Listen to the text.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Museus (memória + criatividade ) = mudança social

Museus (memória + criatividade ) = mudança social

Proposta pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM), a equação inspiradora para as comemorações do Dia Internacional dos Museus (18 de maio) de 2013 ressalta o arranjo entre o frescor criativo e a memória construída: a soma desses fatores repercute na sociedade e com ela interage, num movimento propulsor da mudança social.

A dimensão criativa do museu reside nas trocas afetivas, no despertar da sensibilidade, nas intuições e memórias que pulsam, na atualidade da imaginação sonhadora, na espontaneidade das relações. Criar é construir a memória, e, ao com ela trabalharem, os museus operam como quem edita, corta, recorta, cola, mistura, oculta, revela, enfatiza e esquece. O trabalho com a memória implica o reconhecimento do seu caráter seletivo, eletivo e, portanto, político.

Criar é dar sentido à existência, é perceber-se parte do processo. O importante na experiência do museu é ‘estar em relação’ e, nesse sentido, é fundamental imaginar outras coisas que não os saberes instituídos, aceitando a potência como fonte de novos saberes. O museu é parte integrante da sociedade e possui os elementos que lhe permitem participar na formação da consciência das comunidades que ele serve e também promover mudanças.

Na trajetória do pensamento sobre museus e mudança social construído no continente americano, destaca-se a Mesa-Redonda de Santiago do Chile, em 1972. Esta reunião ofereceu significativa contribuição para a Museologia internacional: a reflexão sobre a função social dos museus e a ideia de museu integral (ou integrado), sintonizado com os problemas da sociedade e capaz de atuar como instrumento do desenvolvimento.

O Brasil vem incorporando esse legado: presenciamos um aumento de museus de território e museus comunitários; vemos números crescentes de museus e de público de museus, com algumas das maiores visitações do mundo em exposições recentes; discutimos a relevância do papel social dos museus; as políticas desenvolvidas pelo Ibram para o campo museal são pensadas sob a perspectiva da mudança social.

Ademais, o tema “Museus (memória + criatividade) = mudança social” será discutido na 23ª Conferencia Geral Trienal do ICOM, a ser realiza em agosto na cidade do Rio de Janeiro, quando se estima a participação de 4.000 pessoas vindas de mais de 100 países e vários estados brasileiros.

O Ibram convida os museus brasileiros e a sociedade a celebrar a 11ª edição da Semana Nacional de Museus no período de 13 a 19 de maio, oportunidade rica para fazer uso da memória e exercitar a criatividade em busca das mudanças sociais que desejamos.

As inscrições foram prorrogadas e vão até 28 de fevereiro. Não deixe de inscrever as ações do seu museu! Entre em www.museus.gov.br e saiba mais!