Listen to the text.

sábado, 15 de setembro de 2012

Encontro "Conexões Criativas", que trará no dia 17 um tema imprescindível: modelos de financiamento aos empreendimentos criativos


Caros Amigos e Colegas,
Tanto tem acontecido nas searas da economia criativa e das cidades criativas, que aproveito a newsletter deste mês para fazer um compilado. São escritos, vídeos, cursos e palestras, cabendo uma menção especial ao encontro "Conexões Criativas", que trará no dia 17 um tema imprescindível: modelos de financiamento aos empreendimentos criativos (em anexo).
Para tanto, terei o prazer de apresentar duas experiências emblemáticas, com colegas do Triodos Bank (Holanda) e do Arts Council (Reino Unido), em realização do Instituto Pensarte e com apoio do Consulado da Holanda e do British Council. Às 19h30, no Theatro São Pedro, com entrada gratuita e, para os colegas de fora de São Paulo, streaming por www.pensarte.org.br e www.criaticidades.com.br
Até lá!
Abs,
Carla
 
Escritos
a) Artigo no Canal RH, sobre a atuação privada nas políticas de economia criativa.
b) Livro editado pela Telefónica, com diferentes visões sobre economia criativa. 
c) Artigo na Folha de São Paulo, sobre os hábitos culturais dos paulistanos.
 
 
Vídeos
a) Edições de maio a agosto do "Conexões Criativas"
b) Seminário "Cultura e Transformação Urbana", no SESC Belenzinho
c) Entrevista para o programa Conversa S/A, 11/09
 
 
Próximas palestras em setembro
21/09 - Economia Criativa e Turismo (Tiradentes) - caminhos para uma cidade criativa.
24/09 - Seminário de Patrimônio Cultural (Ouro Preto) - http://seminariopatrimoniocultural.blogspot.com.br/p/programacao.html
28/09 - Conferência Internacional Criatividade, Território e Regeneração Urbana (Portugal) - http://www.centrocultural.cm-ilhavo.pt/pages/3?event_id=717
 
 
Cursos
a) Curso a distância em "Gestão de Empreendimentos e Cidades Criativas" - oferecido pela Universidade Nacional de Córdoba, em português e espanhol
b) Máster em "Economia Creativa" da Universidade Rey Juan Carlos (Madrid)

abç.
Carla

Abertas inscrições para o Conexão Artes Visuais MinC/Funarte/Petrobras



Programa vai contemplar 20 projetos com prêmios de R$ 45 mil

Inscrições até 31 de outubro de 2012
Inscrições até 31 de outubro de 2012
Estão abertas as inscrições para a terceira edição do Conexão Artes Visuais MinC/Funarte/Petrobras. Com investimento total de R$ 1,5 milhão, o programa viabilizará a realização de obras, mostras, palestras, seminários, debates, oficinas, residências, mapeamentos, publicações e exposições, entre outras ações de fomento às artes. Ao todo, 20 proponentes serão contemplados e cada um deles vai receber R$ 45 mil para colocar o seu projeto em prática. As inscrições, gratuitas, estão abertas até o dia 31 de outubro de 2012, para pessoas físicas ou jurídicas de todo o país.
Os proponentes têm total liberdade para escolher o tema de seus projetos, assim como o local onde serão desenvolvidos. O objetivo é contemplar projetos de produção artística experimentaldereflexão crítica e de profissionalização dos processos de gestão cultural. As atividades e os produtos gerados por meio do edital serão oferecidos gratuitamente ao público. “Em sua terceira edição, o Conexão torna ainda mais democrático o acesso às artes visuais, abrindo oportunidades para que artistas e produtores de todo país possam viabilizar os seus projetos e multiplicar essas ações por diversos estados brasileiros”, diz o presidente da Funarte, Antonio Grassi.
A análise dos projetos inscritos será feita por uma comissão composta por cinco integrantes de notório saber sobre a produção nacional na área das artes visuais. Serão avaliadas a excelência dos projetos, a exequibilidade dos prazos propostos, a estratégia de planejamento das ações e a divulgação para o público-alvo.
Em suas duas primeiras edições, o programa Conexão Artes Visuais viabilizou 65 projetos de fomento às artes visuais.  Museus ampliaram seus acervos, produtores montaram seminários, oficinas e exposições, artistas produziram pesquisas e obras de arte. Juntas, as duas edições atingiram um público direto de mais de 141 mil pessoas e um público indireto de mais de 3,8 milhões pessoas. Ao todo, foram 580 ações gratuitas diretas e indiretas, entre encontros, debates, exposições, mostras, oficinas, intervenções e palestras. Os projetos envolveram 1.444 profissionais no total, entre artistas, produtores, críticos, curadores, profissionais técnicos etc. O programa promoveu, assim, a geração de empregos, o intercâmbio entre artistas, críticos e produtores e a formação de público.
Mais informações
conexao@funarte.gov.br

Ciclo de palestras abordará temas relacionados ao museu de arte

O Museu de Artes Visuais (MAV) da Unicamp promoverá entre os dias 13 de setembro e 4 de outubro o ciclo de palestras intitulado Museu de Arte: relações entre o artista, a obra e o público. O evento ocorrerá sempre às quintas-feiras, a partir das 18 hoas, no Salão Nobre da Faculdade de Educação (FE). As inscrições, gratuitas e disponíveis ao público em geral, estão abertas e podem ser feitas através do site do MAV, neste endereço. “As pessoas que assistirem a três das quatro palestras programadas terão direito a certificado”, informa a diretora do MAV, professora Maria de Fátima Morethy Couto.

De acordo com ela, as conferências abordarão temas como a história, a estrutura e as estratégias dos museus nas Américas e a presença da fotografia em um museu de artes visuais, entre outros. Foram convidados para falar ao público Roberto Magalhães (Università Internazionale dell’arte – Florença), Mônica Zielinsky (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS), Helouise Costa (MAC/USP), João Frayze-Pereira (Universidade de São Paulo - USP), Luise Weiss (Unicamp) e Marcelo Moscheta (Unicamp).

A docente explica que este é o terceiro evento promovido pelo MAV, mas o primeiro no formato de ciclo de palestras. Os anteriores foram encontros com duração de dois dias. “Desta vez, pretendemos aprofundar ainda mais as reflexões em torno dos temas propostos. Penso que as discussões vão trazer contribuições importantes para o MAV, que está se estruturando e na expectativa de ver iniciada a construção a sua sede. Brevemente, a licitação para a execução do projeto arquitetônico, que foi todo elaborado na própria Universidade, deverá ser aberta”, prevê.

Entre os objetivos do ciclo de palestras, conforme a diretora do MAV, está a melhor compreensão do papel de um museu universitário e a sua relação com a comunidade interna e externa e artistas. Nessa linha, continua a professora Maria de Fátima Couto, o professor Roberto Magalhães trará mais uma contribuição ao ministrar um workshop, no qual falará a um grupo específico sobre as características dos museus de diversos países. “Isso vai nos ajudar pensar, por exemplo, em aspectos que comporão tanto o nosso organograma quanto o nosso regimento interno”, acredita. A docente lembra que o MAV já conta com um acervo de aproximadamente mil obras, doado pela Galeria de Arte do Instituto de Artes (IA), que continua em plena atividade.

Comentários

Oportunidade e privilégio

Quando leio uma notícia como esta penso no quanto somos privilegiados aqui na Comunidade Unicamp, que com estas inciativas também alcança as externas. Penso nas oportunidades que trarão a tanta gente, em vários moldes. Fico feliz de ver a Arte renascer nestes últimos tempos como essencial e beneficiadora. Parabéns a todos os envolvidos neste processo do MAV e pela realidade que se tornou.
Email: 
aquarela68@gmail.com
 
fonte:
http://www.unicamp.br/unicamp/noticias/2012/09/10/ciclo-de-palestras-abordara-temas-relacionados-ao-museu-de-arte

Museu da Unemat recebe a exposição Flor da Terra


Flor da terra é o nome da exposição da artista plástica Ita, que será inaugurada no dia 21 de setembro, primeiro dia da primavera, no Museu da Unemat, em Cáceres. Composta de 15 esculturas, trabalhadas em argila, a criação tem como tema árvores do Cerrado.
 
A artista, que cresceu em região do Cerrado, conta que se encanta com a exuberância da flora característica do bioma, tantas vezes destruído pela ação do homem. “O Cerrado é muito resistente, todo ano pega fogo e volta cada vez mais bonito”, disse.
 
A técnica usada por ela, denominada Mosaico em Cerâmica Terracota, permite a produção de peças em alto relevo e com formatos variados que se encaixam e formam grandes e pesados painéis, medindo cerca de 90x64 cm cada. O conjunto é feito com cerâmica triturada e argila e cada peça é moldada manualmente.