sexta-feira, 1 de março de 2013

Modernização de bibliotecas e museus é tema de reunião no Arquivo Nacional



 
Amanhã (28), o Presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), José do Nascimento Junior, se reunirá com o Presidente da Fundação Biblioteca Nacional (FBN/MinC), Galeno de Amorim Júnior, e com o Diretor-Geral do Arquivo Nacional (AN), Jaime Antunes da Silva.
A reunião acontece na sede do Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, e marca o início do grupo de trabalho previsto no acordo de cooperação celebrado entre as três instituições em 2011. Saiba mais.
O acordo visa a preservação, valorização e divulgação do patrimônio documental arquivístico, bibliográfico e museológico do país e possibilitará o cumprimento de uma das metas do Plano Nacional de Cultura (PNC), que pretende modernizar 50% das bibliotecas públicas e museus, até 2020.
Dentre as atribuições do GT estão a coordenação e acompanhamento das ações decorrentes do acordo; a elaboração de propostas de revisão, de denúncia e de termos aditivos ao acordo de cooperação; e a elaboração de propostas de instrumentos necessários ao desenvolvimento dos objetivos propostos.
Texto: Ascom/Ibram
fonte:
http://www.museus.gov.br/noticias/modernizacao-de-bibliotecas-e-museus-e-tema-de-reuniao-no-arquivo-nacional/

Museu de Itabira está fechado desde dezembro passado


Sem “administrador” desde o dia 28 de dezembro do ano passado, quando a antiga secretária foi exonerada do cargo em razão da mudança de governo, o Museu de Itabira, na praça do Centenário, pelo menos por enquanto não tem data definida para voltar a funcionar.

ARI DE SOUZA
Museu de Itabira teve revitalização do prédio concluída em fevereiro do ano passado

Reaberto ao público no dia 7 de fevereiro de 2012, após a conclusão, no ano anterior, do projeto de restauração e revitalização, o museu está atualmente fechado para visitação pública e sem receber serviço de limpeza. O prédio, entretanto, é vigiado 24 horas.
A restauração foi realizada por intermédio de um convênio de parceria técnico-cultural entre a Prefeitura de Itabira e o Instituto Estrada Real (IER), pela qual foram investidos cerca de R$ 600 mil. Na reforma, que tinha como objetivo restabelecer o aspecto original do prédio, foram feitas manutenções de assoalho, forro e alvenaria, além de reforma das instalações sanitárias, copa e na parte elétrica, pinturas interna e externa.
O projeto, no entanto, sofreu constantes paralisações e levou três anos para ser concluído. Na solenidade de reinauguração, em fevereiro de 2012, a professora de museologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Letícia Julião, ministrou a palestra: Museu de Itabira – Vocação e Perspectiva.
Apesar da gestão ser de responsabilidade da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, a informação na época foi de que as atividades desenvolvidas no museu seriam promovidas também pela Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade e pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo.

fonte:
http://www.defatoonline.com.br/noticias/ultimas/28-02-2013/museu-de-itabira-esta-fechado-desde-dezembro-passado

Museu da Vida abre inscrições para Programa Jovens Aprendizes


Com 30 vagas oferecidas, o Programa  Jovens Aprendizes de Produção Cultural em Divulgação Científica abre inscrições nesta sexta-feira. Promovido pelo Museu da Vida, departamento da Casa de Oswaldo Cruz / Fiocruz, é uma ação de educação não formal voltada para jovens moradores e estudantes de escolas públicas do entorno da Fiocruz, com idades entre 16 e 19 anos. 
Os candidatos devem estar cursando o 2º ou 3º ano do ensino médio. 
O objetivo é promover a inserção dos jovens no mundo da cultura e do fazer cultural, por meio da divulgação científica e da popularização da ciência, com vistas à inserção dos participantes no mercado de trabalho.
Para fazer a inscrição, de 1º a 15 de março, são necessários os seguintes documentos (original e cópia): carteira de identidade (ou certidão de nascimento); CPF; comprovante de residência e uma declaração escolar. Os candidatos menores de idade precisam estar acompanhados de um responsável, que também deve apresentar original e cópia do RG e CPF. 
O atendimento é feito no Museu da Vida, de segunda a sexta-feira, das 14 às 16h. No sábado, dia 2, das 10 às 12h. O endereço é Avenida Brasil, 4365 – Manguinhos (altura da passarela seis). 
Mais informações no site www.museudavida.fiocruz.br ou pelos telefones (21) 3865-2130 / 3865-2156.

fonte:
http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2013/02/28/museu-da-vida-abre-inscricoes-para-programa-jovens-aprendizes/

Museu Amazônico prepara exposição de literatura de cordel, em Manaus


O poeta Valmir Pereira dos Santos mostra o trabalho nos dias 5 e 6 de março. 'O cordel é jornalismo em versos' traz temas relacionados à política e arte.


O Museu Amazônico prepara o lançamento de uma coletânea de textos em cordel do poeta baiano Valmir Pereira dos Santos. O evento acontece nos dias 5 e 6 de março.
De acordo com o cordelista, a coletânea 'O cordel é um jornalismo em versos' é fiel ao trabalho que o artista já realiza, mesclando jornalismo, política e arte."De fato, o cordel é um jornalismo em versos. Isso se comprova historicamente: na época das caravelas, os fatos que aconteciam durante as expedições eram relatados à coroa em forma de versos", disse ao G1.
Os primeiros trabalhos de Santos apareceram em 2001. Ele foi premiado na cidade de Cedro, interior do estado do Ceará, com o tema 'Diálogo das Raças'. É do poeta também a autoria de 'Lula Antes, Lula Depois' e 'Homens de Bem sobre a Mira do Mal', lançados em 2004. Em 2005, o escritor produziu 'A Indústria da Fé', 'O Preço da Mentira' e 'O Mensalão'. No ano seguinte, Santos lançou 'A Saga dos País do Faz de Contas' e 'Canções de Amor', entre outros.
Atualmente, o cordelista, além de escritor, atua como palestrante de literatura de cordel e promove oficinas de literatura, canto, música. Além disso, ele também palestra sobre o combate à violência e ao consumo de drogas.
Para Santos, o contato do público com a literatura de cordel é enriquece a cultura brasileira. "O povo tem acesso à cultura de outros Estados e isso é magnífico", completou.
O Museu Amazônico está localizado na rua Ramos Ferreira, nº 1036, Centro de Manaus. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelo número 3305-5200. Professores podem agendar a visita com alunos que receberão certificado de participação.
Cordel do poeta Valmir Pereira dos Santos (Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)Cordel do poeta Valmir Pereira dos Santos
(Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)

fonte:http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2013/03/museu-amazonico-prepara-exposicao-de-literatura-de-cordel-em-manaus.html

Rio de Janeiro inaugura museu na zona portuária


É a primeira obra a ficar pronta dentro de projeto de revitalização. Além do acervo permanente, o MAR receberá diversas coleções.


Nesta sexta-feira (1º), dia em que o Rio de Janeiro completa 448 anos, a cidade inaugura o MAR, Museu de Arte do Rio. É a primeira obra a ficar pronta dentro do projeto de revitalização da zona portuária. Além do acervo permanente, o MAR receberá diversas coleções.
Em séculos de transformação, a paisagem da zona portuária do Rio de Janeiro foi ganhando novos traços. Agora, uma revitalização desenha mais mudanças, e uma das principais é o MAR, Museu de Arte do Rio.
O projeto uniu o antigo prédio da Alfândega a uma estrutura arquitetônica ousada. São 15 mil metros quadrados. Na cobertura, fica a marca mais famosa da cidade, as ondas do mar, ondulações que pesam 800 toneladas. “A produção dessa onda na engenharia foi uma coisa super desafiadora, uma coisa que, há cinco anos, acho que não seria possível”, afirma o arquiteto Bernardo Jacobsen.
Pelas oito salas de exposições, obras históricas como as de Nicolau Facchinetti e Émile Taunay. O museu, uma realização da prefeitura e da Fundação Roberto Marinho, ainda abriga a Escola do Olhar, onde alunos e professores da rede pública vão conviver com a arte e a história que os artistas testemunharam. “A atividade de funcionamento e das exposições do museu sempre vai ter uma abordagem educativa.”, afirma Luís Fernando de Almeida, diretor executivo do MAR.
Entre artistas, colecionadores e marchands, não é raro constatar como é difícil se desfazer de uma obra, deixar que tenha um novo proprietário, que siga outros caminhos. A criação deste museu, porém, entusiasmou muitos doadores.
Jones Bergamim se encantou com o novo museu e não resistiu: doou 20 obras, como paisagens, personagens da cidade e a moça. O valor de cada uma? Não é o mais importante. “A doação é uma maneira mais nobre que você tem de se desfazer de coisas que você coleciona e tem amor”, diz.
Adriana Varejão já expôs mundo afora. Seu trabalho é mais que reconhecido. A artista plástica também decidiu mandar um de seus quadros para o acervo do novo museu. “Dá satisfação para qualquer artista fazer parte de um acervo de museu, porque é a garantia de que essa obra vai ter um eco no futuro. Vai fazer parte da memória, da construção da memória cultural daquele momento, daquela época”, afirma.
Esses salões, no entanto, não exibem só grandes obras de artistas famosos. Muitas peças foram encontradas pelos curadores em sites na internet, postas à venda por pequenos colecionadores. “De repente, aparece na internet alguém da ilha de Fiji oferecendo para vender uma moeda onde o carnaval do Rio é o tema. O outro oferece uma fotografia do século XIX que foi o bisavô que passou pelo Rio e comprou. A imagem do MAR também é uma navegação pela internet em busca de bens simbólicos”, diz Paulo Herkenhoff, curador do MAR.
Foi assim que esses registros foram parar no museu: um certificado de ações da Companhia do Porto do Rio e o comprovante dos dividendos de mil 1912, rótulos de malas e cargas desembarcadas dos navios e revistas que marcaram época.
Além de abrigar a história, o Museu de Arte do Rio quer ser um receptor das manifestações culturais, sejam elas dos grandes mestres ou dos artistas populares. “O nosso museu é para as pessoas chegarem como elas são. Nós acreditamos que cada visitante tem um olhar que nós queremos para o museu”, explica Herkenhoff.

fonte:
http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2013/03/rio-de-janeiro-inaugura-museu-na-zona-portuaria.html