quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Uma data especial: Dia do Idoso





 
Pense em alguém da sua família que tanto ama, que sempre cuidou de você; uma pessoa que, quando você dizia ‘estou com fome’, buscava imediatamente algo da ‘padaria’! Lembra-se daquele que brincava com você, sentava ao chão e ainda permitia se sujar e rolar com você na lama? Se você se lembrou de seus avós, é porque teve uma infância maravilhosa, bem divertida!

Comemoramos neste início de outubro o ‘Dia do Idoso’. A chegada à terceira idade traz consigo muitas mudanças. O envelhecimento, apesar de ser um ‘processo natural’, em muitos casos não é fácil de ser aceito. Alguns idosos enfrentam limitações físicas e mentais, o que pode levá-los ao desânimo e até mesmo à depressão, pois eles se sentem‘inválidos’ e acreditam que não têm mais ‘valor’ para seus familiares. Com a aposentadoria, a pessoa afasta-se do trabalho, deixando de fazer, em muitos casos, aquilo que sabe de melhor, ou ainda, aquilo de que mais gostava. Nessa fase, é muito comum a reflexão sobre a perda, o que leva o idoso a pensar sobre a chegada da morte.

Mas os idosos têm o direito de serem tratados com todo respeito, pois eles desenvolveram uma grande experiência de vida, independente do grau de instrução. Muitos não sabem nem escrever seu próprio nome, mas são donos de um conhecimento sem igual. Devemos respeitá-los e valorizá-los, pois foram eles que com seu trabalho, paciência e conhecimento, construíram nosso presente.

Hoje, felizmente, houve muitas melhoras no cuidado com nossos ‘velhinhos’. Eles conquistaram vários benefícios, como prioridade em filas e atendimentos; isenção de pagamento de transporte coletivo; vagas diferenciadas em estacionamentos; descontos em diversas atividades como cultura, esportes e lazer, e o direito de adquirir algumas medicações em postos de saúde.

Aceitar o envelhecimento com naturalidade é a melhor coisa que podemos fazer, pois assim, saberemos lidar com as limitações e restrições que chegam com a idade. É preciso também encarar a terceira idade com otimismo, pensando que, depois de ter trabalhado muito e criado seus filhos, o idosoagora pode usar seu tempo para realizar sonhos e desejos adiados. É o momento que poderá realizar atividades prazerosas, como cuidar dos netos;viajar; desenvolver outras habilidades; conhecer pessoas etc.

A família deve aceitar, incentivar e permitir a realização dessas atividades. Proporcionar ao idoso caminhadas diárias, exercícios ao ar livre e brincadeiras com os netos são ótimas formas de exercitar o físico.Mas a mente do idoso também deve ser exercitada. Uma boa conversa, leituras agradáveis, quebra-cabeças e participação em grupos de terceira idade são práticas que estimulam e dão prazer ao idoso.

Lembre-se: os idosos merecem nosso amor, respeito, carinho e atenção. Devemos tratá-los da melhor forma possível, pois eles já passaram por muitas fases na vida; fases boas e más e, por isso mesmo, acumularam muita experiência e têm lições de vida.
Vamos cuidar dos nossos idosos da melhor forma possível. Não nos esqueçamos de que um dia também iremos envelhecer!

fonte:
* Daniele Vilela Leite é Orientadora Educacional na empresa Planeta Educação (www.planetaeducacao.com.br);com grande experiência em trabalhos relacionados à Educação. Contato: daniele.leite@vitaebrasil.com.br

Museu no Egito expõe tesouros roubados durante revolução de 2011

Mostra 'Destruição e restauração' reúne 29 objetos, incluindo 11 devolvidos.
Dos 54 itens roubados em protestos, apenas 25 foram achados até agora.

Estátua da 18ª dinastia mostra o rei Tutankhamon em pé sobre barco de papiro em exposição no Museu Egípcio, no Cairo (Foto: Mahmoud Khaled/AFP)Estátua da 18ª dinastia mostra o faraó Tutancâmon em pé sobre barco de papiro em exposição no Museu Egípcio, no Cairo, na segunda-feira (30) (Foto: Mahmoud Khaled/AFP)



Uma exposição de objetos de arte recuperados durante a revolução egípcia de 2011 abriu suas portas nesta segunda-feira (30), no Cairo. Intitulada "Destruição e restauração", a mostra reúne 29 objetos, incluindo 11 que haviam sido roubados em 28 de janeiro de 2011 do Museu Egípcio, perto da Praça Tahrir, quando manifestantes exigindo a renúncia de Hosni Mubarak invadiram o prédio.
saiba mais

Os outros 18 itens permaneceram no museu, mas foram danificados ou destruídos por saqueadores antes de serem pacientemente restaurados.

Entre as peças expostas, estão três estátuas de valor inestimável da época do faraó Tutancâmon, incluindo uma em ouro representando-o a bordo de um barco, pescando no Rio Nilo.

Uma múmia, cuja cabeça foi arrancada durante os saques, também será exibida. Os restauradores foram capazes de ligar a cabeça ao corpo, usando técnicas do tempo dos faraós.

Um total de 54 objetos foi roubado do Museu Egípcio na época das manifestações, principalmente tesouros que datam do reinado dos faraóes Aquenáton e Tutancâmon. Apenas 25 foram encontrados até o momento.

O ministro das Antiguidades do país, Mohammed Ibrahim, declarou na segunda-feira que nenhum dos itens roubados havia saído do Egito e que as autoridades estavam procurando por eles.

Múmia de uma criança chamada Amenhotep é exibida no Museu Egípcio, no Cairo (Foto: Mahmoud Khaled/AFP)Múmia de uma criança chamada Amenhotep é exibida no Museu Egípcio (Foto: Mahmoud Khaled/AFP)
Artefatos faraônicas fazem parte da mostra 'Destruição e restauração', no Cairo (Foto: Mohamed Abd El Ghany/Reuters)Artefatos faraônicas fazem parte da mostra 'Destruição e restauração' (Foto: Mohamed Abd El Ghany/Reuters)
Exposição com 29 objetos inclui 11 que haviam sido roubados em 28 de janeiro de 2011  (Foto: Mohamed Abd El Ghany/Reuters)Exposição com 29 objetos inclui 11 roubados em janeiro de 2011 (Foto: Mohamed Abd El Ghany/Reuters)
  •  
Estátuas de arqueiros da antiga região da Núbia, hoje dividida entre Egito e Sudão (Foto: Mahmoud Khaled/AFP)Estátuas de arqueiros da antiga região da Núbia, hoje dividida entre Egito e Sudão (Foto: Mahmoud Khaled/AFP)
Sarcófagos e múmias dos tempos dos faraós egípcios são expostos em museu (Foto: Mohamed Abd El Ghany/Reuters)Sarcófagos e múmias dos tempos dos faraós egípcios são expostos em museu (Foto: Mohamed Abd El Ghany/Reuters)

fonte:
http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2013/10/museu-no-egito-expoe-tesouros-roubados-durante-revolucao-de-2011.html
Museu da UEL integra Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - Universidade Estadual de Londrina - Educação - Bonde. O seu portal
Veja mais em: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-12--16-20131002
Museu da UEL integra Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - Universidade Estadual de Londrina - Educação - Bonde. O seu portal
Veja mais em: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-12--16-20131002

Ministra da Cultura visita Museu Mariano Procópio em Juiz de Fora

Encontro terá também a participação da presidente da Petrobras. Ministério da Cultura e Petrobras farão repasse de R$ 2 milhões ao Museu.


Museu permanece fechado  (Foto: Acervo Museu Mariano Procópio/Reprodução)Museu permanece fechado há cinco anos
(Foto: Acervo Museu Mariano Procópio/Reprodução)



A ministra da Cultura Marta Suplicy vem a Juiz de Fora nesta quarta-feira (2) para visitar o Museu Mariano Procópio, que está fechado há cinco anos para reformas. A ministra virá acompanhada pela presidente da Petrobras, Graça Foster.  O objetivo do encontro é firmar o repasse de R$ 2 milhões ao Mariano Procópio como parte de ações culturais entre a estatal e o Ministério da Cultura para a Copa do Mundo de 2014. O diretor do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Ângelo Oswaldo, também é esperado. A visita está marcada para 11h30.


O museu é o único de Minas Gerais a receber parte dos recursos que somam ao todo R$ 20 milhões em investimentos para 12 museus brasileiros. De acordo com informações divulgadas pelo Ibram, o Museu Mariano Procópio será contemplado pelo convênio entre a Petrobras e o Ministério da Cultura por ter um importante acervo da época do Império, que dialoga com o Museu Imperial, de Petrópolis, e está entre duas cidades sede da Copa do Mundo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.


  De acordo com a direção da Fundação Mapro, a expectativa é de que a Villa do Museu Mariano Procópio (Mapro) seja reaberta no próximo ano. Já o prédio do museu, construído por Alfredo Ferreira Lage para abrigar a galeria de Belas Artes, só voltará a receber visitantes em 2015. Para isso, de acordo com a direção da instituição, estão previstos investimentos de aproximadamente R$ 11 milhões, entre recursos que estarão disponíveis até 2015, saldos e rendimentos de convênios anteriores, repasses, emendas parlamentares e leis de incentivo à cultura. Valores que precisam ser viabilizados por meio de planos de trabalho que esclareçam de que forma serão investidos e os organogramas, para finalmente serem recebidos pelo museu.
Museu permanece fechado  (Foto: Acervo Museu Mariano Procópio/Reprodução)Villa no começo do século XX (Foto: Acervo Museu
Mariano
Procópio/Reprodução)
A Villa foi construída em 1861. Era a chácara da família de Mariano Procópio e hospedou o imperador Dom Pedro II em visitas à região. Em 1921, Alfredo Ferreira Lage decidiu transformar o local em museu. A Villa é a casa-museu mais antiga do país. Em 1922, foi inaugurado o prédio anexo, chamado Mariano Procópio, para abrigar a galeria de Belas Artes. Em 1936, ele antecipou a doação do acervo ao município. Atualmente, o patrimônio do Museu Mariano Procópio é tombado pelo município e pelo Estado. O acervo foi um dos primeiros a ser tombados pela União, em 1939. Os prédios e o jardim estão em processo de tombamento federal.

fonte:
http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2013/10/ministra-da-cultura-visita-museu-mariano-procopio-em-juiz-de-fora.html

Engenheiro e arquitetos apresentam projeto do Museu das Águas


Será apresentado nesta quarta-feira (2), às 19h30min, o projeto Museu das Águas (MUSA), novo empreendimento a ser instalado em Porto Alegre, na orla do Guaíba. Promovido pela regional do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RS), o encontro acontecerá a partir das 19h30min no Solar do IAB-RS (R. General Canabarro, 363) e faz parte do ciclo de encontros Quartas no IAB.

O engenheiro Luiz Antonio Timm Grassi e os arquitetos Marcelo Allete e Giovana Becker abordarão a filosofia e o projeto do MUSA, que tem potencial para se tornar um dos maiores museus de águas do mundo. O novo espaço buscará trabalhar o tema em três eixos: educativo, histórico e artístico.

fonte:
http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=135931

Recuperado retrato de Napoleão que se julgava perdido



Um retrato do imperador francês Napoleão Bonaparte, que se julgava perdido há dois séculos, foi encontrado em Nova Iorque, tendo sido comprado por menos de um centésimo do seu valor provável.

A pintura, executada por Jacques-Louis David em 1813, quando a Grã-Bretanha e a Prússia ameaçavam ocupar França, ilustra Napoleão I empenhado em defender o país da invasão, usando o uniforme da guarda nacional.



Imagem: As semelhanças entre os dois retratos são evidentes Collins Fine // Arts/AFP


No retrato Napoleão (1769-1821) aparece, como era seu hábito, com a mão direita na casaca. Pensando-se ser uma cópia, a partir de um outro retrato de David de 1812 que faz parte da colecção da National Gallery de Washington e representa o imperador no seu escritório, a obra foi vendida em 2005 a um colecionador privado de Nova Iorque por cerca de 18 mil euros.

O comprador mandou limpá-lo e depois contactou o perito em arte francês Simon Lee, da Universidade de Reading, em Londres, para o analisar. Lee comparou-o com cópias e outros quadros de David.

“O quadro tem também a assinatura genuína de David, a limpeza revelou a palavra Rouget e a data 1813 apareceu”, disse Lee. George Rouget foi a assinatura preferida de David durante quase dez anos.

O retrato esteve com a família Borthwick-Norton no seu castelo fora de Edimburgo e foi oferecido à Academia Real Escocesa em 1988.

“A nossa política de coleção é dirigida para as artes e temas escoceses, não colecionamos obras de artistas europeus”, disse um responsável da academia à agência France Presse. "Foi avaliado por leiloeiras e especialistas, que olharam para isto como uma cópia.” Agora parece que a academia perdeu uma pequena fortuna. Crê-se que o quadro valha mais de 2,4 milhões de euros. David foi um dos mais famosos pintores na Europa entre 1780 e a data da morte, em 1825.

fonte:
http://pam-patrimonioartesemuseus.com/forum/topics/recuperado-retrato-de-napoleao-que-se-julgava-perdido