quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Nova gestão do Museu das Minas e do Metal

Governo de Minas anuncia Gerdau como parceira do Circuito Cultural Praça da Liberdade. Empresa assume a gestão do Museu das Minas e do Metal a partir de 1º de dezembro e prevê melhorias na estrutura física do prédio histórico e novidades na museografia

O governador Antonio Anastasia assinou nesta terça-feira (19), em Belo Horizonte, convênio com a Gerdau, empresa que será a nova mantenedora do Museu das Minas e do Metal a partir de 1º de dezembro. Inaugurado em março de 2010, o Museu foi um dos primeiros espaços entregues no Circuito Cultural Praça da Liberdade e já recebeu, neste período, cerca de 210 mil visitantes.

Para o governador de Minas, a parceria com a Gerdau garante a continuidade e o fortalecimento de um dos mais importantes complexos culturais do país, o Circuito Cultural Praça da Liberdade, que será importante atrativo para os turistas que virão assistir à Copa do Mundo no próximo ano.

"É muito importante que tenhamos o setor privado presente na gestão desses espaços culturais. Creio que o investimento será muito positivo e tenho certeza que essa parceria vai permitir a consolidação desse imenso circuito. Quando estiver concluído, teremos aqui o maior centro cultural do Brasil e, quem sabe, da América Latina, para que o talento das Minas Gerais fique sempre exposto", destacou Anastasia.

Resultado da parceria do Governo de Minas com a iniciativa privada, o Circuito Cultural Praça da Liberdade tem o objetivo de explorar a diversidade cultural em uma região de Belo Horizonte com valor histórico, arquitetônico e simbólico. São nove espaços culturais já em funcionamento, além de outros seis em fase de instalação. Somente em 2012, cerca de 700 mil pessoas visitaram o complexo. Só o programa educativo atendeu cerca de 75 mil alunos da rede pública de ensino, além de associações e entidades filantrópicas. O Circuito é co-gerido pelo Instituto Sérgio Magnani, por meio de parceria com o Governo do Estado.

Em seu discurso, o governador ressaltou a política desenvolvida em Minas, nos últimos anos, de investimento na área de cultura, que promoveu o resgate do patrimônio e dos espaços culturais em Belo Horizonte e no interior do Estado. "Tudo isso significa valorizar e proteger a identidade de Minas Gerais e não há, para nós mineiros, valor mais alto do que a nossa cultura, do que os valores espirituais que nos guiaram nesses 300 anos de civilização. A cultura, sem dúvida, é o guia condutor de todo esse nosso esforço e, por isso, todo o investimento, todo o suor desbravado na área da cultura tem um retorno, que é excelente, que nos traz civilização, educação, inclusão e desenvolvimento", disse.

Nova parceria

Desde o início do ano, a Gerdau já vinha estudando possibilidades de participar do Circuito Cultural Praça da Liberdade. Com o término do convênio de parceria firmado com o Grupo EBX, a empresa manifestou o interesse ao Governo de Minas em assumir a manutenção do MMM.

O vice-presidente executivo da Gerdau, Manoel Vitor de Mendonça Filho, afirmou que, ao longo de mais de 112 anos, a Gerdau sempre pautou suas atividades e seus princípios no desenvolvimento sustentável e na responsabilidade social. Segundo ele, neste projeto para o Museu das Minas e do Metal, a empresa espera investir cerca de R$ 11,5 milhões nos próximos cinco anos de gestão.

"Nossa relação com o Estado é de muita confiança e transparência. Temos em Minas um dos maiores investimentos da história da companhia, e em todos os locais em que estamos presentes, buscamos zelar pela atuação ética e responsável, que nos abre caminho para os mais de cem projetos sociais que conduzimos no Estado. Acreditamos, portanto, que nossa participação no Museu das Minas e do Metal representa uma ampliação dessa contribuição, além de ser uma oportunidade de fortalecer e incentivar a valorização do rico patrimônio que temos aqui no nosso Estado", disse.

Uma das novidades da nova gestão do Museu será a entrada que, a partir de 1º de dezembro, passa a ser gratuita. Para 2014, estão previstas melhorias na estrutura física do prédio histórico e novidades na museografia.

O Museu

Projetado em 1895 por José de Magalhães e inaugurado em 1897 para abrigar a Secretaria do Interior do Estado, o edifício também foi sede da Secretaria de Estado de Educação e é tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha/MG). O projeto de ampliação e adequação do edifício para receber o acervo do MMM – com área de 6 mil metros quadrados – é do arquiteto Paulo Mendes da Rocha, e a museografia é assinada por Marcelo Dantas.

Com 18 salas e 44 atrações, o Museu das Minas e do Metal abriga um importante acervo sobre mineração e metalurgia e marca a relação entre a história e a cultura de Minas com suas riquezas naturais. Recursos tecnológicos são usados para destacar, de forma lúdica e interativa, a importância dos metais e minerais no cotidiano das pessoas. Ao longo da visita, o frequentador se surpreende com a descoberta de novos conteúdos. Além disso, o MMM é espaço para uma intensa programação cultural, com palestras, seminários, sessões de cinema, saraus de poesia e atividades infantis.

A gestão do Grupo EBX termina em 30 de novembro. Com a parceria com a Gerdau, a Associação Mantenedora do Museu das Minas e do Metal permanece apoiando na gestão do espaço cultural.

Estiveram presentes na solenidade de assinatura do convênio a secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras; o diretor do Instituto Gerdau, José Paulo Soares Martins; o presidente do Ibram, José Fernando Coura; os diretores da Gerdau Marcos Rocha e Daniel Mesquita; a secretária-adjunta de Cultura, Maria Olívia de Castro; o presidente do Iepha, Fernando Cabral; o presidente da Rede Minas, Julio Miranda; a diretora do Museu das Minas e do Metal, Helena Mourão; o presidente da Casa Fiat, José Eduardo de Lima Pereira; e o gestor do Centro Cultural Banco do Brasil, Carlos Nagib.

Gerdau

A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços longos especiais do mundo. Com mais de 45 mil colaboradores, possui operações industriais em 14 países – nas Américas, na Europa e na Ásia –, as quais somam uma capacidade instalada superior a 25 milhões de toneladas por ano. É a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. Com mais de 130 mil acionistas, a Gerdau está listada nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.

Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento sustentável das comunidades em que atua, a Gerdau realiza diversas iniciativas de responsabilidade social nos municípios do seu entorno. A forte presença da Empresa em Minas Gerais reflete nos seus investimentos no estado, buscando reforçar os ganhos mútuos por meio dos seus valores de integridade com todos os públicos e de sustentabilidade econômica, social e ambiental. Para tanto, hoje a Empresa apoia, só em Minas Gerais, mais de 100 projetos voltados para o crescimento e fortalecimento da sociedade. Em todos eles, a educação é o foco principal.

via Agência Minas