Listen to the text.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Convite - Ofícios das Antigas


O Centro Técnico Templo da Arte
convida para a Exposição Fotográfica
Ofícios das Antigas





Gastronomia - Exposição de Produtos da Arca do Gosto das Comunidades do Alimento

I Seminário Slow Food São Paulo


Australiana dirige Museu de Serralves


Suzanne Cotter tem no seu currículo mais de duas décadas de experiência nas áreas de curadoria e gestão de instituições culturais

Suzanne Cotter, australiana com passaporte britânico, será nos próximo cinco anos a nova diretora do Museu de Arte Contemporânea de Serralves. Escolhida por unanimidade por um júri internacional, a responsável pelo programa artístico do futuro museu em Abu Dhabi e colaboradora do Guggenheim de Nova Iorque, entra em funções a partir de 1 de janeiro de 2013.

Mulher de "personalidade forte, com empatia e muito inteligente", foi como a descreveu hoje Luís Braga da Cruz, presidente do conselho de administração da Fundação de Serralves, durante a conferência de imprensa de apresentação do nome selecionado entre 113 candidatos.

Em resultado de uma primeira seleção, a lista ficou reduzida a oito candidaturas, que logo passaram a sete devido à desistência de um dos candidatos.

Após as entrevistas presenciais, Suzanne Cotter, que tem no seu currículo mais de duas décadas de experiência nas áreas de curadoria e gestão de instituições culturais, recolheu a preferência unânime de um júri de seleção constituído por Braga da Cruz, Vicente Todoli, ex-diretor de Serralves e da Tate Modern, em Londres, a curadora italiana Ida Gianelli, o curador inglês James Lingwood, além da também administradora de Serralves Ana Pinho, e Elisa Ferreira, representante do Estado na Fundação.
Solidez artística


Responsável por um projeto com uma "grande solidez artística", como referiu Braga da Cruz, a nova diretora do museu apresenta ainda "um grande potencial no âmbito das relações internacionais" e uma "formação invejável no domínio da arte e da cultura", que lhe permite estabelecer uma boa relação entre arte moderna e contemporânea.

Nascida em Melbourne, na Austrália, Suzanne Cotter vive atualmente em Nova Iorque. Desde março de 2010 tem trabalhado com a Fundação Solomon R. Guggenheim em Nova Iorque, como curadora do projeto Guggenheim Abu Dhabi.

Suzanne foi responsável pela pesquisa e desenvolvimento da coleção de arte e do programa artístico do futuro museu em Abu Dhabi, já apresentado como um dos mais relevantes projetos ultimamente desenvolvidos na área da arte contemporânea.

Formada em Ciências Aplicadas pelo Instituto de Tecnologia de Queensland, na Austrália, Suzanne Cotter licenciou-se depois em História de Arte em Melbourne. Em 1991 mudou-se para a Europa e fez cursos de História de Arte na École du Louvre, em Paris, e no Courtauld Institute, em Londres.
A marca de João Fernandes


Entre 2002 e 2009, a nova diretora do Museu de Serralves trabalhou na galeria Modern Art Oxford, em Inglaterra, como curadora sénior e vice-diretora.

Capaz de falar fluentemente francês e italiano, além do inglês, Cotter foi já curadora de algumas das mais importantes instituições artísticas do Reino Unido, como a Whitechapel Art Gallery ou a Serpentine Gallery. Em 2005 foi distinguida pelo Ministério da Cultura e da Comunicação de França coma medalha de Cavaleiro da Ordem das Letras e das Artes.

Suzanne Cotter irá substituir João Fernandes, que a partir de janeiro passa a ter funções de direção do Museu Rainha Sofia, em Madrid. A programação de Serralves para o próximo ano, pelo menos, terá ainda, como é habitual nestas circunstâncias, a marca, e será da total responsabilidade do diretor cessante.


Suzanne Cotter tem no seu currículo mais de duas décadas de experiência nas áreas de curadoria e gestão de instituições culturais

fonte:
http://expresso.sapo.pt/australiana-dirige-museu-de-serralves=f758663