quinta-feira, 31 de maio de 2012

Em sessão extraordinária plenário aprova proposta com 361 votos favoráveis. A aprovação foi comemorada pela ministra da Cultura, Ana de Hollanda, que acompanhou a votação no plenário.





    Brasília
    – A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 416/2005 que institui o Sistema
    Nacional de Cultura (SNC), foi aprovada por 361 votos a 1 em sessão
    extraordinária da Câmara dos Deputados desta quarta-feira, 30 de maio.

    A aprovação foi comemorada pela ministra da Cultura, Ana de Hollanda, que
    acompanhou a votação no plenário. Para a Ministra, a proposta torna clara a
    relação entre União, estados e municípios na área da cultura.

    “Vai se efetivar toda a relação entre os entes federativos para se
    construir uma política de Estado, que represente a diversidade do Brasil
    como um todo”, afirma.

    A PEC é considerada uma importante pauta legislativa do Ministério da
    Cultura (MinC) e essencial para o desenvolvimento e implementação do Plano
    Nacional de Cultura (PNC).

    O SNC será composto por representantes do MinC; do Conselho Nacional da
    Cultura; dos sistemas de Cultura dos estados, do Distrito Federal e dos
    municípios; das instituições públicas e privadas ligadas à promoção, ao
    financiamento e à realização de atividades culturais; e dos subsistemas
    complementares, como os sistemas de museus, de bibliotecas, de arquivos, de
    informações culturais, de fomento e de incentivo à cultura.

    O objetivo do Sistema é integrar as três instâncias governamentais
    (federal, estadual e municipal) e a sociedade brasileira em um interesse
    comum: o investimento na cultura nacional. O SNC também assegura a
    continuidade das políticas publicas na área cultural.

    O secretário de Articulação Institucional do MinC, João Roberto Peixe,
    explica que é um grande desafio construir um sistema nacional de cultura
    consistente e democrático, capaz de promover uma grande mudança qualitativa
    na gestão pública da Cultura.

    “O SNC é a grande oportunidade de a Cultura deixar de ser um componente
    periférico para ocupar seu espaço como um dos vetores do processo de
    desenvolvimento do país”, completa.

    Com a aprovação, o sistema passa a funcionar regularmente e possibilita a
    democratização dos processos de tomada de decisões importantes para o meio
    cultural, tais como a capacitação de pessoal, a formação de uma
    infraestrutura cultural (construção de bibliotecas, museus, teatros), além
    do financiamento a projetos em todos os municípios brasileiros.

    (Texto: Marcos Agostinho e Rosiene Assunção, Ascom/MinC)
    (Foto: Bruno Spada, Ascom/MinC)
     
    fonte:
    http://www.cultura.gov.br/site/2012/05/30/camara-analisa-pec-do-sistema-nacional-de-cultura/C%C3%A2mara

BNDES apoiará com R$ 882 mil preservação do Museu Casa do Pontal Leia Mais: http://www.ultimoinstante.com.br/setores-da-economia/setor-bancos-financas-investimentos/72656-BNDES-apoiar-com-882-mil-preservao-Museu-Casa-Pontal.html#ixzz1wRwcFtaY

Projeto foi selecionado no âmbito da Chamada Pública 2010/2011 do Programa de Preservação de Acervos do Banco.

30 de maio de 2012 - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no âmbito do seu Programa de Preservação de Acervos, aprovou apoio financeiro não reembolsável de R$ 882 mil ao Museu Casa do Pontal, no Rio de Janeiro. Os recursos serão utilizados em ações de catalogação, conservação e acondicionamento das peças, ampliação do sistema de segurança e obras de prevenção a inundações.
O Museu é considerado o mais completo do País no segmento de arte popular. Seu acervo reúne cerca de 8 mil obras de 200 artistas brasileiros, resultado de mais de 40 anos de pesquisas e viagens feitas no País pelo designer francês Jacques Van de Beuque (1922-2000), que veio para o Brasil com o fim da 2.ª Guerra Mundial.
Entre os artistas expostos estão os pernambucanos Mestre Vitalino, Luís Antônio, Antônia Bezerra Leão, Baé, Adriano e Antônio Barbosa; os mineiros Ana do Baú, Cícera Candida, Adão de Lourdes e Antônio Julião; os cearenses Ciça e Celestino; os fluminenses Adalton Fernandes Lopes e Dadinho; os goianos Antônio Poteiro e Lunildes; e os baianos Mestre Didi e Otávio.
O Museu Casa do Pontal está instalado em um sítio de 12 mil metros quadrados no Recreio dos Bandeirantes. Apesar de ocupar mais da metade da área do município, a Zona Oeste do Rio de Janeiro tem poucos equipamentos culturais. Com esse projeto, pretende-se consolidar o Museu Casa do Pontal como o principal centro cultural da região, contribuindo para descentralização da oferta de cultura, lazer e turismo da cidade.

Acervos – O presente projeto foi apresentado ao BNDES pela Associação dos Amigos da Arte Popular Brasileira — OSCIP responsável pela gestão do Museu Casa do Pontal —, no âmbito da Chamada Pública 2010/2011 do Programa de Preservação de Acervos do Banco.
A partir desta edição, o edital do Programa de Acervos passou a ser bienal, com orçamento ampliado para R$ 24 milhões. Os valores máximos por projeto passaram a R$ 1 milhão, no caso de projetos individuais (de que é exemplo o Museu Casa do Pontal), e R$ 5 milhões, no caso de projetos-âncora (apoio a diversas coleções de uma instituição ou ações em rede reunindo várias instituições).

A lista com os projetos selecionados para compor o Cadastro Reserva, por ordem de classificação, está disponível no site do BNDES, neste link: http://migre.me/9d7J3. Tais projetos serão convocados para aprofundamento da análise orçamentária e jurídica. Conforme forem sendo contratados, novos projetos serão convocados da lista, sempre pela ordem de classificação estabelecida no cadastro.

(Redação - www.ultimoinstante.com.br

Festas do Espírito Santo em fotografia no Museu de Angra (.pt)

A mostra apresenta fotografias da autoria de Mari Lyn e Vernon Salvador, datadas de 1976/77, e que integraram a exposição “Portuguese religious celebrations in the Azores and California”, patente em diversas instituições norte-americanas, no Museu de Etnologia, em Lisboa, e, nos Açores, entre 1981 e 1983.



Festas do Espírito Santo em fotografia no Museu de Angra



Mari Lyn Salvador, nascida na Califórnia em 1943, tem desenvolvido a sua carreira profissional em torno do estudo da etnoestética e da valorização da arte no seu contexto de criação. Curadora-chefe do Museu Maxwell de Antropologia da Universidade do Novo México desde 1978, transitou, em 2005, para a direção do San Diego Museum of Man e, em 2009, para a direção do Museu Emily Hearst de Antropologia da Universidade da Califórnia.

Com o marido, Vernon Salvador, de ascendência terceirense, executa a partir de 1976-1978, levantamentos e registos audiovisuais das Festas do Espírito Santo nos Açores e nas comunidades de emigrantes na Califórnia.


Em 2011, regressa à Terceira, acompanhada pelo filho Sérgio Salvador, e retoma o registo fotográfico do culto do Divino, dando continuidade ao  projeto de criar, através da fotografia, uma espécie de lugar onde um mesmo povo, os que ficaram e os que emigraram, se pode refletir e ligar no que foi separado pelo espaço e pelo tempo.

 

fonte:

http://ww1.rtp.pt/acores/index.php?article=27177&visual=3&layout=10&tm=10