terça-feira, 4 de dezembro de 2012


Patrimônio e paisagem cultural: reflexões sobre a preservação das paisagens urbanas contemporâneas
Cristiane Maria Magalhães*


Introdução

Na cidade alemã de Hildesheim, no estado da Baixa Saxônia, existe um exemplo interessante de como arquitetura e espécie vegetal vêm convivendo, há séculos, de forma harmoniosa. A cidade foi fundada como sede episcopal católica em 815. Entre as paredes da Catedral de Santa Maria, em Hildesheim, floresce uma exuberante roseira milenar, desafiando a estrutura da construção medieval. Esta história inusitada foi narrada na Revista de Horticultura nº 6, de 1876:


Uma roseira velha: Junto à Igreja de Hildesheim, Alemanha, existe uma roseira brava, plantada por ordem do Imperador Carlos Magno (742-814), se é certo o que pretende a tradição local; mas como a roseira sai de uma abertura feita de propósito na parede da igreja, parece verdade que ela já existia antes da edificação desta, que é antiguíssima. O tronco, da grossura do corpo de um homem, atravessa a parede, que tem 1,50 m de espessura, e divide-se em cinco galhos, cujas ramificações cobrem a parede, contra a qual são sustentadas por uma latada vertical de ferro, com sete metros de altura, por oito de comprimento, mandada fazer, como consta dos papéis da Igreja, pelo Bispo Hepilo, isto é, entre os anos de 1054 e 1099. Desde o século 13º, esta roseira é considerada como uma maravilha. (REVISTA de Horticultura. N. 6, de junho de 1876. p. 105)


A história da “rosa de mil anos” é envolvida em lendas como a descrita acima, além de outras. ...


fonte e artigo completo em

http://www.usp.br/cpc/v1/php/wf07_revista_interna.php?id_revista=19&id_conteudo=81&tipo=5

Ceará recebe museólogo precursor do conceito de “Ecomuseu”


Um dos  mais importantes nomes do conceito de “Ecomuseu” - "museu ecológico", no sentido de museu do homem e da natureza, relativo a um território sobre o qual vive uma população, o  museólogo francês Hugues de Varine, já confirmou sua presença durante o Encontro no Ecomuseu de Maranguape, onde será elaborado um documento em defesa do patrimônio cultural como elemento  para desenvolvimento local sustentável. Varine estará em Fortaleza entre os dias 02 e 04 de dezembro, à convite da  Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, por meio do Museu do Ceará,  e da  Rede Cearense de Museus Comunitários, com programação de visitas a diversos municípios discutindo temas como "Repercussões da Mesa de Santiago do Chile (1972) nos museus contemporâneos" e "As raízes do futuro. O patrimônio a serviço do desenvolvimento local".

Hugues de Varine é consultor internacional na área do patrimônio, da museologia e do desenvolvimento, formado pela Universidade de Paris, com pós-graduação em História e Arqueologia. Ocupou cargos de vice-diretor e diretor do Conselho Internacional de Museus (Icom), fundou o Ecomuseu de Le Creusot-Montceau e atuou no Ministério da Cultura da França, na área de desenvolvimento cultural e avaliação de políticas culturais. Foi o fundador da Asdic Consultores, entidade
especializada em desenvolvimento de comunidades.

Participa de missões de desenvolvimento cultural, social e econômico de comunidades urbanas e rurais da França e da União Europeia, incentivando práticas culturais de consolidação do desenvolvimento local. Internacionalmente participou de projetos na Alemanha, Suécia, México, Brasil, Canadá, Portugal, Grécia, Hungria, Irlanda e Reino Unido, entre outros. Autor de  A cultura dos outros (Paris: Seuil, 1976);  A iniciativa comunitária (Macon: MNES& W, 1992);  Cidade,
cultura e desenvolvimento (Paris: Syros, 1995, com Jean Michel Montfort); e  As raízes do futuro (Asdic, 2002), além de artigos em periódicos franceses e publicações internacionais sobre museus, patrimônio, ação comunitária e desenvolvimento local.

Em sua visita ao Brasil, nesse segundo semestre de 2012, Varine participou como conferencista do Fórum Nacional de Museus (Petrópolis, 19 a 23/11) e está em turnê de lançamento deseu mais novo livro, As raízes  do futuro. O patrimônio a serviço do desenvolvimento local. Nele, o leitor encontrará a trajetória intelectual e a experiência de Varine no movimento de construção, em diversos países, dos ecomuseus e museus comunitários. Partindo de princípios, ideias e sugestões, ele se baseia no vínculo entre patrimônio, ação comunitária e desenvolvimento local, apontando as possibilidades da museologia inovadora e participativa no cotidiano e a riqueza dos rastros do passado e do presente direcionados ao futuro.

Associa e valoriza a relação do patrimônio (individual ou coletivo) com os caminhos instigantes e reveladores da cultura viva, do desenvolvimento e da sustentabilidade. Inova a visão de patrimônio, indicando a necessidade de reconhecê-lo e de inventariá-lo, registrando as experiências de comunidades que já promoveram a prática da museologia comunitária.

Programação


Dia 02/12 (Domingo)
15h às 17h - Abertura do Encontro no Ecomuseu de Maranguape com Hugues
de Varine;
18h30m as 20h30m - Encontro do Grupo de Trabalho com Hugues de Varine
 (para convidados);

Dia 03/12 (Segunda-feira)
 8h30m  as 12h - Vivência Comunitária Museológica (Farinhada,
 Mini-biblioteca Itinerante, Permacultura);
 13h30m - Elaboração da 'Carta de Maranguape: Patrimônio Cultural a
 serviço do desenvolvimento local sustentável' - Presidida por Hugues
 de Varine.
 17h - Conclusão dos trabalhos com apresentação do Pastoril de Jornadas
 de Cachoeira.
 19h. Vista ao Ponto de Memória do Grande Bom Jardim. Apresentação da
 experiência em memória e museologia comunitária na perspectiva de
 atuação em rede social e desenvolvimento local.

Dia 04/12 (Terça)
 08h30m - Visita ao Museu Jenipapo Kanindé (Comunidade Lagoa Encantada,
 Aquiraz). Apresentação das experiências dos museus indígenas no Ceará,
 com representantes desses museus e daRede Cearense de Museus
 Comunitários)
 12h- Almoço comunitário
 18h- Museu do Ceará. Palestra de Hugues de Varine "Repercussões da
 Mesa de Santiago do Chile (1972) nos museus contemporâneos".
 Lançamento do livro "As raízes do futuro. O patrimônio a serviço do
 desenvolvimento local". Noite de autógrafos e coquetel.

fonte:
http://www.secult.ce.gov.br/noticias/ceara-recebe-museologo-precursor-do-conceito-de-4