Listen to the text.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Museu Oceanográfico completa 60 anos de atividades



O Museu Oceanográfico do Rio Grande, que guarda a mais importante coleção de moluscos da América Latina, completou 60 anos de atividades no último domingo. Fundado em 8 de setembro de 1953 por um grupo de apaixonados pelos estudos do mar, o museu é mantido pela Universidade Federal do Rio Grande (Furg) e tem o nome de um dos fundadores - Eliézer de Carvalho Rios - cuja paixão pela oceanografia tornou seu nome conhecido mundialmente.

Aos 92 anos, Eliézer de Carvalho Rios vê com orgulho o crescimento do museu, que desde a década de 1970 pertence à Furg e já deu outros frutos, formando o complexo de museus da Universidade, com o Museu Antártico, o Ecomuseu da Ilha da Pólvora, o Museu Náutico, o Centro de Formação Ambiental Marinha e o Centro de Recuperação de Animais Marinhos (Cram). O Museu Oceanográfico "Prof. Eliézer de Carvalho Rios" deu origem ao Complexo de Museus e Centros Associados da Universidade Federal do Rio Grande.

A instituição mantém uma exposição pública sobre a vida e a dinâmica dos oceanos, apresentada em painéis, maquetes, aquários e diversos equipamentos utilizados em pesquisas oceanográficas. Nos painéis das salas do museu são apresentadas centenas de conchas, que enriquecem a coleção de moluscos.

Aproximadamente, 50% do acervo representa a malacofauna brasileira. Os espécimes são preservados inteiros secos, inteiros em líquidos e partes de espécimes secos (peles, esqueleto, conchas, ossos, crânios, ovos, penas). As ilhas oceânicas brasileiras também fazem parte das pesquisas do museu. Algumas expedições foram realizadas, tais como: Atol das Rocas, em 1977 e 1982; Arquipélago de Abrolhos, em 1978 e 1980; Arquipélago de Fernando de Noronha, em 1979, e Arquipélago de São Pedro e São Paulo, a partir de 2001. Com base nesse material, várias espécies estão sendo estudadas e muitas já foram descritas.

Até o ano de 2002, os lotes de conchas a serem incorporados na coleção eram apenas registrados manualmente, através de livros tombo. Com a implementação do Banco de Imagens e Dados (BID), projeto financiado pela Petrobras, 46.200 amostras de moluscos foram catalogadas, promovendo um grande avanço no manejo dessas informações. Nos últimos anos, o Museu Oceanográfico Prof. Eliézer de Carvalho Rios recebeu reformas e melhorias na recepção e também na exposição, tornando-a mais dinâmica e atraente. O museu abre diariamente à visitação pública, das 9h às 11h30min e das 14h às 17h30min.

O diretor do Museu Oceanográfico, Lauro Barcellos, destacou que esse museu completa 60 anos como produto de uma obra coletiva que expressa a vontade da comunidade, através de todas as pessoas que ajudaram e ajudam a manter a instituição. "Devemos lembrar sempre, com gratidão, a liderança dos professores Eliézer de Carvalho Rios e Boaventura Barcellos, que foram os pioneiros criadores desse museu", ressaltou o diretor da instituição. Lauro Barcellos ontem seguiria para visitas a museus náuticos e oceanográficos em alguns países da Europa. Ele buscará subsídios e projetos aplicáveis ao complexo de museus da Furg.

 


fonte:
http://www.jornalagora.com.br/site/content/noticias/detalhe.php?e=3&n=48531