domingo, 4 de agosto de 2013

SISEM-SP divulga selecionados do curso EAD para profissionais de museus

A Secretaria de Estado da Cultura, por meio do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), disponibilizou para o público a lista dos selecionados para a nova edição do curso a distância para profissionais de museus. Os nomes estão disponíveis na página www.sisemsp.org.br. 

Com grande procura, o curso “Introdução ao Trabalho em Museus” totalizou 302 inscritos para o preenchimento de 110 vagas gratuitas. Participaram do processo de seleção pessoas de 15 Estados brasileiros, como Alagoas, Sergipe, Ceará, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Bahia, Tocantins e Paraná, além de três países: Alemanha, Cabo Verde e Peru. 

A ação, oferecida em parceria com a Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari (ACAM Portinari), utiliza a plataforma virtual da Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp). 

No processo de seleção foram avaliadas a atuação do candidato no museu, através de vínculo institucional, a representatividade regional, para buscar profissionais de diferentes instituições, e a diversidade de tipologias (museus de arte, ciências, história, etc.), além de reservar uma cota para compartilhar com outros sistemas estaduais. 

Para a matrícula, será necessário o envio de cópia digital (boa resolução) dos seguintes documentos: RG, CPF e comprovante de residência. O envio deverá ser feito até o dia 8 de agosto, para o e-mail sisem@sp.gov.br, com cópia para aperez@unaerp.br e jpiassa@unaerp.br . As atividades do curso deverão ter início no dia 19/8/2013. 

Núcleo da Notícia Comunicação Corporativa: 
(16) 3237.7367 / 3237.7368 / 3237.7369 
André Luís Rezende – (16) 8142-4299 
andreluisrezende@nucleodanoticia.com.br 
Juliana Dias - (16) 9233-1823 
julianadias@nucleodanoticia.com.br 
Dayane Malta – (16) 9233-3014 
dayanemalta@nucleodanoticia.com.br 
www.nucleodanoticia.com.br 

Secretaria de Estado da Cultura: 
Renata Beltrão – (11) 2627-8166 
rmbeltrao@sp.gov.br 
Giulianna Correia - (11) 2627-8243 
gcorreia@sp.gov.br 

Museu da Língua Portuguesa chega a Santos

Pela primeira vez desde sua inauguração, em 2006, o Museu da Língua Portuguesa promove uma exposição itinerante em sete cidades paulistas. Santos será o primeiro município a receber o conteúdo já visto por mais de 3 milhões de visitantes na Capital.

O começa neste sábado (3) até 31 de agosto, no Cais (Centro de Atividades Integradas) Milton Teixeira. O horário de visitação é de 2ª a 6ª, das 9h às 18h, e aos sábados, das 11h às 20h. A entrada é franca.
A exposição começa com uma escultura de caixas, onde se apresenta o museu. Na sequência, o visitante vê um painel gráfico com as origens da língua e um vídeo que apresenta as conquistas de Portugal. Esta seção inclui um terminal que permite escutar os vários sotaques do português. A terceira área reproduz uma ‘Linha do Tempo’, na qual é exibida a evolução do idioma e a relação com outras línguas.

O Cais fica na avenida Rangel Pestana, 150, Vila Mathias. Outras informações pelo telefone 3226-8000.

Casarão do Museu Julio de Castilhos é reaberto em Porto Alegre

Casa onde morou político positivista estava fechada há 16 anos. Espaço de exposições foi ampliado e ganhou mais quatro salas.

Depois de 16 anos fechado, foi reaberto na manhã deste sábado (3) com uma programação especial o prédio principal do Museu Julio de Castilhos, no Centro Histórico de Porto Alegre. O espaço de exposições foi ampliado e agora conta com mais quatro salões.
Considerado o mais antigo museu do Rio Grande do Sul, o casarão localizado na Rua Duque de Caxias é uma herança colonização açoriana na capital gaúcha. O prédio foi construído em 1887 e foi a última casa do político considerado patriarca do estado, morto em 1903.
Museu Julio de Castilhos Tarso Genro (Foto: Caroline Bicocchi/Palácio Piratini)Governador Tarso Genro compareceu à reabertura
(Foto: Caroline Bicocchi/Palácio Piratini)
O acervo do museu é composto de mais de 11 mil peças, como pinturas, fotografias, roupas, armas, documentos e objetos pessoais de Julio de Castilhos, de grande valor artístico e histórico. Ainda neste ano, a mobília que pertenceu ao político deve voltar a ser exposta no museu.
Um evento em homenagem à cultura açoriana foi organizado para marcar a reabertura. Durante todo o dia, o público pode acompanhar apresentações de dança, canto e artes cênicas, além de uma feira de gastronomia inspirada na culinária açoriana.
fonte:
A principal coleção de arte de Detroit está sob ameaça desde que a prefeitura da cidade entrou em concordata (acordo para evitar a falência).

Em junho passado, o interventor estadual pediu um inventário da coleção do Instituto de Artes de Detroit (DIA, da sigla em inglês). O museu pertence à prefeitura local.


Visitantes passam em frente ao mural de Diego Rivera, no Instituto de Artes de Detroit, nos Estados Unidos




“Os credores querem conhecer todos os ativos que a cidade possui, mas não estamos pensando no momento em vender as obras”, afirmou o interventor Kevyn Orr.

Mas a casa de leilões Christie’s já entrou em contato com o museu para avaliar as obras, supostamente a pedido de credores.

Isso foi o suficiente para detonar uma discussão se valeria a pena se desfazer de obras-primas de Van Gogh, Matisse ou Rembrandt para pagar as dívidas da cidade (equivalentes a R$ 46 bilhões) ou para “proteger as aposentadorias dos funcionários públicos”, como sugeriram sindicalistas.

Críticos de arte da cidade já chamaram as casas de leilões de “abutres” e o presidente do museu Metropolitan de Nova York, Thomas Campbell, disse que qualquer venda seria uma “liquidação destrutiva”.

O presidente da Associação Americana de Diretores de Museus, Tim Rub, que dirige o Museu de Filadélfia, até mandou carta ao governador de Michigan pedindo explicações. Espera-se uma batalha legal se o governo confirmar o leilão.

Hoje, mais de um terço das luzes nas ruas de Detroit está apagado, metade de seus parques está fechada e a cidade apresenta o maior índice de homicídios nos EUA (54,6 por 100 mil habitantes -São Paulo, teve 11,5 no ano passado).




RIVERA E FORD

Fundado em 1868 e com uma sede de 61 mil m² (cinco vezes a Pinacoteca de São Paulo), o DIA exibe a opulência dos tempos em que Detroit era a quarta maior cidade americana e rica com a indústria automotiva.

Dois gigantes murais de Diego Rivera estão no salão principal, que foram encomendados e pagos pela família Ford nos anos 1930.

A coleção enciclopédica de 67 mil obras vai de antiguidades romanas e gregas e uma coleção de armaduras medievais à arte contemporânea, com obras de Gilbert & George, Anselm Kiefer, Frank Stella e Marina Abramovic.

As obras mais valiosas, segundo especialistas, são “A Janela”, de Henri Matisse, “Dança de Casamento”, de Bruegel, o velho, “Os Sonhos dos Homens”, de Tintoretto, e duas de Van Gogh, um auto-retrato e o “Retrato do carteiro Roulin”, todas avaliadas acima de US$ 100 milhões (cerca de R$ 230 milhões).

Mas a coleção ainda tem sete obras de Picasso, uma de Velázquez e outra de Rembrandt –que, se leiloadas ao mesmo tempo, poderiam perder valor. No acervo, há ainda um quadro de Cândido Portinari, “Gado”, de 1939.

A crise da cidade já afetou diversas vezes o museu. O orçamento foi reduzido em quase um terço, de US$ 34 milhões em 2008 para US$ 25 mi no ano passado –com demissões de vários funcionários.

Três condados da região metropolitana de Detroit aprovaram no ano passado, em plebiscito, um aumento no imposto de propriedade urbana (o IPTU local) durante os próximos dez anos para transferir fundos ao museu -garantindo US$ 22 milhões ao ano. Até então, quase todo o orçamento vinha de doações, por conta dos cortes municipais.

O primeiro efeito, até agora, do risco de leilão da valiosa coleção, é que o museu vive mais cheio que nunca.

Anualmente, recebe 600 mil visitantes, bastante para uma região metropolitana de 4 milhões de habitantes (o Masp recebe 800 mil por ano, em uma região metropolitana de 20 milhões).
Funcionários do museu dizem que a frequência dobrou nas últimas duas semanas.

O DIA possui pilhas de banquinhos dobráveis nas principais esquinas das salas, que os frequentadores podem pegar e posicionar na frente de sua obra favorita para minutos de contemplação ou descanso.

Na quarta-feira passada, por exemplo, havia poucos banquinhos disponíveis.

Encontro Baiano de Museus está com inscrições abertas

Estão abertas as inscrições para a 4ª edição do Encontro Baiano de Museus, que acontece nos dias 10 e 11 de setembro, no Instituto Feminino (Politeama), com o objetivo de promover o debate sobre o papel dos museus e a conexão entre estes espaços e o futuro. 
As inscrições para os interessados em apresentar trabalhos segue até 18 de agosto. Já o público geral tem até 5 de setembro para garantir a participação. As inscrições para ambos os casos são gratuitas e devem ser feita pelo e-mail encontrobaianodemuseus@gmail.com.
No dia da abertura, os participantes podem levar pacotes de fraldas geriátricas, tamanhos G ou GG, que serão doadas para o Lar Maria Luiza.
O encontro é realizado pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac). Mais informações pelo telefone 71 3117-6381.

Exposição " Memórias de um segundo atrás ", no ESPAÇO da LIVRARIA CULTURA, localizado na Av. Paulista, 2073 - SP - SP

A EXPOSIÇÃO,

   Edison Mariotti, idealizador da  exposição, vem contribuindo para as manifestações de artistas brasileiros divulgando seus trabalhos na  internet ( www.rc.com.br ). 

Agora, é com grande satisfação que o convidamos para a  exposição " Memórias de um segundo atrás "  em um ambiente real.  O evento acontece no ESPAÇO da LIVRARIA CULTURA, localizado na Av Paulista, 2073 - Conjunto Nacional, na RAMPA, acesso via Al. Santos - São  Paulo SP. 

Essa exposição ficará aberta à visitação de 02 agosto até 30 de agosto de 2013, aberto todos o dias das 10h às 22hs. Ressaltamos que vossa presença é de grande importância, valorizando o  evento e evidenciando os artistas brasileiros; Magda Bugelli, Mary Yamanaka, Iara Pinheiro, Vivi Zepe e Karlene Bianca.

AGENDA -
                          “face to face” - bate papo com os artistas - no salão da exposição

  - dia 10 de agosto ( sabado ) das 14 às 15 hs
  - dia 17 de agosto ( sabado ) das 14 às 15 hs
  - dia 24 de agosto ( sabado ) das 14 às 15 hs

Abraços
Edison Mariotti

Apoio:
Ecomuseu Santana, arte para todos.

Projeto mais60 - valorizando nossos talentos.