quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Gestão de museus indígenas será tema de encontro nacional na UFPE


Trinta representantes de povos indígenas participarão do I Encontro de Museus Indígenas de Pernambuco, que será realizado nos próximos dias 13, 14 e 15, no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) da UFPE, no Campus Recife. O evento será palco da troca de saberes e o relato de experiências relativas à organização e gestão de museus, espaços culturais e etnoeducacionais propícios para a construção de políticas indígenas. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo e-mail museusindigenaspe@gmail.com, até amanhã (12). A programação se encontra no site do encontro.

No evento, que tem o apoio do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e é coordenado pelos professores Renato Athias, do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPE, e Alexandre Gomes, do Departamento de Antropologia e Museologia, serão apresentados e discutidos os diagnósticos museológicos e propostas para a elaboração de políticas públicas para a memória e patrimônio cultural indígenas. Na oportunidade, será realizada a segunda reunião de representantes de museus indígenas no Brasil visando à constituição de uma rede de contatos, um dos encaminhamentos deliberados do primeiro encontro, realizado em novembro, em Petrópolis (RJ).

O encontro foi organizado para apresentar os resultados das atividades do Projeto de Extensão Museus Indígenas em Pernambuco, realizado entre julho e dezembro deste ano. O projeto de extensão da UFPE foi executado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Etnicidade (Nepe), grupo de pesquisa vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia, em parceria com o bacharelado em Museologia. As atividades foram financiadas com recursos oriundos do Programa de Extensão do MEC/Sesu e do Edital de Apoio para Ações Extensionistas Étnico-Raciais (Proext/UFPE).

Desde 2003, o Nepe vem desenvolvendo, em parceria com os povos indígenas em Pernambuco, ações referentes à salvaguarda e à pesquisa sobre o patrimônio cultural, a formação de coleções etnográficas e a discussão sobre espaços culturais e museus indígenas. A partir do início de 2012, com a formação de uma equipe de pesquisadores reunindo estudantes do curso de Museologia/UFPE e representantes dos povos indígenas, foram elaborados diagnósticos dos processos museológicos em 10 áreas indígenas em Pernambuco.

Mais informações
Nepe/UFPE
(81) 2126.8286

fonte:
http://www.ufpe.br/agencia/index.php?option=com_content&view=article&id=45290:gestao-de-museus-indigenas-sera-tema-de-encontro-nacional-na-ufpe-&catid=242&Itemid=72

Ceará recebe museólogo precursor do conceito de “Ecomuseu”




Um dos  mais importantes nomes do conceito de “Ecomuseu” - "museu ecológico", no sentido de museu do homem e da natureza, relativo a um território sobre o qual vive uma população, o  museólogo francês Hugues de Varine, já confirmou sua presença durante o Encontro no Ecomuseu de Maranguape, onde será elaborado um documento em defesa do patrimônio cultural como elemento  para desenvolvimento local sustentável. Varine estará em Fortaleza entre os dias 02 e 04 de dezembro, à convite da  Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, por meio do Museu do Ceará,  e da  Rede Cearense de Museus Comunitários, com programação de visitas a diversos municípios discutindo temas como "Repercussões da Mesa de Santiago do Chile (1972) nos museus contemporâneos" e "As raízes do futuro. O patrimônio a serviço do desenvolvimento local".

Hugues de Varine é consultor internacional na área do patrimônio, da museologia e do desenvolvimento, formado pela Universidade de Paris, com pós-graduação em História e Arqueologia. Ocupou cargos de vice-diretor e diretor do Conselho Internacional de Museus (Icom), fundou o Ecomuseu de Le Creusot-Montceau e atuou no Ministério da Cultura da França, na área de desenvolvimento cultural e avaliação de políticas culturais. Foi o fundador da Asdic Consultores, entidade
especializada em desenvolvimento de comunidades.

Participa de missões de desenvolvimento cultural, social e econômico de comunidades urbanas e rurais da França e da União Europeia, incentivando práticas culturais de consolidação do desenvolvimento local. Internacionalmente participou de projetos na Alemanha, Suécia, México, Brasil, Canadá, Portugal, Grécia, Hungria, Irlanda e Reino Unido, entre outros. Autor de  A cultura dos outros (Paris: Seuil, 1976);  A iniciativa comunitária (Macon: MNES& W, 1992);  Cidade,
cultura e desenvolvimento (Paris: Syros, 1995, com Jean Michel Montfort); e  As raízes do futuro (Asdic, 2002), além de artigos em periódicos franceses e publicações internacionais sobre museus, patrimônio, ação comunitária e desenvolvimento local.

Em sua visita ao Brasil, nesse segundo semestre de 2012, Varine participou como conferencista do Fórum Nacional de Museus (Petrópolis, 19 a 23/11) e está em turnê de lançamento deseu mais novo livro, As raízes  do futuro. O patrimônio a serviço do desenvolvimento local. Nele, o leitor encontrará a trajetória intelectual e a experiência de Varine no movimento de construção, em diversos países, dos ecomuseus e museus comunitários. Partindo de princípios, ideias e sugestões, ele se baseia no vínculo entre patrimônio, ação comunitária e desenvolvimento local, apontando as possibilidades da museologia inovadora e participativa no cotidiano e a riqueza dos rastros do passado e do presente direcionados ao futuro.

Associa e valoriza a relação do patrimônio (individual ou coletivo) com os caminhos instigantes e reveladores da cultura viva, do desenvolvimento e da sustentabilidade. Inova a visão de patrimônio, indicando a necessidade de reconhecê-lo e de inventariá-lo, registrando as experiências de comunidades que já promoveram a prática da museologia comunitária.


fonte:
http://www.secult.ce.gov.br/noticias/ceara-recebe-museologo-precursor-do-conceito-de-4?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

---000-------------------------------