Listen to the text.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Diretor do Museu da Inconfidência recebe prêmio de literatura em MG



 
O escritor e diretor do Museu da Inconfidência (Ibram/MinC), Rui Mourão, receberá, nesta quarta-feira (6), o Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura, edição 2012, no qual foi vencedor na categoria Conjunto da Obra.
Rui Mourão dirige o Museu da Inconfidência há 38 anos
A cerimônia acontece às 11h no Centro de Arte Popular CEMIG – CAP (Rua Gonçalves Dias, 1608, Funcionários, Belo Horizonte). O evento contará com a presença do Governador do Estado, Antonio Anastásia, e da Secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras.
A secretária afirma que o prêmio desempenha um importante papel para o fortalecimento da produção literária do estado e do país, apoiando o trabalho dos escritores em atividade, com destaque para os mais jovens, e reconhecendo a trajetória de escritores brasileiros vivos. Veja aqui todos os premiados na edição 2012.
Rui Mourão, romancista e ensaísta, nasceu em Bambuí (MG) em 1929. Dirige o Museu da Inconfidência, em Ouro Preto, desde 1974. Lecionou Literatura Brasileira na Universidade de Brasília e nas universidades Tulane, Houston e Stanford, nos Estados Unidos. Participou dos movimentos das revistas literárias Vocação e Tendência. É membro da Academia Mineira de Letras.
Entre as diversas premiações e medalhas que recebeu, destacam-se o Reconhecimento Especial do Pégaso, na Colômbia (concorrendo com 427 livros publicados do continente), Ficção 2002 da Academia Brasileira de Letras e Homem do Ano no Brasil em 2009 e 2010 (concedido pelo American Biographical Institute dos USA). Saiba mais sobre Rui Mourão.
Texto e foto: Divulgação Secult MG

Museu de cera homenageia Whitney Houston com quatro estátuas diferentes


As estátuas serão apresentadas nesta quinta-feira em Nova York

Museu de cera homenageia Whitney Houston com quatro estátuas diferentes - Divulgação
Publicidade


Quase um ano após a morte de Whitney Houston, falecida no dia 11 de fevereiro de 2012, o museu de cera Madame Tussauds homenageou a diva criando várias estátuas.
A inauguração das figuras de cera será nesta quinta-feira (7) em Nova York.
"Ficamos extremamente honrados quando o Madame Tussauds nos procurou para dizer que pretendia fazer quatro figuras de Whitney em diferentes fases de seus 30 anos de carreira", disse a empresária e cunhada da cantora, Pat Houston em comunicado, em nome da família Houston. "É algo que ficamos empolgados em fazer para os fãs."
As quatro estátuas foram feitas na matriz do museu, em Londres, mas serão espalhadas por quatro filiais diferentes.
O museu de Washington D.C. receberá a estátua de Whitney com a roupa esportiva que usou para cantar o hino nacional americano no Super Bowl em 1991. O de Las Vegas ficará com a figura feita a partir do vídeo I Wanna Dance with Somebody, de 1988, onde ela canta com um vestido branco. A filial de Los Angeles receberá a estátua em que Houston aparece com um dos figurinos do filme O Guarda-Costas, de 1992. A quarta ficará em Nova York e foi baseada em uma sessão de fotos realizada na cidade em 2009.
Museu de cera homenageia Whitney Houston com quatro estátuas diferentes


fonte:
http://ofuxico.terra.com.br/noticias-sobre-famosos/museu-de-cera-homenageia-whitney-houston-com-quatro-estatuas-diferentes/2013/02/07-162293.html

Museu Republicano comemora os 403 anos de Itu expondo importante doação


Itu - O Museu Republicano da Universidade de São Paulo, para comemorar os 403 anos do aniversário de Itu, expõe uma importante doação, oferecida recentemente por José Estevam de Almeida Prado e Vera Prado Corrêa. Os doadores são bisnetos de José Vasconcellos de Almeida Prado, que participou da “Convenção de Itu”, reunião do movimento republicano realizada na casa que hoje sedia o Museu. Naquela ocasião, José Vasconcellos de Almeida Prado era proprietário da casa, juntamente com seu irmão Carlos.


A cadeira que conta com um design moderno


Trata-se de uma cadeira de balanço reclinável, da passagem do século 19 para o século 20, em madeira e palhinha, com design moderno, graças ao emprego de uma técnica inventada em 1860, na Áustria, que possibilitou recurvar alguns tipos de madeira, criando formas leves, funcionais e esteticamente interessantes.

Este tipo de móvel, em madeira recurvada e palhinha, ficou conhecido como mobília vienense, austríaca, ou pelo nome de seu inventor, Thonet. Foi muito difundido na Europa, no Brasil e em outros países, tornando-se comum em residências e alguns de seus modelos foram de uso corrente em cafés e restaurantes. Já a cadeira de balanço doada, é um modelo residencial sofisticado.
José Vasconcellos de Almeida Prado, filho do Capitão Francisco de Almeida Prado e Anna Joaquina de Vasconcellos, nasceu em Itu, em 1840 e faleceu em São Paulo, em 1926. Casou-se em 1872, em Itu, com Gertrudes de Souza Neves.

Foi um dos fundadores do Clube Republicano de Itu e do Jornal A Província de S. Paulo, atual O Estado de S. Paulo. Dedicou-se à agricultura e ao comércio do café. A novidade pode ser vista de terça a domingo, das 10h às 17h, no Museu (rua Barão do Itaim, 67 – Centro), com entrada gratuita.

fonte:
http://www.jornalperiscopio.com.br/?p=30162

Museu Paulista seleciona estagiário para serviço de pessoal

O Serviço de Pessoal do Museu Paulista (MP) da USP está com uma vaga para estagiário aberta, junto a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP.

A carga horária é de 20 horas semanais, de segunda a sexta-feira, no endereço Rua Xavier Curado, 25, Ipiranga, São Paulo. O valor da bolsa é de R$ 644,41 e o estágio tem duração de 6 meses, podendo ser prorrogado por mais 6 meses.

O estudante deve estar cursando a partir do 2º semestre. O trabalho será realizar atividades relacionadas às diversas rotinas de Recursos Humanos – Seção de Pessoal do Museu.
Interessados devem enviar currículo para o email dpmp@usp.br

Mais informações: (11) 2065-8010/ 2065-8154

Museu de Ciência britânico exibe homem biônico

Um "homem biônico", com órgãos artificiais, sangue sintético e membros robóticos, estimado em 1 milhão de dólares, está em exposição no Museu de Ciência britânico.




Meyer posa com o homem biônico, no Museu de Ciência. Foto: AFP/Andrew Cowie
Meyer posa com o homem biônico, no Museu de Ciência. Foto: AFP/Andrew Cowie


Batizado de Rex, abreviação em inglês de "Exoesqueleto Robótico", o humanoide de dois metros de altura com face estranhamente similar à humana, foi desenvolvido por especialistas de ponta em robótica para um programa de televisão.

Enbora seja mais barato do que o "homem de seis milhões de dólares", famoso pela cultuada série de televisão dos anos 1970, estrelada por Lee Majors, sua tecnologia é muito mais avançada do que a das criaturas biônicas concebidas pela ficção na época.

A criação inclui avanços chave em tecnologia prostética, com pâncreas, rim, baço e traqueia artificiais, além de um sistema circulatório com sangue funcional.

O psicólogo social suíço Bertold Meyer, nascido sem a mão esquerda e portador de uma sofisticada prótese biônica, deu as boas-vindas a Rex no museu.

"Durante muito tempo tenho procurado novas tecnologias biônicas, além do interesse pessoal, e penso que até cinco ou seis anos atrás nada especial estava acontecendo", disse Meyer.

"Então, subitamente, estamos agora em um ponto em que podemos construir um corpo que é grande e belo à sua própria maneira especial", acrescentou.

A mostra no museu, que será aberta ao público esta quinta-feira, vai explorar as mudanças de percepção da identidade humana tendo como pano de fundo o rápido progresso da biônica, ainda que Rex não seja estritamente biônico, uma vez que ele não possui tecidos vivos.
 
fonte:
http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2013/02/05/internas_cienciaesaude,421946/museu-de-ciencia-britanico-exibe-homem-bionico.shtml