Listen to the text.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Museu do Diamante abre inscrições para oficinas gratuitas em MG


O Museu do Diamante/Ibram, em Diamantina (MG), abriu inscrições para duas oficinas gratuitas programadas para começar ainda este mês.
O objetivo é proporcionar uma dinâmica cultural e educativa, incentivando e fortalecendo manifestações culturais, saberes e fazeres de diferentes segmentos sociais, dando prioridade para pequenas comunidades – com ênfase na cultura étnica, popular e comunidades afro-descendentes.
Oficinas são gratuitas e voltadas para a comunidade de Diamantina
A Oficina de Capoeira, realizada pelo Grupo Cais da Bahia, acontece de fevereiro a junho e oferece 45 vagas – 15 para cada horário. A idade mínima para participar é 6 anos.
Já a Oficina de Dança Contemporânea (módulo II) será ministrada por Calebe Ribeiro e dá continuidade ao primeiro módulo realizado em 2012. O objetivo é formar um grupo para a  montagem de um espetáculo de dança baseado na obra Tipos populares de Diamantina, de Augusto Fernandes.
A oficina acontece de 26 de fevereiro a 10 de dezembro, todas as terças e quartas das 13h às 15h. Estão disponíveis 30 vagas e a idade mínima para participar é 16 anos.
As inscrições para as duas atividades podem ser feitas no horário das 10h às 17h na portaria do museu, localizado à Rua Direita, 14 – Centro. Haverá emissão de certificado de participação. Saiba mais.
Texto: Divulgação Museu do Diamante

fonte:
http://www.museus.gov.br/noticias/museu-do-diamante-abre-inscricoes-para-oficinas-gratuitas-em-mg/

Museu de Arte do Rio será inaugurado no aniversário da cidade



O Museu de Arte do Rio (MAR) é uma realização da prefeitura da cidade e da Fundação Roberto Marinho.


Ele chega para dar cara nova ao porto, uma região da cidade que está sendo revitalizada. E tem mais um detalhe: o museu vem conectado a uma escola,  a Escola do Olhar.
Taí o mais novo candidato a cartão postal do Rio de Janeiro, o mar. É claro que é o mar, mas esse todo mundo já conhece.
E se a gente tivesse uma proposta diferente? A partir de agora, quem mora no Rio de Janeiro ou quem passa pra visitar a cidade maravilhosa vai pensar no mar de uma outra maneira. O mar pode ser uma Escola do Olhar ou até mesmo um museu.
O Museu de Arte do Rio, MAR. Uma realização da Prefeitura da Cidade e da Fundação Roberto Marinho. Está quase tudo pronto para a inauguração oficial na próxima sexta-feira, 1º de março, dia do aniversário do Rio.
Ele chega para dar cara nova ao porto, uma região da cidade que está sendo revitalizada.
E tem mais um detalhe: o museu vem conectado a uma escola - a Escola do Olhar.
“A gente brinca: é uma escola que tem um museu ao lado ou é um museu que tem uma escola ao lado? Na verdade, é um equipamento que tem várias salas de trabalho, de oficinas, para os professores, para os alunos poderem se programar. O projeto também é ambicioso no sentido que se propõe, é um compromisso, de acolher um terço da rede pública do Rio de Janeiro, por ano. Cerca de 200 mil alunos por ano, portanto, depois de três anos, a rede pública inteira terá podido circular nesse espaço que é um olhar pra si mesmo.”, diz o Secretário-Geral da Fundação Roberto Marinho, Hugo Barreto.
Diferentes olhares sobre o Rio estão nas exposições, especialmente uma que traz preciosidades, como um quadro da pintora modernista Tarsila do Amaral.
“Esse é um museu do Rio de Janeiro e que tem uma ligação muito forte com a cidade, apesar de ser um museu de arte maior”, diz Zeca Camargo
“É um museu, como o mar e a maré, é um fluxo, e nós entendemos que a arte é um objeto que tem um significado, mas esse significado é projetado por cada um de nós”, comenta Paulo Herkenhoff, curador do MAR.
Em uma vitrine, por exemplo, uma arte sacra barroca feita por Aleijadinho no século XVIII ao lado de uma escultura do século XX, símbolo do concretismo de Hélio Oiticica.
Alguns jovens tiveram coragem de olhar para tijolos e transformá-los em sua versão para a realidade onde moram, numa comunidade no Rio de Janeiro. Daí surgiu o Projeto Morrinhos, que está na mostra temporária "Morar nas Cidades".
“E pensar que isso começou num fundo de quintal, como uma brincadeira”, diz Zeca Camargo.
“Uma brincadeira de criança, há 15 anos, se tornou isso”, destaca Raniere Dias, do Projeto Morrinhos
“Era brincadeira e virou arte? Está no lugar certo?”, pergunta Zeca.
“Hoje é arte, ta no lugar certo”, diz Cilan Oliveira, do Projeto Morrinhos.
“Inclusive tem a parceria do museu que as comunidades ao entorno vão ter um dia só pra elas poderem vim e visitar o museu”, ressalta Raniere Dias.
Um mar para todo mundo aproveitar.

fonte:
http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2013/02/museu-de-arte-do-rio-sera-inaugurado-no-aniversario-da-cidade.html