústria de confecção do vestuário. A CEFET-PB por meio da Funetec (Fundação de Apoio a Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba) oferece o Curso Técnico de Produção de Moda. E a universidade Unipê alcançou nota máxima do MEC em seu curso de formação superior de Tecnólogo em Design de Moda — tornando-se referência para o Brasil.

Ainda faltam estudos, mapeamentos e outros indicadores importantes para elaborar planos e ações  em busca da consolidação do setor. No entanto, a Paraíba deve garantir seu espaço no disputadíssimo mercado da Moda, sobretudo por ter escolhido o segmento ecofashion e de viés cultural.

Anotem aí. A Moda da Paraíba ainda será reconhecida como patrimônio cultural.

fonte:

Babel das Artes