Listen to the text.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Tatu-bola da Caatinga é mascote da Copa

Estamos felizes com a escolha do tatu-bola (Tolypeutes tricinctus) como mascote da Copa do Mundo de 2014. Isso nos dá a oportunidade de falar mais sobre esta espécie que só existe no Brasil e que está ameaçada de extinção.

Este pequeno animal vive nas regiões da Caatinga e Cerrado. Ele é diferente porque não cava buracos. Para se defender dos predadores se esconde dentro da carapaça. Ainda assim fica vulnerável à caça (é muito procurado como alimento nestas regiões).

Mas não é só a caça que ameaça o tatu-bola. A Caatinga e o Cerrado já perderam mais da metade de sua cobertura vegetal devido à urbanização e ao aumento das atividades agrícolas. Não só o tatu-bola como outros animais estão em risco nestes biomas. Até porque a Caatinga é exclusivamente brasileira e tem espécies que só existe por ali mesmo.

A proposta do tatu-bola foi apresentada pela organização não-governamental Associação Caatinga, sediada no Ceará. E assim como o nome da bola “Brazuca”, o nome do mascote também será escolhido pela internet.




O tatu-bola não cava buracos. Para se defender ele se esconde na carapaça, mesmo assim fica vulnerável para caça. A escolha do mascote gerou um projeto que será apresentado à Fifa para conservação da espécie com  investimentos de patrocinadores da Copa do Mundo de 2014. (Foto: Divulgação/Associação Caatinga/Mark Payne-Gill/NaturePL.


fonte:
babel das artes