quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Escultura e cidade: uma relação ampliada no âmbito da contemporaneidade


O presente artigo se refere a relação escultura/cidade a partir dos anos sessenta, período em que tanto a cidade como a arte passa por grandes transformações, pois, ao mesmo tempo que a cidade vive um período de conflito com sua conformação paisagística, os artistas atraídos por esta situação, põem em prática muitas de suas preocupações estéticas experimentando reformulações de grande tendência sobre o feito artístico e o contexto urbano. Assim, desde os anos sessenta, com a ampliação dos conceitos da linguagem scultórica, a relação da escultura com o espaço urbano vem evoluindo tanto nas práticas artísticas como nos discursos dos artistas visuais, que, avançando para formulações mais ricas nos anos 70, 80 e 90, chega à atualidade com um maior compromisso em torno do equilíbrio da relação  homem/arte/cidade.    

ARTIGO COMPLETO EM: http://www.portalseer.ufba.br/index.php/rcvisual/article/viewFile/5094/3919

Autoria de Nanci Novais, publicado na Cultura Visual 14 (acesso ao texto completo em PDF)

fonte:
http://www.portalseer.ufba.br/index.php/rcvisual/article/viewFile/5094/3919

Brasil tem museu na lista de mais bonitos do mundo

O Museu Oscar Niemeyer, um dos símbolos de Curitiba, foi eleito pela revista Flavorwire - uma das mais respeitadas publicações especializadas em cultura e arte - um dos 20 museus mais bonitos do mundo.

Inaugurado em 2002, o Museu Oscar Niemeyer encabeça a 20ª posição na lista. Nas três primeiras estão, em ordem, o Museu de Arte Islâmica, em Doha; o Museu Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia; e o Museu de Arte Nelson-Atkins, em Kansas City, nos Estados Unidos.

Confira abaixo a lista dos museus mais bonitos, segundo a publicação:

1 - Museu de Arte Islâmica, Doha (Catar)
2 - Museu Hermitage, em São Petersburgo (Rússia)
3 - Museu de Arte Nelson-Atkins, Kansas City (EUA)
4 – Museu de Hanói, em Hanói (Vietnã)
5 – Museu Guggenheim, em Bilbao (Espanha)
6 – Museu d´Orsay, em Paris (França)
7 – Museu de Arte Moderna, no Texas (EUA)
8 – Louisiana Museu de Arte Moderna, em Humlebaek (Dinamarca)
9 – Royal Ontario Museu, Toronto (Canadá)
10 – MAS Museum, na Antuérpia (Bélgica)
11 – Museu do Louvre, em Paris (França)
12 – Museu de História Natural, em Viena (Áustria)
13 – Museu de Salvador Dali, em St. Petersburgo (Flórida – EUA)
14 – Palácio Potala, em Lhasa (Tibet)
15 – Centro Getty, em Los Angeles (EUA)
16 – Solomon Guggenheim Museu, em Nova York (EUA)
17 – Casa e Jardins Claude Monet, em Giverny (França)
18 – Museu Histórico de Moscou, em Moscou (Rússia)
19 – Museu Chora, em Istambul (Turquia)
20 – Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba (Brasil)


fonte:
http://www.panrotas.com.br/noticia-turismo/destinos/brasil-tem-museu-na-lista-de-mais-bonitos-do-mundo_83547.html?pesquisa=1

Ibram cria programa de voluntariado em museus


BRASÍLIA - O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) lançou nesta terça-feira (4) o Programa de Serviço Voluntário, que será aberto a maiores de 18 anos, que não sejam estudantes de nível médio, nem superior. De acordo com o texto, publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira, os voluntários deverão se inscrever no projeto diretamente nos museus do Ibram.

O vínculo de trabalho terá duração de um ano e será sem nenhum tipo de remuneração ou reembolso. Além disso, os voluntários não terão os mesmos direitos dos servidores dos museus. O Instituto Brasileiro de Museus terá propriedade conjunta com o voluntário sobre sua produção científica ou tecnológica, executada no período do trabalho.
No fim do período, os voluntários deverão apresentar um relatório sobre suas atividades, que será avaliado pelas instâncias que aprovaram seu plano de trabalho. A partir dessa avaliação será decidido se o contrato será renovado.


fonte:
http://www.dci.com.br/servicos/ibram-cria-programa-de-voluntariado-em-museus-id322625.html

Fóssil do primeiro dinossauro é descoberto em museus


O dinossauro mais antigo já catalogado ou seu parente mais próximo era do tamanho de um cachorro labrador, embora sua cauda medisse mais de um metro e meio, e viveu dez milhões de anos antes do que se pensava até agora, segundo um estudo realizado por uma equipe internacional de pesquisadores.
Os cientistas chegaram a esta conclusão após analisar fósseis que estavam há décadas nas prateleiras de dois museus, o de História Natural de Londres e o Museu Sul-Africano, na Cidade do Cabo.
"Se o recém batizado Nyasasaurus parringtoni não é o dinossauro mais antigo, então é seu parente mais próximo descoberto até agora", assinala o biólogo Sterling Nesbitt, da Universidade de Washington e autor principal do estudo, publicado na "Biology Letters".
Segundo a pesquisa, os fósseis pertencem a um réptil que viveu no período Triássico Médio, entre 10 e 15 milhões de anos antes que o eoráptor e o herrerassauro, os dinossauros mais primitivos do fim do Triássico (entre 230 e 225 milhões de anos atrás).
Pela análise dos ossos, pertencentes a dois exemplares diferentes, os cientistas determinaram que o animal caminhava erguido, tinha um metro de altura e cauda de mais de um metro e meio, pelo que media entre dois e três metros e pesava entre 20 e 60 quilos.
Os ossos, encontrados na década de 1930 na Tanzânia, também apresentavam características comuns aos primeiros dinossauros e a seus parentes próximos, como uma grande quantidade de células ósseas e vasos sanguíneos - indicativos de um crescimento rápido - e uma crista do úmero muito ampla, para ancorar os músculos do braço.
"O tecido ósseo do Nyasasaurus é exatamente o que se esperaria de um animal de sua posição na árvore genealógica dos dinossauros", afirma a co-autora do estudo Sarah Werning, da Universidade da Califórnia, em Berkeley.
Segundo Werning, "é um exemplo ótimo de um fóssil de transição; o tecido ósseo demonstra que o Nyasasaurus crescia tão depressa quanto os outros dinossauros primitivos, mas não tanto como os posteriores".
Na opinião de Nesbitt, o estudo indica que os dinossauros evoluíram antes do que se achava e refuta a ideia de que se diversificaram repentinamente no Triássico Superior. EFE


fonte:
http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI6355152-EI238,00-Fossil+do+primeiro+dinossauro+e+descoberto+em+museus.html

Concurso para professor em Teoria Política na USP




Agência FAPESP – A Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP) recebe inscrições de interessados no concurso público para provimento de um cargo de professor doutor para o Departamento de Ciência Política, disciplina de Teoria Política.

O profissional selecionado trabalhará em Regime de Dedicação Integral à Docência e à Pesquisa (RDIDP), referência MS-3, com salário de R$ 8.715,12 (maio/2012).

O programa do docente selecionado engloba os temas: “Modalidades de teoria política”, “Conservadorismo e liberalismo no pensamento político brasileiro”, “República e republicanismo”, “Direito natural e contratualismo”, “Teoria política e teoria social”, “Ordem e mudança no pensamento político moderno”, “A liberdade dos antigos e a liberdade dos modernos”, “Liberdade, igualdade e revolução”, “Estado e sociedade civil” e “Marxismo e teoria política”.

As inscrições estão abertas para o edital FFLCH/FLP/n.º 032/2012 até o dia 20 de dezembro de 2012 no Serviço de Apoio Acadêmico da FFLCH, Rua do Lago nº 717, sala 107 (prédio da administração da Faculdade), Cidade Universitária, São Paulo, de 2ª a 6ª das 10h às 12h e das 14h às 17h.

Mais informações: http://academica.fflch.usp.br/node/266, apoioaca1fflch@usp.br, apoioaca2fflch@usp.br e (11) 3091-4590 / 4621.

fonte:
http://br-mg6.mail.yahoo.com/neo/launch?.rand=0gn2ol3b75g5k

Museu do Farol da Barra resgata história da Bahia e ciência naval




Nem só da exploração e prospecção da plataforma continental brasileira, incluindo a promissora camada do Pré-Sal, vive a Petrobras. Há dez anos, a companhia contribui para resgatar a tradição marítima nacional

Nem só da exploração e prospecção da plataforma continental brasileira, incluindo a promissora camada do Pré-Sal, vive a Petrobras. Há dez anos, a companhia  contribui para resgatar a tradição marítima nacional e sua importância  na história do país, através do patrocínio ao Forte de Santo Antônio da Barra, mais conhecido como Farol da Barra, um dos pontos turísticos mais visitados de Salvador.

Ao apoiar o monumento, a Petrobras visa preservar e divulgar a velha fortaleza –  a primeira construída no país, 34 anos após o descobrimento –  e o  Museu Naútico da Bahia, ali instalado, cujo acervo proporciona uma verdadeira viagem na história, arqueologia marítima e ciência naval. Daí porque as atividades educativo-culturais, em complemento ao ensino formal de escolares, são o ponto alto de sua programação.


fonte:
http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-1/artigo/museu-do-farol-da-barra-resgata-historia-da-bahia-e-ciencia-naval/