domingo, 13 de janeiro de 2013

Museus registram crescimento de 13,6% no número de visitantes



Em 2012 os museus da Secretaria de Estado da Cultura receberam exposições que contemplaram diferentes manifestações artísticas. Foram dezenas de mostras que contribuíram para levar ao público um pouco da vasta produção das artes visuais do Paraná, do Brasil e do mundo. Além disso, foram realizadas ações educativas com escolas, grupos de terceira idade, deficientes físicos e jovens privados de liberdade.

Esse conjunto de ações levou a um aumento de 13,6% no número de visitantes em 2012, se comparado com o ano anterior. O dado é baseado no número de assinaturas espontâneas no caderno de visitas. Nem todas as pessoas assinam o caderno, exceto no MON, onde há bilheteria e é possível registrar o número exato de visitantes.

“Esse aumento da frequência de público aos museus oficiais deve-se certamente ao nível da programação oferecida. Exposições, pesquisas, palestras, cursos, seminários, simpósios, uma ampla e atrativa gama de atividades de alta qualidade reanimaram os museus da SEEC”, diz Christine Vianna Baptista, coordenadora do Sistema Estadual de Museus (Cosem), setor da Secretaria de Estado da Cultura.

No início de 2011, a SEEC, por meio da Cosem, elaborou um Plano Gestor para a área museológica do Estado, denominado Museus Paraná. O programa visa criar melhores condições físicas, estruturais e técnicas nos museus oficiais do Estado, de tal forma que venham a tornar-se capacitados para oferecer ao público um atendimento de qualidade e, consequentemente, poder replicar aos demais museus municipais ações de apoio técnico, cursos de capacitação, e, inclusive, a circulação de seus acervos, o que ocorreu intensamente ao longo de 2012 por meio de um programa de exposições itinerantes.

DADOS - O Museu Oscar Niemeyer (MON) teve em 2012 a visita de 220,5 mil pessoas, que puderam conhecer obras de artistas de renome mundial em 23 exposições, sendo seis internacionais e 17 nacionais. Ao todo, 1,5 mil escolas visitaram o espaço, totalizando 62,8 mil alunos. Além disso, o MON realizou 29 programas de capacitação e 20 oficinas.

Com 26,8 mil visitantes no ano passado, o Museu Paranaense realizou 14 exposições, privilegiando temas da história, antropologia e arqueologia, a partir de obras do próprio acervo. A partir de recursos da Lei Rouanet e da própria SEEC, o Museu Paranaense dedicou-se a um trabalho de reestruturação interna.

Além da melhoria das condições de guarda e conservação dos objetos do patrimônio cultural, foram inventariadas as coleções de documentos dos vários fundos do museu, somando mais de 6 mil documentos, dos quais 4,9 mil foram digitalizados, com cerca de 30 mil páginas. Todo este acervo foi higienizado, acondicionado em poliéster e acomodado em reserva técnica climatizada. O museu também reorganizou a Biblioteca Romário Martins e reequipou o Laboratório de Conservação e Restauro e os setores técnicos e educativo.

Na Casa Andrade Muricy, o número de visitantes em 2012 cresceu 41,4%, assim como o Centro Juvenil de Artes Plásticas, que recebeu 124% mais visitas, e o Museu Alfredo Andersen, que aumentou o índice de público em quase 10,6%.

Segundo a coordenadora do Sistema Estadual de Museus, a estatística de visitação em museus é proporcional à visibilidade que alcançam em determinados períodos, bem como ao grau de acessibilidade que oferecem, tanto em termos de estrutura física quanto da qualidade de sua programação, seja expositiva ou de acesso aos seus espaços, às informações e ao desenvolvimento de pesquisas, bibliotecas, arquivos, atividades educativas e de mediação cultural. “São atributos que tornam o museu um espaço atrativo e de recorrência ao público, como lugar de conhecimento e de reconhecimento. Ou seja, um lugar não só para ser visitado, mas para ser frequentado”, diz Christine.

fonte:
http://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=72624&tit=Museus-registram-crescimento-de-136-no-numero-de-visitantes

Ateliê de restauro de museu da UFBA recupera 14 telas da Via Sacra


Trabalho de restauração levou um ano e sete meses
Já estão disponíveis para apreciação pública, no Museu de Artes Sacra da Universidade Federal da Bahia, 14 telas da Via Sacra, que retratamo o trajeto seguido por Jesus carregando a cruz desde o Pretório até o Calvário, e  suas respectivas molduras, que foram totalmente recuperadas pelo Ateliê de Restauro do Museu. 
As telas realizadas no século XIX com registro do local da sua execução, na cidade de Paris, estavam bastante danificadas, com rasgos, perdas do suporte, manchas, respingos de tinta, verniz oxidado além das molduras com ataque de cupins e perdas dos elementos decorativos.
Todo o trabalho que durou um ano e sete meses, foi coordenado pela restauradora do Museu, Cláudia Guanais, e uma equipe de alunos de Artes Plásticas da UFBA, através do Projeto Institucional mantido pela Universidade.





fonte:
http://www.ufba.br/noticias/ateli%C3%AA-de-restauro-de-museu-da-ufba-recupera-14-telas-da-sacra