quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Museu do Marcapasso reúne mais de 500 peças





Os participantes do 68º Congresso Brasileiro de Cardiologia, no Rio de Janeiro, no período de 28 de setembro a 1º de outubro, vão ter a oportunidade de conhecer uma preciosidade da cardiologia nacional: O Museu do Marcapasso do DECA - Departamento de Estimulação Cardíaca Artificial da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV). 

O maior acervo sobre estimulação cardíaca artificial do mundo tem mais de 500 peças, entre geradores de marcapassos antigos, cabos-eletrodos, cartazes, fitas cassete, fitas de vídeo, fotografias, programadores antigos, livros, folders, filmes V8 e peças originais fabricadas artesanalmente na antiga oficina do Instituto de Cardiologia do Estado de São Paulo. “No final de 1974, comecei a colecionar geradores de marcapasso com desgastes, que eram substituídos durante as cirurgias de pacientes em Uberaba. Em um ano, já tinha conseguido um grande número de peças”, lembra Celso Salgado de Melo, o criador do Museu. 

O cardiologista conta que a principal ajuda para reunir as peças foi do Departamento de Estimulação Cardíaca Artificial do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, do acervo de Décio Kormann, e de colegas de várias regiões do Brasil, que enviaram marcapassos e outros equipamentos. 

O acervo também tem peças internacionais. “Nesses anos de história, mantivemos muitos intercâmbios, principalmente com Seymour Furman, responsável pelo museu da Heart Rhythm Society, presente em vários congressos americanos. Muitas peças repetidas foram trocados com eles. Enviamos também várias peças para o museu da Bakken Society and Library, de Minneapolis (EUA)”, explica. 

Recentemente, todas as peças foram fotografadas e catalogadas pelo fotógrafo Gilson Anunciação. “Gilson fez um ótimo trabalho e, além disso, ajudou a criar um site próprio do Museu (http://www.deca.org.br/museu/) que pode ser acessado por todos que desejam conhecer a fantástica história da estimulação cardíaca artificial”, finaliza Celso Salgado de Melo. 

fonte:
http://www.pautas.incorporativa.com.br/a-mostra-release.php?id=22613

 

Museu d'Orsay de Paris dedica mostra à nudez masculina


São ao todo 180 obras, divididas em onze espaços, que mostram a evolução na representação do nu masculino de 1800 à atualidade, passando pelo ideal clássico, a nudez heroica e o corpo inserido na natureza



fonte:
http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/museu-dorsay-de-paris-dedica-mostra-a-nudez-masculina