Listen to the text.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Obras-primas de museu francês vêm pela primeira vez ao Brasil



Rio -  Obras consagradas, arquitetura  única e o charme francês. O Museu d’Orsay, em Paris, é um dos museus mais visitados do mundo e não é à toa. Localizado no Jardin des Tuileries, na margem esquerda do Rio Sena, o espaço abriga a mais importante coleção de obras impressionistas do mundo.
No entanto, a partir de agosto, os brasileiros não precisarão cruzar o Atlântico para apreciar obras de gênios como Monet, Van Gogh, Cézanne e Renoir que pertencem ao acervo do museu francês. Pela primeira vez, 85 obras do d’Orsay estarão no Brasil para a exposição “Impressionismo: Paris e Modernidade, Obras-Primas do Acervo do Museu d’Orsay de Paris, França”. A mostra vai de 4 de agosto a 7 de outubro, no CCBB de São Paulo, e de 22 de outubro de 2012 a 13 de janeiro de 2013, no CCBB do Rio de Janeiro.
Organizada em seis módulos, a exposição tem como foco a cidade de Paris, mas também dedica um segmento aos artistas que partiram para o campo em busca de uma alternativa para a agitada vida moderna, como é o caso de Monet e Gauguin. “Trata-se do maior projeto da história do CCBB. É a nossa maior ação na área cultural e será um marco para o Brasil”, afirma Marcos Montoan, gerente do CCBB São Paulo.
Entre as principais obras está o “Tocador de Pífaros”, de Manet, pintura recusada no Salão Oficial de Paris em 1867 – o escritor francês Émile Zola ajudou a tornar a tela histórica escrevendo um ensaio sobre ela.
SERVIÇO:
São Paulo:
De 4 de agosto a 7 de outubro de 2012
Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo (Rua Álvares Penteado, 112, Centro)
Agosto - Terça a domingo - 9h às 22h
Setembro e Outubro: Terça a domingo, das 10h às 22h
Informações: (11) 3113-3651 / 3113 - 3652
Rio de Janeiro:
De 22 de outubro de 2012 a 13 de janeiro de 2013
Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro (Rua Primeiro de Março, 66, Centro)
Terça-feira a domingo, de 9h às 21h
Informações: (21) 3808-2020
As informações são da repórter Luisa Girão, do iG 

Museus são opções de lazer e conhecimento


Os museus do Alto Tietê são opções de lazer e conhecimento para crianças e adultos. No local, os visitantes podem ter acesso às histórias e cultura.

O Museu Municipal de Itaquaquecetuba tem uma exposição que homenageia Romero Brito. O local, que foi reaberto em 2011, traz, considerado pelos especialistas, o símbolo da cultura pop moderna.

O artista brasileiro também tem suas obras expostas pelo mundo.

No museu, os visitantes também podem ter acesso a exposições de desenhos e artesanato.

Em Mogi das Cruzes, a população pode conhecer uma exposição de peças do artesanato japonês no Parque Centenário, inclusive a réplica do navio Kasatu Maru, que trouxe os imigrantes japoneses para o Brasil.

O Museu da Festa do Divino, que reabriu em maio em Mogi das Cruzes, tem uma exposição de peças raras que fazem parte da história da festa na cidade.

Os visitantes podem ver o chapéu de Nhá Zefa, uma das devotas mais conhecidas da Festa do Divino e um livro de ouro de 1934, assinado pelo casal Joaquim e Francisca de Mello Freire.



Visitas aos museus do Alto Tietê

- Museu Municipal de Itaquaquecetuba

Endereço: Padre João Álvares, 49, Centro
Quando: de terça-feira a domingo
Quanto: gratuito
Informações: 4642-5076

- Museu do Parque Centenário

Endereço: Avenida Francisco Rodrigues Filho, distrito de César de Souza, Mogi das Cruzes
Quando: de terça-feira a domingo
Quanto: gratuito

- Museu do Divino Espírito Santo

Endereço: Rua Coronel Souza Franco, 759, Centro, Mogi das Cruzes
Quando: de terça-feira à sexta-feira
Quanto: gratuito

O Dreamland - Museu de Cera com sede em Gramado desembarcou para uma temporada de três meses no Shopping Palladium em Curitiba.

Museu de Cera
Quem já se imaginou visitando uma exposição que é uma verdadeira terra de sonhos e fantasias? Um mundo mágico onde é possível ir ao encontro de ídolos famosos, ficar "cara a cara" com cada um deles. 


O Dreamland - Museu de Cera com sede em Gramado desembarcou para uma temporada de três meses no Shopping Palladium em Curitiba. Assim como os famosos museus europeus e americanos, o Dreamland apresenta personagens reproduzidos com fidelidade. As peças são confeccionadas fielmente nos mesmos ateliês que reproduzem para os grandes museus. 


A exposição na capital paranaense conta atualmente com 49 personagens, entre eles grandes nomes como Angelina Jolie, Elvis, Justin Bieber, Homem Aranha, Fiona, Harry Potter, Michael Jackson, Leonardo Di Caprio, Amy Winehouse, Madonna, John Wayne, Jack Sparrow, entre outros. No decorrer dos três meses, o Dreamland - Museu de Cera em Curitiba receberá outras peças para aguçar ainda mais a curiosidade dos visitantes.


fonte:
http://www.jmnews.com.br/noticias/persona/11,23203,19,07,i-congresso-internacional-juridico.shtml

Spcvb congrega mais de 150 associados no museu do futebol




São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB) congregou mais de 150 associados para um café da manhã de relacionamento nesta quinta-feira, dia 19, no auditório do Museu do Futebol. O evento incluiu uma concorrida palestra do consultor Maurício Louzada.
Pedro Sotero, diretor executivo do Museu do Futebol, abriu o encontro destacando a importância dessa parceria para mostrar que museus também são espaços para eventos corporativos. Na palestra motivacional intitulada D.N.A. Vencedor, Maurício Louzada apontou atitudes que podem ser incorporadas no dia a dia e que contribuem para superar adversidades e atingir o sucesso profissional e pessoal. Louzada é autor do livro Pra Valer e ministra cursos, palestras e treinamentos de liderança em empresas e universidades de todo o país.
Colocar os associados frente a frente é uma forma de incentivar trocas de experiências e novas oportunidades  de negócios. Promover o encontro dentro de um importante equipamento turístico e cultural de São Paulo, com uma palestra de um renomado consultor, torna essa vivência ainda mais enriquecedora, destaca Toni Sando, presidente executivo do SPCVB. O Secretário de Turismo de Ilhabela, Harry Finger, também prestigiou o evento.
Foram convidados gestores e colaboradores de empresas associadas, de 57 setores relacionados ao turismo. O evento contou com patrocínio da Accor Meeting Rewards e com apoio do Museu do Futebol; Maurício Louzada Motivação, Estratégia, Resultados; Cappuccino Mania; Expressão Stúdio; e Tec Mobile Aluguel de Tablets.
Sobre o SPCVB
Com 28 anos de existência e primeiro Convention & Visitors Bureau da América do Sul, o São Paulo Convention & Visitors Bureau é uma fundação estadual de direito privado, sem fins lucrativos, congregando atualmente mais de 650 associados-mantenedores, que representam todos os segmentos do trade turístico paulistano. Seus objetivos são a ampliação do número de visitantes e o aumento de sua estadia, por meio da promoção, capacitação, captação, geração e incremento de eventos.
Para isso, a entidade busca integrar setores da sociedade em parcerias público- privadas para dinamizar o volume de negócios e o mercado de consumo, contribuindo para o desenvolvimento econômico do destino, a melhoria da qualidade de vida e renda de seus habitantes e para receber cada vez melhor os visitantes. Os recursos financeiros da Fundação são provenientes da mensalidade de seus associados mantenedores, de parcerias e da contribuição facultativa do room tax junto aos hóspedes dos hotéis associados.
Imagens disponíveis nos links:
http://www.scritta.com.br/files/spcvb/Cafeassociadosgrupo-2012.JPG
Equipe do SPCVB e grupo de participantes
http://www.scritta.com.br/files/spcvb/Cafeassociados-2012.JPG
Maurício Louzada, palestrante; Toni Sando do SPCVB; Pedro Sotero do
Museu do Futebol
Acesse www.visitesaopaulo.com
Siga no Facebook (@sãopaulotudodebom), no Twitter (@visitesaopaulo)
e no Linkedin (São Paulo Convention & Visitors Bureau)
S c r i t t a
Jornalista responsável: Paulo Piratininga – MTPS 17.095
Contato: Katja Jardim
Tel./fax: 11/5561-6650 ou 11/3588-6650
E-mail: katja@scritta.com.br
www.twitter.com/scrittainforma
www.scritta.com.br
Julho/2012

Museus do Ceará guardam memória do Estado



Uma terra é formada por pessoas, relacionamentos e costumes. Com o passar dos anos, como estabelecer uma ponte entre povos separados pela distância temporal? Guardando as recordações vivenciadas em outra época, os museus atuam resgatando aquilo que precisa ser contado.
Em meio aos costumes regionais, o Ceará salva as lembranças em seis museus estaduais. Museu Sacro São José de Ribamar, o único em Aquiraz, Museu do Ceará, Museu da Imagem e do Som do Ceará, Museu de Arte Contemporânea, Memorial da Cultura Cearense e Sobrado Dr José Lourenço, todos em Fortaleza, são os acervos cearenses abertos ao público.
O professor universitário de História e Ciências Políticas, Francisco Moreira, considera que os museus tem um papel fundamental na inserção social dos habitantes locais. “Faz com que as pessoas entendam a história local e, a partir daí, se reconheçam como atores sociais”, diz. Na prática, isso significa que as pessoas compreendem que também podem construir a história, a partir de ações pessoais.
Além disso, os museus atraem o mercado do turismo. “Ele guarda a memoria de um povo, guarda aspectos importantes das fundações, da cultura. Também existem museus específicos, com peças representativas sobre um período, refletindo e determinado aspectos culturais, construindo uma identidade”, explica.
O professor Moreira ainda afirma que a relação escola e museus deveria sempre acontecer. “Você leva o jovem ao museu e ajuda na questão da história, pois ele começa a entender, vai ter uma noção melhor, vai assimilar melhor. Dessa forma, ele gera uma visão mais adequada dos fatos históricos”, diz.
Museu Sacro São José de Ribamar
Museu Sacro São José de Ribamar. Foto: Divulgação
Inaugurado em 1967, o Museu Sacro São José de Ribamar (MSSJR) foi o primeiro museu sacro instalado no território cearense, no prédio da antiga Casa de Câmara e Cadeia, edificação erguida entre fins do século XVIII. O local, que agora é patrimônio histórico tombado, passou a abrigar um conjunto de objetos religiosos de vários municípios e paróquias cearenses.
Ao todo são 1400 peças, entre santos, anjos, objetos das procissões religiosas, parâmetros litúrgicos, missais etc. muitas de notório valor artístico e cultural, que nos remetem ao barroco colonial cearense. A última reforma aconteceu entre os anos de 2009 e 2010.
Museu do Ceará
Museu do Ceará. Foto: Divulgação
Considerado como a primeira instituição museológica oficial do estado, o Museu Histórico do Ceará foi criado em 1932, mas aberto oficialmente ao público em janeiro de 1933.
O Museu do Ceará possui um acervo com cerca de sete mil peças, resultado de compras e doações de particulares e instituições públicas. Entre moedas e medalhas, há quadros, móveis, peças arqueológicas, artefatos indígenas, bandeiras e armas. Há também peças de “arte popular” e uma coleção de cordéis publicados entre 1940 e 2000 (950 exemplares).
Alguns objetos se referem aos chamados “fatos históricos”, como a escravidão, o movimento abolicionista e movimentos literários, como a famosa “Padaria Espiritual”, que entrou para a História da Literatura Brasileira com especial destaque.
Museu da Imagem e do Som do Ceará
Museu da Imagem e do Som do Ceará. Foto: Divulgação
Inaugurado em 1980, o Museu da Imagem e do Som do Ceará (MIS-CE) é responsável, desde sua fundação, pela preservação, difusão e pesquisa da memória audiovisual do estado. A última reforma aconteceu em no dia 7 de agosto de 1996.
O acervo do MIS-CE é estimado em 150 mil peças: entre discos de música brasileira e internacional (de 78, 45 e 33 e ½ rotações), CD’s, fitas de áudio, de rolo, cassete e micro-cassete, um acervo de imagem (fotografias cópia papel e digital) com imagens de Fortaleza Antiga, de outros municípios cearenses, de personalidades, festas e folguedos populares, artistas populares (cordelistas, artesãos, escultores, etc) cromos e negativos, filmes de diretores cearenses e registros de danças e festas da cultura popular tradicional (em diversos formatos como vídeos betacam, betamax,VHS e super VHS, DVD, H-8, películas de 16mm e 35mm, etc.), depoimentos de personalidades da história do Ceará, cordéis, partituras e muitos outros objetos que contam a história registrados em suportes audiovisuais.
Além do acervo disponibilizado ao usuário, o MIS possui biblioteca especializada (em fase de reorganização), sala de projeção multimídia e espaços expositivos.
Dragão do Mar
Centro Cultural Dragão do Mar. Foto: Jangadeiro Online
O Centro Dragão do Mar possui dois museus: Museu de Arte Contemporânea do Dragão do Mar (MAC) e Memorial da Cultura Cearense (MCC).
O MAC conta com mais de mil obras no acervo. As peças são de autoria de artistas plásticos brasileiros e estrangeiros. Também estão sob a guarda do MAC peças da Pinacoteca do Estado e do acervo do pintor Antônio Bandeira.
No MCC, há exposições de longa e duração e temporárias. Atualmente, as de longa duração são: Vaqueiros, que percorre o universo do vaqueiro a partir da ocupação do território cearense pela pecuária até a atualidade. Utiliza cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro; e Brinquedo – A Arte do Movimento, com brinquedos que pertenciam a Coleção Macao Goes.
Sobrado Dr. José Lourenço
Sobrado Dr José Lourenço. Foto: Divulgação
Construído na segunda metade do século XIX, o Sobrado Dr José Lourenço foi moradia, consultório médico, oficina de marcenaria, repartição pública, bordel e, atualmente, é patrimônio tombado do Ceará. Foi restaurado em 2006 pelo Governo do Estado, com patrocínio da Oi, através da Lei Rouanet, e parceria da Oi Futuro. Dessa forma, foi inaugurado, em 31 de julho de 2007, um local com nova destinação: ser um espaço de convivência das artes visuais do Ceará.



fonte:
http://www.jangadeiroonline.com.br/ceara/museus-do-ceara-guardam-memoria-do-estado/

Em Londres, museu ganha projeto para galeria subterrânea



Os arquitetos da AL_A foram escolhidos, entre outras seis propostas, para projetar a galeria subterrânea para o museu V&A, em Londres. O novo espaço será utilizado para instalações artísticas, café e funcionará como uma rota de passagem para o prédio principal.

A construção contempla a vista para a arquitetura do museu e também permite a entrada de luz natural por meio de janelas de vidro no teto.
Segundo os arquitetos, o design foi concebido pensando nas relações entre o antigo e o moderno e contemplou os estilos arqutetônicos neogótico e neoclássico.

A inaguração do espaço está prevista para 2015.

Divulgação
Assinado pelo escritório AL_A, a galeria subterrânea tem influências contemporâneas e clássicas
Assinada pelo escritório AL_A, a galeria subterrânea do museu V&A tem influências contemporâneas e clássicas

fonte:
http://classificados.folha.com.br/imoveis/1118759-em-londres-museu-ganha-projeto-para-galeria-subterranea.shtml

Pintura apreendida em Miami pode ser de Matisse


MIAMI, 18 Jul (Reuters) - Uma suposta pintura do mestre francês Henri Matisse roubada de um museu da Venezuela há mais de uma década foi recuperada em uma operação policial secreta em um hotel de Miami Beach, nos Estados Unidos, disseram autoridades nesta quarta-feira.
Um homem e uma mulher que supostamente tentaram vender a obra "Odalisca com Calça Vermelha", de 1925, a agentes do FBI por 740.000 dólares foram presos e acusados de posse de bens roubados.
Pedro Antonio Marcuello Guzman, de 46 anos, de Miami, e Maria Martha Elisa Ornelas Lazo, de 50 anos, da Cidade do México, se apresentaram a um tribunal em Miami e podem pegar até 10 anos de prisão se considerados culpados.
Marcuello negociou a venda da obra, que foi roubada do Museu de Arte Contemporânea de Caracas, de acordo com um comunicado do Departamento de Justiça. A pintura está avaliada em aproximadamente 3 milhões de dólares.
"Marcuello teria admitido aos agentes disfarçados durante uma reunião que sabia que a pintura era roubada e ofereceu vender o quadro roubado por cerca de 740.000 dólares", segundo o comunicado.
Marcuello, então, providenciou que a pintura fosse trazida do México por uma pessoa identificada como Ornelas.
De acordo com o depoimento, Ornelas chegou do México na segunda-feira carregando um tubo vermelho contendo a pintura. No dia seguinte, Marcuello e Ornelas se reuniram com os agentes infiltrados e exibiram a obra.
"Após a inspeção feita pelos agentes secretos, a pintura pareceu coerente com a pintura original de Henri Matisse que foi roubada do museu", acrescentou o comunicado.
Matisse, que é considerado um dos pintores que revolucionaram o cenário da arte na primeira metade do século 20 ao lado de Pablo Picasso, é um alvo popular de ladrões de arte e dezenas de suas obras estão desaparecidas.



fonte:
http://diversao.terra.com.br/arteecultura/noticias/0,,OI6001895-EI3615,00-Pintura+apreendida+em+Miami+pode+ser+de+Matisse.html