quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Publicação apresenta panorama da cultura no Brasil


Lançada no último dia 30 de agosto, a publicação “Panorama Setorial da Cultura Brasileira” traz uma ampla pesquisa de mercado, que ouviu e qualificou os dados de quem produz e quem investe em cultura no país. O livro é uma realização do Ministério da Cultura e da Vale, por meio da Lei Rouanet, com apoio da ESPM.
Os agentes da cadeia produtiva cultural brasileira estão preparados para os novos desafios do mercado cultural? Quais são suas fontes de informação e referências para se organizarem dentro do setor? Essas questões foram o ponto de partida para a pesquisa. Para respondê-las, as autoras – Gisele Jordão e Renata Allucci – e sua equipe entrevistaram cerca de 500 produtores culturais e 40 investidores, da iniciativa privada e do governo.
O objetivo principal foi disponibilizar informações de qualidade, pioneiras e inovadoras para o setor cultural, além de facilitar o planejamento de atividades dos atores dessa cadeia produtiva, ou seja, os agentes (artistas, produtores e fornecedores), viabilizadores (iniciativa privada e governo), difusores (pontos de distribuição de produtos culturais e divulgadores) e o público consumidor.
A pesquisa aponta dados que revelam bastante instabilidade no setor. Por exemplo, na questão sobre remuneração, 72% dos produtores entrevistados afirmam que sua remuneração é variável, apenas por trabalho realizado. Só 14% são produtores contratados. 63% deles dependem de remuneração advinda de outras atividades, revelando como é difícil para o produtor manter-se focado exclusivamente nessa atividade.
Quando perguntados “quais são as dificuldades encontradas no seu trabalho?”, 50% respondem que é o profissionalismo das equipes envolvidas num projeto cultural, e 42% que a segunda maior dificuldade é ser bem relacionado para conseguir aprovar o projeto com os investidores.
A pesquisa também revela diversos aspectos sobre como pensam os investidores da iniciativa privada e governamental. Embora todos os grupos apresentem considerações sobre a importância da cultura no desenvolvimento social, orientações distintas são percebidas em cada um deles. Para a iniciativa privada, percebe-se que o investimento é prioritariamente um meio de comunicação e de associação positiva para a marca do patrocinador. Para o poder público, observa-se que a formação de cidadãos e o desenvolvimento socioeconômico estão em primeiro plano.
Para a iniciativa privada, o projeto deve apresentar consistência e compromisso com o resultado, além de ter continuidade e conciliar interesses públicos e privados. Já para o poder público, deve ter planejamento, ser sustentável, desenvolver e despertar o público para a arte, para a consciência cultural, não servir apenas para distrair, além de garantir acessibilidade e diversidade.
A pesquisa foi construída com base em três métodos combinados. A desk-reserch, que contempla pesquisas anteriores sobre cultura no país, além de referências estrangeiras, com dados existentes entre 2007 e 2012. A pesquisa qualitativa foi feita com os investidores de cultura públicos e privados. E a pesquisa quantitativa, com produtores culturais de todo país.
O livro abre com o histórico da cultura no Brasil, desde quando sua estruturação começou mais efetivamente, na década de 1930, até os dias atuais. Em seguida, um mapa conceitual apresenta as perspectivas que nortearam a pesquisa, suas intenções e caminhos de compreensão para melhor aproveitamento na análise dos dados. Todo o material é recortado por experiências e iniciativas culturais, narradas jornalisticamente.
A publicação está disponível para download no site http://panoramadacultura.com.br/pscb11.html#livro_panorama

Museu da USP oferece cursos na área de Arqueologia e Etnologia


Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP) promove mais uma edição dos “Encontros de Formação Para Professores”, projeto realizado pela Divisão de Apoio à Pesquisa e Extensão.
Em setembro as aulas tratarão de temas e ferramentas variadas, como kit de brinquedos indígenas e ação educativa em museus.
As aulas têm custo Catraca Livre e são indicadas a profissionais da área de educação, arqueologia e etnologia. Outros de talhes e inscrições pelo email stm@usp.br ou via telefone, pelo número (11) 3091-4905.
O Museu fica na Av. Professor Almeida Prado, 1466 – Cidade Universitária, São Paulo.

fonte;

Museu da CBF vai ter Eike Batista como curador


A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) planeja construir um museu para  a sua nova sede, no Rio de Janeiro, e  o curador será  o empresário mais rico do Brasil, Eike Batista.
A notícia foi dada com exclusividade para o DIÁRIO  pelo presidente da entidade, José Maria Marin.
O dirigente  falou  sobre o  museu e revelou a parceria com o empresário.  Segundo o mandatário da CBF, Eike aceitou prontamente o convite feito por ele, pelo vice-presidente da entidade e presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo del Nero, e pelo  diretor jurídico da Confederação Brasileira, Calos Eugenio Lopes.
De acordo com o assessor de imprensa da CBF, Rodrigo Paiva, o memorial está previsto para ser inaugurado no segundo semestre de 2013.
A área de comunicação da entidade programa uma entrevista coletiva para os próximos dias para fornecer mais detalhes sobre o  acervo e a colaboração de Eike Batista no projeto.  
O MUSEU/ O memorial ficará instalado no  prédio recentemente adquirido pela CBF na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e receberá um  amplo acervo do futebol  de todo o país.
“O museu vai se tornar o grande ponto de referência histórica no nosso futebol, com camisas, calções, chuteiras, ingressos, filmes e mais uma infinidade de peças”, afirmou Marin.
Vão ficar expostos importantes  objetos, como a primeira taça conquistada pela seleção brasileira em sua história e as réplicas  dos troféus dos cinco títulos mundiais erguidos pela seleção, em 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002.
Marin garantiu que o museu será um prato cheio para os amantes do futebol nacional.  “Serão objetos e imagens que fizeram parte da vitoriosa história do nosso futebol, da qual o torcedor brasileiro tem saudade e gostaria de conhecer, porque está na memória de todos nós”, completou o presidente da CBF.
A ideia é que esse memorial receba um acervo maior do que o do Museu do Futebol, em São Paulo.

fonte:

Liminar suspende mostra no MAM de SP por suspeita de plágio


Uma liminar concedida por um juiz da 28ª Vara Cívil de São Paulo mandou suspender a mostra "Encontros de arte e gastronomia", que ocorria desde 3 de setembro no Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo. O fechamento nesta terça-feira (11) ocorre após uma acusação de plágio feita pela designer Simone Mattar. O museu nega qualquer irregularidade (veja nota abaixo) e divulgou ata de reunião para mostrar que a ideia é anterior à sugestão da artista.
Simone afirma que em junho do ano passado ofereceu ao curador do MAM, Felipe Chaimovich, um projeto igual, negado por falta de "interesse no tema". "Ofereci oficialmente o projeto em junho, mas ele já sabia antes da ideia. Tenho todos os emails como prova. Ele não só copiou a ideia, como usou o discurso do meu projeto. Faz sete anos que pesquiso isso: a ideia de colocar uma cozinha dentro de uma sala de exposição é minha", disse Simone ao G1. A designer prepara para o ano que vem uma mostra no Sesc com a proposta de seu projeto original.
O MAM informa que recebeu "com surpresa" a notificação da liminar e que entrou com recurso pedindo a cassação. O museu também informa que a sala onde ocorria a mostra "Encontros de arte e gastronomia" está fechada e as atividades, suspensas. 

De acordo com a assessoria de imprensa do MAM, a versão de plágio "não tem fundamento e não encontra amparo nos fatos", já que a ideia de realizar uma mostra de arte e gastronomia foi apresentada por Chaimovich em maio de 2011. O MAM registrou a aprovação da sugestão em uma ata datada de maio de 2011 e disse ainda que o conteúdo da mostra "não guarda nenhuma semelhança com a exposição sugerida" por Simone Mattar.
Na mostra, duplas formadas por chefes e artistas visuais criam "experiências artístico-degustativas". A plateia fica instalada na parede oposta, numa arquibancada própria para acompanhar todos os movimentos da cozinha.

Posicionamento do MAM
Veja abaixo íntegra da nota:
"São Paulo, 11 de setembro - O Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM- SP) recebeu com surpresa a decisão liminar da 28ª Vara Civil de São Paulo determinando o fechamento da
exposição “Encontros de Arte e Gastronomia”, atualmente em cartaz no museu, na Sala Paulo Figueiredo.
A decisão atende ao pedido da artista Simone Mattar, que reivindica, equivocadamente, a autoria da mostra. O Museu já pediu a revisão da liminar e aguarda posição da Justiça. A
versão de que o MAM plagiou ideia da mostra não encontra amparo nos fatos. Sobre o assunto, esclarecemos que:
A ideia de realizar uma mostra de arte e gastronomia no MAM de São Paulo foi apresentada pelo curador do Museu, Felipe Chaimovich, em maio de 2011.
A sugestão foi examinada e aprovada pela instituição em reunião de diretoria em 30 maio de 2011, conforme consta de Ata devidamente registrada em cartório (ver documento anexo)
A proposta da artista Simone Mattar foi apresentada ao MAM em 15 de julho de 2011, portanto dois meses após o MAM ter decidido em reunião de diretoria que realizaria uma mostra do gênero em suas dependências.
Além de ter sido concebida antes de receber a proposta de Simone Mattar, a mostra do MAM não guarda nenhuma semelhança com a exposição sugerida por ela.
O projeto enviado pela artista Simone Mattar se dividia em duas partes: uma mostra da história do “food design” e a instalação de um restaurante no MAM.
A mostra Encontros de Arte e Gastronomia (ver release em documento anexo), tem configuração completamente distinta. Com curadoria de Felipe Chaimovich, curador do MAM, e do chefe Laurent Suaudeau, a exposição reúne duplas de chefes e artistas plásticos para executar receitas experimentais numa cozinha montada na sala Paulo Figueiredo, com interação do público - estrutura concebida pelo MAM e em nenhum momento contemplada no projeto de Simone Mattar.
Cada dupla de chefes tem completa liberdade para desenvolver seus projetos e fisicamente, o centro do evento é uma cozinha industrial, com foco no preparo do alimento, e não um restaurante como proposto por Simone Mattar.
Também não há no evento nenhuma mostra de “food design”, diferentemente do que propunha Simone Mattar.
Devido à liminar ainda em vigor, as atividades da mostra estão temporariamente suspensas.
A mostra “Histórias às margens”, que faz uma panorâmica da obra da artista Adriana Varejão, segue aberta normalmente ao público.
O Museu de Arte Moderna de São Paulo confia que a ação é resultado de mal entendido e aguarda pronunciamento da Justiça."

fonte:

Museu da Imigração inaugura exposição sobre origens das famílias brasileiras



Mostra fotográfica convida a uma reflexão sobre as variadas características físicas que constituem a cultura do Estado e do País
O Museu da Imigração - instituição da secretaria de Estado da Cultura - inaugura a exposição "Origem. Retratos de família no Brasil". A mostra conta com 24 fotografias de famílias brasileiras de diferentes gerações que foram registradas durante 15 anos pela fotógrafa Fifi Tong, conhecida no meio publicitário como uma das grandes retratistas brasileiras. O resultado foi um projeto impactante que pode ser conferido a partir desta quarta, 12, às 20h, no Shopping Plaza Mooca, na capital.

A exposição convida a uma reflexão sobre as variadas características físicas que constituem a cultura do País. As imagens da mostra são acompanhadas por trechos de depoimentos de um membro de cada família, narrando sua trajetória e como adaptaram as tradições e os modos de vida de seus locais de origem aos seus novos espaços de vivência.

De acordo com Marília Bonas, presidente interina do Museu da Imigração, "a reunião dessas obras e histórias indica um estudo interessante de como essas famílias contribuíram para a constituição da cultura, território e identidade da cidade de São Paulo, do estado e do país".

O Museu

O Museu da Imigração do Estado de São Paulo está em processo de restauro das edificações e implantação de nova exposição de longa duração. Com o fechamento de suas instalações, o Museu tem desenvolvido atividades em plataforma web ou ainda em parceria com outros equipamentos, sejam eles acadêmicos, culturais ou comerciais, de modo a dar visibilidade às suas ações.

SERVIÇO
Exposição "Origem. Retratos de família no Brasil", do Museu da Imigração
De 12 a 30/09, das 10h às 22h (feriados - das 14h às 22h)
Espaço Gourmet do Shopping Plaza Mooca (rua Capitão Pacheco e Chaves, 313 - Mooca - São Paulo)

Do Portal do Governo do Estado

Seixal recebe Congresso Internacional Ecomuseums 2012




O movimento dos ecomuseus teve a sua origem no final dos anos 1960, em França, colocando o foco no papel desempenhado pelos museus na aproximação das pessoas ao seu património e aos seus lugares. Quando os museus tradicionais se centravam ainda nas coleções fixadas nos limites físicos de um edifício, esta nova abordagem começou a demonstrar os limites e as dificuldades da anterior. 

Mais recentemente, os ecomuseus estabeleceram-se por todo o mundo, com objetivos e formatos diferenciados: museus de ar livre, museus de comunidade, museus de território ou museus de feição aparentemente mais convencional.

De 19 a 21 de setembro, o Seixal recebe o Congresso Internacional Ecomuseums 2012, a primeira conferência internacional de ecomuseus e museus de comunidade, que vai juntar académicos, investigadores e museólogos no Fórum Cultural do Seixal e no Núcleo da Mundet do Ecomuseu Municipal.

Por acolher o mais antigo e bem sucedido ecomuseu em Portugal, o Seixal surgiu como uma escolha natural para receber o evento. Discutir os caminhos comuns, as divergências e o futuro destes equipamentos na salvaguarda dos patrimónios em prol das comunidades são os objetivos do congresso. 


Os temas propostos para o congresso são vastos e abrangem áreas como a evolução dos ecomuseus, a relação entre as comunidades e o seu património (seja ele natural, cultural ou industrial), o turismo, o ambiente, as minorias étnicas ou a arquitetura. No site do evento pode consultar a listagem das apresentações admitidas.

O programa inclui uma visita técnica aos núcleos e extensões do Ecomuseu Municipal do Seixal, entre eles o Moinho de Maré de Corroios, a antiga fábrica corticeira Mundet e as embarcações tradicionais do rio Tejo. 

O Ecomuseums 2012 tem o apoio da Câmara Municipal e do Ecomuseu Municipal do Seixal, do International Journal of Heritage and Sustainable Development e do Heritage Scope.