Listen to the text.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

6º Curso Básico/Teórico de Museologia e Museografia - MusIAL (Museu do Instituto Adolfo Lutz)



Prezado(a)s
 
Quando, em meados de maio pp, enviei este pôster referente ao nosso 6º Curso Básico/Teórico de Museologia e Museografia - MusIAL (Museu do Instituto Adolfo Lutz), havia uma incorreção em relação à data final de inscrições.
 
Corrigida a imperfeição, envio, em anexo, a nova versão e reitero o pedido de ajuda na divulgação do mesmo.
 
Será um Curso Comemorativo dos 120 anos do IAL (desde sua fundação como Instituto Bacteriológico, em 1892, por Dr. Adolpho Lutz)
 
Agradecemos antecipadamente.
Abraço fraterno
 
Pedro Antonio Federsoni Junior
PqC - Núcleo de Acervo - Museu
Diretoria Geral do IAL
 
De: Pedro Antonio Federsoni Junior pfedersoni@gmail.com

Presidente do Ibram anuncia projetos e investimentos para Museu Imperial


bram vai liberar verbas para obras de adequação dos setores técnicos.
Biblioteca Acessível do Museu Imperial também foi inaugurada.

Do G1 Região Serrana
Comente agora
  •  
O Museu Imperial de Petrópolis não foi afetado pelas chuvas. (Foto: Reprodução TV Globo)Museu Imperial  (Foto: Reprodução TV Globo)
Nesta terça-feira (25)  o Museu Imperial de Petrópolis, cidade serrana do Rio, recebeu a visita do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), José do Nascimento Jr. Ele conheceu alguns dos projetos da instituição e falou à imprensa sobre novidades relacionadas ao Instituto e ao Museu.
O primeiro anúncio disse respeito à conquista, pelo Museu Imperial, de seu segundo registro nacional no Programa Memória do Mundo, da Unesco, que classifica acervos documentais como patrimônios da humanidade, divulgado nesta segunda-feira (24) pela equipe do G1.  Em 2010, o título foi recebido pelos documentos relacionados às viagens de d. Pedro II e, agora, o conjunto agraciado foi a Coleção Carlos Gomes do Museu Imperial.
“Esse é o segundo título recebido pelo Museu Imperial e o interessante é que presta uma homenagem a um grande artista brasileiro, o maestro Carlos Gomes. O prêmio mostra a qualidade dos museus brasileiros, em especial o Museu Imperial, pois ele não seria possível sem o trabalho de preservação que o Museu vem realizando”, afirmou Nascimento.
O diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr., destacou a variedade do acervo presente na coleção. “Temos itens arquivísticos e bibliográficos, reunindo, assim, dois setores do Museu, o Arquivo Histórico e a Biblioteca”, disse.
Entre os itens, o diretor destacou as aquarelas dos cenários da primeira montagem da ópera “O Guarani”, realizada em Milão, e um hino encomendado a Carlos Gomes pelo imperador d. Pedro II para ser apresentado na Exposição Universal da Filadélfia, que comemorou o centenário da Independência norte-americana, em 1876. “Aproveito para anunciar em primeira mão que, durante o 5º Fórum Nacional de Museus, a ser realizado em Petrópolis em novembro, a Orquestra da Universidade Católica de Petrópolis irá executar o hino”, completou.
Museu vai receber obras em setores técnicos
Outra importante novidade anunciada foi a liberação de verbas do Ibram ao Museu Imperial para obras de adequação dos espaços dos setores técnicos. “O Ibram destina recursos durante todo o ano para a manutenção dos museus, mas, nesse caso, faremos um investimento especial. O Museu Imperial tem a necessidade de adequação dos seus espaços, o que é um processo natural, uma vez que, ao longo do tempo, o museu vai repensando suas atividades, recebendo novos acervos e criando novas demandas”, explicou Nascimento.
O terceiro anúncio foi sobre a inauguração da Biblioteca Acessível do Museu Imperial, que reúne livros em Braille e audiolivros, de forma a permitir o acesso à leitura a deficientes visuais. A partir de agora, será possível fazer empréstimos dessas obras e, caso os interessados tenham dificuldade em ir até o espaço, poderão solicitar a outras pessoas que retirem os títulos. Para marcar a inauguração, foi realizada uma contação de histórias para deficientes visuais, na qual arte-educadores utilizaram recursos sensoriais para compor os enredos.

fonte:

As obras expostas são do Acervo do Museu Olho Latino


A artista plástica Piki recebe homenagem nos
40 anos de Artes da PUC-Campinas
  
Vista parcial da mostra.
   
A Faculdade de Artes Visuais está comemorando os 40 anos de Artes na PUC-Campinas com uma série de eventos que se realizarão nesse segundo semestre de 2012. Com o mote “A arte de formar artistas” está acontecendo o primeiro evento dessa série com a mostra de “Pinturas e Esculturas” da artista plástica Maria Aparecida Bueno de Mello (1919-2009), conhecida pelo pseudônimo artístico Piki. A exposição estará aberta até 05 de outubro da Galeria de Arte da Faculdade de Artes Visuais da PUC-Campinas.

A abertura da mostra, inaugurada em 17 setembro, foi presidida pelo Prof. Flávio Shimoda, Diretor da Faculdade de Artes Visuais, contando com a palestra sobre a artista feita pelo Prof. Dr. Paulo Cheida Sans. As obras expostas são do Acervo do Museu Olho Latino e essa instituição cultural foi representada pela Diretora Adjunta Celina Carvalho. A sobrinha da artista, Carmen Sílvia Erbolato, representou os parentes e amigos recebendo a menção para a artista outorgada pela Faculdade de Artes Visuais. Entre os presentes estavam a artista Éden Franchi, amiga e colega da artista, e também o Diretor da Faculdade de Arte da PUC Peru, Prof. Alberto Agapito.

Obra da artista plástica Piki.

O curador da mostra, Paulo Cheida, diz que escolheu 16 obras para a exposição, sendo 09 pinturas, que representam parte da produção contemporânea da artista exposta na Bienal Nacional de São Paulo em 1976 e que alcançou grande repercussão na época, e uma pintura feita em pastel seco sobre papel, realizada no início de sua carreira nos anos 40, a qual retratou a sua mãe “Hilda”. Compondo a mostra também estão seis esculturas feitas em épocas distintas, representando a variedade de técnicas e materiais que a artista usava.
Piki foi aluna dos grandes artistas campineiros Lélio Coluccini e Thomaz Perina. Entre seus alunos de destaque está o artista plástico Francisco Biojone, que iniciou seus estudos em Artes com a artista.

Artista plástica Piki (1919-2009).

Piki foi professora da disciplina Escultura no Curso de Educação Artística da PUC-Campinas desde a sua fundação, em 1972. Lecionou nesta instituição de ensino até meados da década de 90. Foi uma artista ativa e em 2008, um ano antes de falecer, expôs no Museu de Arte do Parlamento de São Paulo, cujo curador e crítico Emanuel von Lauenstein Massarani na ocasião disse: “o interesse da artista sempre foi pela fórmula: formas "cor" luz, todas móveis e vibrantes. Ao evidenciar o problema luminoso na linguagem expressiva do relevo pictórico e na visão de espaços oníricos e siderais ela encontra sua confluência”.
Vale conferir a qualidade das obras da artista. A exposição poderá ser visitada até 05 de outubro, de segunda a sexta-feira, das 19h às 21h na Galeria de Arte da Faculdade de Artes Visuais - Prédio H 7 – CLC - Campus I da PUC-Campinas – Rodovia “D. Pedro I” – Km 136. A realização da mostra é da Faculdade de Artes Visuais – CLC – PUC-Campinas e conta com o apoio do Museu Olho Latino.

(clique na imagem para ampliar)

Evento: “Pinturas e Esculturas de Maria Aparecida Bueno de Mello (Piki)”
Período da mostra: 17 de setembro a 05 de outubro de 2012.
Curadoria: Paulo Cheida Sans.
Local: Galeria de Arte da Faculdade de Artes Visuais.
Horário de visitação: de segunda a sexta-feira, das 19h às 21h. (Entrada gratuita).
Endereço: Prédio H 7 – CLC - Campus I da PUC-Campinas – Rodovia “D. Pedro I” – Km 136 – Campinas, SP.
Realização: Faculdade de Artes Visuais – CLC – PUC-Campinas.
Apoio: Museu Olho Latino.
 
 fonte
Museu Olho Latino
museu@olholatino.com.br
www.olholatino.com.br 

Inauguração Museu de Ciência em Goiana



Goiana terá seu primeiro museu de ciência dentro do projeto “Ciência por toda parte”, coordenado pelo Espaço Ciência. A inauguração aconteceá amanhã (26/09), na praia de Ponta de Pedras, a partir das 9h30.
Os visitantes poderão ver no novo museu de ciência de Goiana a exposição Ciência, essa é minha praia!,  que a partir da areia e de outros materiais baratos e conhecidos de todos, são estudados o comportamento estranho dos materiais granulares, entre líquidos e sólidos, utilizando ou ilustrando conceitos de Matemática, de Física e de Geologia. Além de experimentos como o disco de Newton, banquinho de faquir, uma plataforma giratória e outras atrações no campo das ciências.


Espaço Ciência inaugura mais um museu de ciência em Pernambuco

A criação de museus de ciência no interior do Estado faz parte do Projeto “Ciência por toda parte”, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e pela Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE), coordenado pelo Espaço Ciência. Já foram inaugurados museus nas cidades de Surubim, João Alfredo, Flores, São José do Egito e Salgueiro. Devem ser inaugurados mais museus de ciência no Estado ainda em 2012.
Juntamente com o Espaço Ciência de Recife, Museu de Ciência do Estado, criado em 1994, e o Espaço Ciência e Cultura da UNIVASF, em Petrolina, inaugurado em 2006, os novos museus participarão da REMUCIPE, Rede dos Museus de Ciência de Pernambuco.

fonte:

Quadros de Turner guardados em galpão por meio século "valem milhões"


Consideradas falsas, três pinturas a óleo do artista britânico estavam postas de lado desde a década de 1950 no Museu Nacional do País de Gales


Três pinturas a óleo que eram consideradas falsas e permaneceram guardadas por meio século foram reavaliadas como sendo obras autênticas e de valor milionário, por serem atribuídas ao mestre do romantismo britânico William Turner.
As obras foram deixadas no Museu Nacional do País de Gales (Grã-Bretanha), em 1951, pelas irmãs Gwendoline e Margaret Davies. Mas acabaram sendo guardadas em um galpão, em 1956, sob suspeita de terem sido assinadas por um falsário.


"The Beacon Light", quadro de William Turner esquecido por décadas. Foto: Divulgação
1/3
''É maravilhoso, é uma dessas coisas que você sempre espera que possam acontecer. Visualmente, não posso entender por que elas não haviam sido atribuídas a Turner'', afirmou.
McIntyre disse que tomou conhecimento das pinturas, "The Beacon Light", "Off Margate" e "Margate Jetty", quando foi trabalhar no museu, há dez anos.
Ela conta que a maioria das pinturas entregues pelas irmãs Davies em 1951 foi avaliada por peritos em Turner em 1956 e considerada falsa. Com isso, as obras deixaram de ser exibidas.
'''Off Margate' e 'Margate Jetty' foram avaliadas como não sendo obras dele. 'The Beacon Light' foi considerada uma obra que continha esboços iniciais rudimentares de Turner pintados por cima por outro artista, o que fez com que ela não fosse considerada uma obra de Turner'', conta McIntyre.
As pinturas foram submetidas a outros testes novamente nas décadas de 60, 70 e 80.
Métodos modernos
Mas, anos depois, uma nova investigação foi feita, usando métodos modernos, para aferir a autenticidade das pinturas.
O processo utilizado consistiu em submeter as telas a exames de raio-x, luz infravermelha e análises de pigmento.
As obras constavam de uma coleção montada no início do século 20 pelas irmãs Davies, que estavam entre as maiores doadoras do mundo das artes no País de Gales.
''Ter esta mácula em sua história de colecionadoras era uma pena. E é bom poder provar que elas tinham razão, que estas eram pinturas de Turner'', afirma Beth McIntyre.
Apesar de o valor das obras ter disparado, a curadora comenta que elas jamais poderão ser vendidas. ''Elas fazem parte de uma coleção nacional, que os visitantes apreciam vir visitar''.
Todas as obras adquiridas pelo Museu Nacional de Cardiff estão sendo exibidas a partir desta terça-feira.
Joseph Mallord William Turner, que ficou conhecido como o "pintor da luz'', morreu em 1851.

fonte:

'Gabriela' é tema de palestra no Museu de Arte Moderna da Bahia


O Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) apresenta na quinta-feira (27), a partir das 15h, no cinema do espaço, a palestra "Cores e Sabores de Gabriela Amadiana", ministrada por Sônia Regina Caldas, doutora em Letras na área de estudos culturais. A entrada é gratuita.



Evento gratuito acontece na quinta (27), às 15h, no cinema do MAM.
Projeto faz parte de ciclos de palestras sobre a obra de Jorge Amado.


Capas de livros de Jorge Amado publicados em diversas línguas (Foto: Divulgação/BBC)Capas de livros de Jorge Amado publicados
em diversas línguas (Foto: Divulgação/BBC)

A palestra faz parte do projeto "Jorge Amado: Interpretações e Ressonâncias" e  promove a análise das capas brasileiras e estrangeiras do livro "Gabriela, Cravo e Canela" a partir do estudo dos efeitos culturais que elas podem refletir, além das interferências que as ilustrações, embalagens e adaptações do romance podem trazer sobre a perspectiva da mulher brasileira, representada por Gabriela.
Atualmente, o MAM-BA está com a exposição "Jorge Amado e Universal: Um olhar inusitado sobre o homem e a obra". A mostra é dividida em espaços que representam épocas marcantes do escritor; um deles dedicado aos personagens. Há ainda datiloscritos com correções feitas à mão por Jorge Amado, ilustrações das obras, fotos que remetem ao universo dos romances e curiosidades como produtos e restaurantes que levam nomes dos personagens

fonte:

SP Ecoera promove consumo criativo e lifestyle sustentável




Em setembro (28 e 29), Chiara Gadaleta promove o SP.ECOERA que discute consumo criativo em evento na cidade de São Paulo.

Durante dois dias, haverá na Escola São Paulo debates culturais sobre moda, arte, design e gastronomia, além de exposições, performances, música e vídeos.

O evento é um desdobramento do Ser Sustentável com Estilo, um portal criado pela jornalista para discutir o setores de Moda e Arte — integrados ao conceito de sustentabilidade. Entre os temas recorrentes, a importância da inclusão do artesanato nacional na cadeia produtiva da Moda.

Participam desta primeira edição Hugo França, Waldick Batojá, WGSN, Olivia Yassudo, Julia Petit, Blogueira Shame, Dudu Bertholini, Vogue, Harper’s Bazaar Brasil, Elle, L’Officel, Cris Barros, Paula Raia, Walério Araújo, Daniel Klajmic, Debby Gram, André Lima, Juliana Jabour, Neon, Karlla Giroto, Gustavo Silvestre, João Pimenta entre outros convidados.

SP.ECOERA é gratuito. Inscrições por e-mail: specoera@gmail.comcom nome e RG para oficinas e mesas redondas.

O evento tem a parceria do Elo7, onde está a nossa loja Babel das Artes. A consultora de moda Chiara Gadaleta indicou, junto com a divulgação do evento, um produto da nossa vitrine como dica para ter estilo com sustentabilidade: a faixa de renda bordada à mão.

mais informações e a programação no link abaixo

fonte: