sábado, 28 de julho de 2012

Vídeo mostra as possibilidades não exploradas pelo Google Glass



Curta-metragem mostra mundo ficcional em que a realidade aumentada se tornou parte integrante do cotidiano.

VÍDEO 8min
Quem se decepcionou com as possibilidades oferecidas pelo Google Glass tem no curta-metragem Sight uma oportunidade de ver os possíveis desenvolvimentos futuros da tecnologia. O vídeo mostra um cenário ficcional em que displays integrados à visão humana controlam toda a nossa vida digital.
A produção é resultado de um projeto de conclusão de curso da Academia de Belas Artes de Bezaleal, realizado por Eran May-raz e Daniel Lazo. No mundo criado por eles, a única tela de que precisamos para interagir com o ambiente virtual está localizada dentro de nossos próprios olhos.
Embora as ideias apresentadas no vídeo se mostrem um pouco exageradas em certos momentos, muito do conteúdo mostrado já pode ser feito pelas tecnologias de que dispomos atualmente. De certa forma, as limitações apresentadas pela invenção da Google podem ser consideradas algo positivo, especialmente quando se leva em conta o fato de que é possível desativá-los facilmente e voltar a viver a vida da maneira “normal”.


fonte: http://www.tecmundo.com.br/realidade-aumentada/27395-video-mostra-as-possibilidades-nao-exploradas-pelo-google-glass.htm#ixzz21wC9EJqv
 



Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/realidade-aumentada/27395-video-mostra-as-possibilidades-nao-exploradas-pelo-google-glass.htm#ixzz21wBioqHB

Museu das Comunicações da URI é incluído no Cadastro Nacional de Museus


A semana começou com uma ótima notícia para a URI Santiago: O Museu das Comunicações foi incluído no Cadastro Nacional de Museus, o que ampliará e fortalecerá as ações direcionadas ao campo museológico brasileiro, acredita Karla Inês Uzêda, a Chefe do Núcleo do Cadastro Nacional de Museus, do Instituto Brasileiro de Museus- IBRAM. O comunicado foi feito na última sexta-feira, 20 de julho, à Pro-Reitora de Ensino da URI, Professora Rosane Vontobel Rodrigues, a idealizadora e também Coordenadora deste projeto. Segundo Rosane, isso nos incluirá em todas as publicações sobre museus do Ministério da Cultura.

O Museu das Comunicações da URI, inaugurado em 2009, é um espaço criado para servir de ligação entre o mundo da comunicação e a sociedade. No espaço, é possível visualizar rádios, máquinas fotográficas, jornais, revistas, livros e o acervo literário de escritores santiaguenses. Entre seus objetivos estão:

- Despertar a consciência coletiva de que museu é um serviço público a serviço do público, para transformar os saberes das comunidades; 
- Recuperar a memória da comunicação na região; 
- Resgatar a história do rádio, das rádios de Santiago, seus comunicadores e divulgá-la através de exposições;  
- Divulgar para as comunidades o patrimônio material e imaterial preservados pelo Museu das Comunicações.


Segundo o Instituto Brasileiro de Museus, “os museus são casas que guardam e apresentam sonhos, sentimentos, pensamentos e intuições que ganham corpo através de imagens, cores, sons e formas. Os museus são pontes, portas e janelas que ligam e desligam mundos, tempos, culturas e pessoas diferentes. Os museus são conceitos e práticas em metamorfose”. Venha conhecer o Museu das Comunicações da URI Santiago, agora, incluído no Cadastro Nacional de Museus.

fonte:

Muhpan inicia projeto cultural que envolve a comunidade pantaneira


Com patrocínio da Petrobras, por meio da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), o Museu de História do Pantanal (Muhpan) inicia em agosto a primeira etapa do projeto Janelas Culturais, com a realização de uma oficina profissionalizante na área de artesanato sobre técnicas de manuseio de matéria-prima da região.
Janelas Culturais envolverá as comunidades de Corumbá e região e também as populações ribeirinhas que vivem isoladas na beira do Rio Paraguai com várias atividades. Uma delas, o "Patrimônio Itinerante", onde o museu apresentará parte do seu acervo histórico, que conta a ocupação do Pantanal em oito mil anos.
Numa fase seguinte, será desenvolvido o "Pelas águas eu vou", onde educadores do museu navegação ao longo do Rio Paraguai para promover atividades culturais e ecológicas com alunos das escolas ribeirinhas, chamadas de escolas das águas. Serão contempladas as comunidades de São Lourenço, Paraguai-Mirim e Porto Esperança.
Inscrições abertas
Na primeira ação - "Casarão de Novidades" - a oficina profissionalizante e de geração de renda ensinará técnicas de utilização do couro do peixe para a produção de bolsas, cintos, carteiras, agendas e bijuterias. O curso será realizado de 1º a 10 de agosto, no Muhpan, ministrado por integrantes da Associação Amor Peixe.
As inscrições são limitadas e gratuitas e podem ser feitas no museu, instalado no prédio Wanderley & Baís, rua Manoel Cavassa, 275, porto geral de Corumbá. Outras oficinas serão ministradas durante o projeto com temas em torno da história que compõe o acervo do Muhpan. Informações: telefones 3232.0303/9982.8607.
O projeto Janelas Culturais tem o apoio do Governo Federal, Prefeitura de Corumbá e Ibram (Instituto Brasileiro de Museus).
O museu
O Museu de História do Pantanal é uma iniciativa da Fundação Barbosa Rodrigues (FBR), viabilizado com patrocínio da Petrobras e Instituto Votorantim e supervisão do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Conta com rico acervo sobre a ocupação humana na região até a chegada dos imigrantes no século 20.

fonte:

Museus Brennand, em Recife, rico em cerâmica e cultura


Embora muito diferentes entre si, e diferentes de tudo o que você já viu, os dois centros mais importantes centros culturais do Recife têm algo em comum: o sobrenome Brennand. A Oficina Cerâmica Francisco Brennand é um misto fascinante de museu, galeria de arte, jardim e atelê comandado por Francisco Brennand, o mais notável ceramista brasileiro vivo. 

No início dos anos 1970 o artista começou a transformar a antiga fábrica de telhas e tijolos de sua família num grande espaço para sua própria obra. São aproximadamente 100.000 m² de puro delírio visual, com jardins, labirintos, fontes e templos apinhados de esculturas que parecem pertencer a um mundo mágico e misterioso, Francisco Brennand por dar formas exóticas, e eróticas, a seus trabalhos, tais como imensos pássaro, cobras, mutantes, totens indecofráveis, falos estilizados, nádegas, seios, vaginas e o que mais a imaginação permitir alcançar. 

Museus Brennand em Recife
Museu Brennand é o mais notável museu de cerâmica brasileiro

Tudo isso reunido, o Museu Brennand tem cerca de 2.000 peças, forma um conjunto que deixa os visitantes pasmos e encantados. Criado por um primo de Franscisco, o Instituto Ricardo Brennand, por sua vez, tem uma linha voltada para o passado do Brasil e do mundo. O empresario Ricardo Brennand colecionava objetos e obras de arte desde 1950. 

Para abrigar todas as peças que possui, construiu em sua propriedade, próxima à do primo, uma réplica de um castélo medieval que conta até com fosso e ponte levadiça. Lá, acomodou suas coleções de armaduras, facas, espadas e tapeçarias antigas de países como Itália, França, Alemanha, Turquia e Japão. Entre os 3.000 itens está a coleção de 15 quadros do pintor paisagista holandês Frans Post, que, no século XVII, retratou a vida em Pernambuco a mando do colonizador Maurício de Nassau. 

Onde fica: A Oficina Cerâmica Francisco Brennand fica na Avenida Caxangá, km 16, Várzea. Fone: (81) 3271-2466. Preço do ingresso: R$ 4,00. 

O Instituto Ricardo Brennand fica na Alameda Antônio Brennand, km 14, Várzea. Telefone: (81) 2121-0352. Ingresso gratuito. 
Horário de funcionamento: os Museus Brennand ficam abertos de terça a domingo. 

Fotos Museus Brennand em Recife

MUSEU VIVO

Museu da cidade inova no período de férias e recebe visitantes de forma diferente.

vídeo de 3min

fonte:
http://www.youtube.com/watch?v=BLFAKmamv5c&feature=BFa&list=UUh6e1_rbI_pUASvnLV_nyxQ

Vídeo 4min. Museu privado serve de depósito para obras de arte





O Geneva Freeport, na cidade suíça de Genebra, considerado o maior museu privado do mundo, é utilizado por especuladores de obras de arte como depósito. Com peças avaliadas em milhões de dólares, ele tem como um de seus atrativos a isenção do pagamento de impostos e taxas de transação.

fonte: