sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Museu a céu aberto combina arte contemporânea e natureza em MG


Local conta com acervo de 500 obras e 4.200 plantas.
Inhotim fica em Brumadinho, a 66 km de Belo Horizonte.


Imagine um trator gigantesco com os pneus atolados no barro içando uma árvore seca pintada de branco. Ou uma árvore feita de cobre, suspensa, emoldurada pelas montanhas e pela Mata Atlântica. Essas e outras obras de arte contemporânea estão expostas em Inhotim, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
A 66 quilômetros da capital, o local ocupa uma área de 110 hectares de jardins botânicos com plantas exóticas, cinco lagos artificiais e um acervo artístico com 500 peças. É a perfeita combinação entre a arte e a natureza.
Pinturas, esculturas, desenhos, fotografias, vídeos e instalações de artistas brasileiros e estrangeiros estão em espaços espalhados em meio à natureza. São 18 galerias dedicadas a obras permanentes, outras quatro para temporárias e diversas espalhadas pelos jardins.
As permanentes foram criadas para abrigar obras de Tunga, Adriana Varejão, Cildo Meireles, Marilá Dardot, Miguel Rio Branco, Hélio Oiticica, Neville D’Almeida, Doris Salcedo, Victor Grippo, Matthew Barney, Rivane Neuenschwander, entre outros. As temporárias – Lago, Fonte, Praça e Mata – têm cerca de mil metros quadrados cada uma.
Galeria abriga o Sonic Pavilion que exibe os 'sons da terra'. (Foto: Alex Araújo / G1)Galeria abriga o Sonic Pavilion, que exibe os 'sons da terra'. (Foto: Alex Araújo / G1)
O artista pernambucano Tunga, por exemplo, usa bronze fundido, cabo de aço, aço laminado, ferro, banho de ouro, resina e imã nas obras para produzir um espetáculo de grandiosidade. A carioca Adriana Varejão, por sua vez, criou a obra Linda do Rosário (2004), uma parede que parece se transformar em carne, inspirada no desabamento do Hotel Linda do Rosário, no Centro do Rio de Janeiro, em 2002, cujas paredes azulejadas caíram sobre um casal.
Já o norte-americano Doug Aitken pensou nos "sons da terra" e criou o Sonic Pavilion. Seis microfones foram instalados em um poço tubular de 202 metros abaixo do solo para captar o barulho das profundezas. Uma excentricidade em um pavilhão de vidro e aço, revestido de película plástica. 
Botânica
Inhotim cultiva mais de 4.200 espécies de plantas. O local conta com 1.400 palmeiras e também uma grande coleção de Araceae, família que inclui de imbés a antúrios e copos-de-leite. São 334 espécies de orquídeas.
Para aguçar o olfato, o museu ainda conta com um jardim em forma de mandalas com 50 espécies de plantas medicinais, aromáticas e até tóxicas. O Viveiro Educador abriga também o Bosque da Juçara, local onde foi recriado um ambiente de Mata Atlântica.
Outro espaço de visitação é a Estufa Equatorial, onde são cultivadas várias espécies tropicais, entre elas, a “Flor Cadáver”. A espécie floresceu em Inhotim, no ano passado. O fenômeno demorou dez anos para acontecer e durou apenas três dias.
Obra do artista norte-americano Matthew Barney. (Foto: Alex Araújo / G1)Obra do artista norte-americano Matthew Barney. (Foto: Alex Araújo / G1)
Gastronomia
Devido ao seu tamanho e à quantidade de atrativos artísticos e naturais, Inhotim rende um passeio de dia inteiro. Para recarregar as energias durante a visita, as opções de alimentação vão de lanches rápidos a pratos mais elaborados. 
O Restaurante Inhotim possui um ambiente integrado aos jardins e ao acervo de arte contemporânea. O cardápio oferece bufê de saladas, pratos à lá carte, carta de vinhos e uma mesa de sobremesas com doces diversos.
Idealizado pelo designer Paulo Henrique Bicalho, o Ganso, o bar de Inhotim é um espaço para beber um drinque e provar da culinária internacional. O bar ainda possui uma galeria de arte com peças assinadas por designers brasileiros.
O Restaurante Oiticica oferece bufê por quilo, com um menu que inclui saladas e opções de caçarolas quentes. O local funciona de quarta-feira a domingo, das 12h às 16h30.  Inhotim ainda tem uma "omeleteria" que também oferece sanduíches e salgados.
Restaurante Inhotim é cercado por jardins botânicos e obras de arte. (Foto: Alex Araújo / G1)Restaurante Inhotim é cercado por jardins botânicos e obras de arte. (Foto: Alex Araújo / G1)
Informações gerais
Horários:
 Terças, quartas, quintas e sextas-feiras, das 9h30 às 16h30. Sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30.
Há um programa de visita em horários e locais preestabelecidos. Para mais informações, acesse o site ou ligue (31) 3227-0001.
Transporte 
Saída da Rodoviária de Belo Horizonte, às 9h (plataforma F2). Retorno às 17h30, aos sábados, domingos e feriados, e às 16h, de terça a sexta feira. A ida custa R$ 14,03 e a volta, R$ 13,65.
Localização
Inhotim está localizado no município de Brumadinho, a 66 quilômetros de Belo Horizonte (aproximadamente 1h15 de viagem). Acesso pelo km 500 da BR-381 – sentido BH-SP.
Pode-se chegar também pela BR-040 (aproximadamente 1h30 de viagem). Acesso pela BR-040 – sentido BH-Rio, na altura da entrada para o Retiro do Chalé. Há um mapa no site da instituição.
Entrada
Grátis às terça-feiras, exceto feriados. R$ 20 às quartas e quintas-feiras. R$ 28 às sextas-feiras, sábados, domingos e feriados. Meia-entrada válida para estudantes identificados e maiores de 60 anos. Crianças de até 5 anos não pagam.

fonte: