sábado, 29 de dezembro de 2012

Curso de Museologia - Chamada final e confirmações


Inscritos no 7º Curso Básico/Teórico de Museologia e Museografia do IAL
Espero que tenham passado bem durante a festa de Natal e que a PAZ reine entre nós, que vamos conviver por uma semana.
Demoramos para dar uma resposta definitiva a todos, porque tivemos SUPERLOTAÇÃO para este curso em particular.
Para sanar todas as pendências tivemos de acertar ponteiros com outras diretorias, com lotação de auditório e com nossa capacidade didática.
Fizemos todo o possível para adequar nossas instalações e resolvemos atender a todos... Mesmo os que estavam excedentes...
Estão todos inscritos e com direito de frequentar a semana de 7 a 11 de janeiro de 2013.
Vamos precisar da compreensão de todos para um ponto primordial do Curso.
Como tudo vai ser absolutamente informal e a lotação será total, vamos necessitar do apoio dos inscritos com relação a:
  • Pontualidade - Início às 8h.
  • Frequência - só recebem Certificado os alunos que frequentarem 80% das aulas (5 aulas = tolerância 1 falta)
  • Uso de celular - desligar no início da aula (em relação ao vibracall, melhor desligar também)
Quanto ao CHEGAR ao Instituto Adolfo Lutz:
  • Endereço: Av. Dr. Arnaldo, 355 - Edifício Central (prédio antigo que fica à direita do portão de entrada) - 2º andar - Auditório "Augusto D'Escragnoli Taunay
  • O Instituto não conta com estacionamento para visitantes
  • Os estacionamentos particulares estão no meio e ao redor do Quadrilátero da Saúde. A circulação nas imediações, às vezes, é impossível devido à quantidade de Hospitais ao redor. Por vezes, demora-se uma hora para chegar a um ponto qualquer.
  • A melhor maneira de chegar é por Metrô (ou ônibus)
    • Linha Verde - descer na Estação Clínicas e subir a escada que dá para a Faculdade de Medicina e Hospital Emílio Ribas.
Um favor especial: aqueles inscritos que não puderem, por alguma maneira, frequentar o Curso, POR OBSÉQUIO, avisem-nos com antecedência.
Esperamos vocês no dia 7 de janeiro.
Abraço fraterno
Pedro

Embora esteja em constante evolução, a internet já coleciona alguns marcos históricos desde sua criação, e agora muitos deles podem ser visitados em um museu – online, obviamente –, criado por três holandeses: The Big Internet Museum.
Entre as atrações estão a ARPAnet, que deu origem à rede, o email, IRC e ICQ (os vovôs do MSN, Gtalk e Skype), o spam e até mesmo os emoticons.


Museu da Internet | Foto: Internet Museum

"Nós não temos um prédio. A razão é simples: nossa coleção só existe online. Fora isso, somos um museu como qualquer outro –com curadores, uma coleção permanente diversificada, exposições temporárias, diferentes alas, doações, e mais. Talvez possamos até abrir uma loja de souvenirs no futuro", diz um anúncio dos criadores Dani Polak, Joep Drummen e Joeri Bakker no site:Para os que viram a WWW (World Wide Web) nascer, é uma viagem no tempo, e para as gerações mais novas, acostumadas ao mundo dos tablets, trata-se de uma oportunidade de entender como chegou-se até aqui em tão pouco tempo.
Curiosamente, a página de abertura diz que o local tem entrada gratuita, e que está aberto constantemente, sete dias por semana, 24 horas por dia, mas estará fechado durante o Carnaval no Brasil, "por razões óbvias".
O museu também dá a possibilidade de o usuário se transformar em um dos curadores, ao mover objetos que acha mais importantes na coleção, além de enviar sua própria entrada para a exposição, com algo que julgue relevante na história da rede.

Alas especializadas

"O museu tem sete alas especializadas. Por exemplo, na ala de história os visitantes descobrem os primeiros testes com a ARPAnet [primeiro "sistema operacional" da internet antes da criação da WWW]", explicam os criadores.
Na ala "meme", encontram-se fenômenos virais como Chuck Norris, que em 2005 foi criticado por sua suposta dureza, e o Nyan Cat, uma animação de um gato feita em 8 bits ao ritmo da canção "Nyanyanyanyanyanyanya".
Entre as exposições temporárias, a agência britânica de produção de conteúdo digital MediaMonks prepara uma mostra especial sobre o Adobe Flash – plataforma multimídia para agregar animações, vídeos e interatividade.
Em sua resenha sobre o museu, o blog especializado em tecnologia The Verge diz que "apesar de ser uma boa maneira de refrescar a memória sobre as coisas que havíamos esquecido", as exposições "não oferecem a possibilidade de ver de perto os curiosos objetos físicos da história da internet".

fonte:
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/12/121227_museu_internet_jp.shtml