Listen to the text.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Curador do Museu e Aquário Marinho de Bombinhas e do Museu Itinerante de História Natural Charles Darwin, Luís Martins da Silva foi pego de surpresa. Ele será o único estrangeiro da aventura, convidado pelo Museo de Ciencias Naturales do Instituto Superior de Formación de Docentes da Argentina.


Pesquisador de Bombinhas integra expedição para a Patagônia, na ArgentinaLuís Martins da Silva é o único estrangeiro do grupo de 50 pesquisadores



Luís Martins da Silva é curador do Museu e Aquário Marinho de Bombinhas Foto: Marcos Porto / Agencia RBS


A partir de sexta-feira, mais de 50 professores universitários e pesquisadores argentinos participam da Expedição de Estudos à Patagônia. Esse grupo de especialistas vai contar com apenas um "intruso" — e ele é do Litoral Norte catarinense.

Diretor técnico do Centro de Estudos do Mar (Cemar) e curador do Museu e Aquário Marinho de Bombinhas e do Museu Itinerante de História Natural Charles Darwin, Luís Martins da Silva foi pego de surpresa. Ele será o único estrangeiro da aventura, convidado pelo Museo de Ciencias Naturales do Instituto Superior de Formación de Docentes da Argentina.

A expedição sairá de Monte Grande, nos arredores de Buenos Aires, e percorrerá 3 mil quilômetros, passando por Rio Negro, Chubut, Pampas e, finalmente, chegando na Patagônia. Luís foi convidado em razão do intercâmbio de conhecimentos com pesquisadores do Museo de Ciencias Naturales. Os estudos foram focados no trabalho do pesquisador de Bombinhas nas áreas de biologia marinha e paleontologia.

— Há quatro anos trocamos materiais científicos e participamos da catalogação da fauna marinha brasileira em filmagens realizadas pelo museu argentino — explica Luís.

Objetivos

O pesquisador brasileiro explica que a expedição é uma forma de impulsionar vários projetos do Cemar, do Museu e Aquário Marinho de Bombinhas e também do Museu Itinerante de História Natural. Uma das ações previstas é a coleta de dados e materiais para o projeto Grupo de Estudos de Mamíferos Aquáticos (Gema) em Porto Madryn, na Península de Valdez, famoso local de concentração de baleias francas, orcas, golfinhos e leões marinhos.

A coleta de sedimentos para o Projeto Areias — uma coleção de sedimentos de todo o mundo, em fase de catalogação por Luís e cuja meta é ser a maior do mundo — também deve acontecer durante a expedição.

Outro objetivo é estreitar as relações de intercâmbio científico com pelo menos mais três importantes museus da América do Sul: o Museo Oceanográfico y de Ciencias Naturales de Puerto Madryn, o Museo Paleontológico Egidio Ferupio de Trelew e o Museo Nacional de Ciências Naturales de Buenos Aires.

fonte:
http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/noticia/2013/11/pesquisador-de-bombinhas-integra-expedicao-para-a-patagonia-na-argentina-4323983.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário