Listen to the text.

domingo, 19 de janeiro de 2014

CENTRO CULTURAL ÀRABE SÍRIO em São Paulo - novo endereço

SEJAM BEM VINDOS!     Ahlan wa Sahlan !

NOVO ENDEREÇO DO CENTRO CULTURAL ÁRABE-SÍRIO

RUA DOS INGLESES , 149 - BELA VISTA - CEP 01329-000 / S. PAULO 

NOVO TELEFONE : + 55 ( 11 ) 3266 3441 / FAX:  + 55 ( 11 ) 3231 3012
  
  O Centro Cultural Árabe Sírio é uma estação de emissão da Cultura Árabe no país Amigo, o Brasil. Trabalha para reforçar a cooperação cultural e artística entre os dois povos, o árabe e o brasileiro, através de:

EVENTOS / EXPOSIÇÕES DE ARTE /  DEBATES / CURSOS / PALESTRAS / FILMES
BIBLIOTECA
 / AULAS DE ÁRABE 
/ GRUPO FOLCLÓRICO DE DANÇA E MUITO MAIS...


http://www.ccsirio.org/

Salvador vai ganhar um museu de cera

Salvador vai receber 55 esculturas do Museu de Cera Dreamland durante uma exposição itinerante que deverá durar 90 dias. A mostra está prevista para os próximos 60 dias e, a depender da resposta do público, o museu poderá ser instalado definitivamente na capital baiana. O empresário Luiz Mendes Júnior, da L Mendes Produções, prefere não revelar o nome do shopping que abrigará a exposição, mas a coluna apurou que as negociações estão bem avançadas com o Iguatemi. Ícones como os papas João Paulo II e Francisco e a rainha Elizabeth, da Inglaterra, estão entre as peças que serão expostas aqui. Caso o museu se torne definitivo, como Mendes palenja, Ivete Sangalo e Jorge Amado estão na lista dos retratados. As peças foram feitas pelos artesãos do famoso Madame Tussauds.

Caetano Veloso vai cantar no Fantoches
Caetano Veloso disse sim para Márcia Castro e confirmou participação especial no ensaio da cantora, Pipoca Moderna, no dia 8 de fevereiro, no Clube Fantoches. Na mesma noite, subirão ao palco os cantores Ney Matogrosso e Otto.

Novos ares para o Camarote Salvador
Depois de promover algumas mudanças na direção, a Premium Entretenimento, de Paulo Góes e Duquinho Magalhães, resolveu reestruturar também um dos seus maiores cases de sucesso: o Camarote Salvador. A megaestrutura, incluindo a cenografia, que há cinco anos levava a assinatura do escritório de arquitetura baiano Ruy Espinheira Neto, agora será tocada pela M. Checon, empresa paulista responsável pelos dois dos maiores festivais de música do mundo: o Lolapallooza e o Rock in Rio, dentre outros.

Viva o sonho
E o Camarote Salvador já definiu o tema para este Carnaval: Viva o Sonho. A equipe de cenografia da M. Checon está dando asas à imaginação para criar mil possibilidades para os foliões sonharem nos seis dias de festa. O público será reduzido. Deverá ficar entre 4,5 a 5 mil por dia.

Nana chique
Quem também está promovendo mudanças na sua estrutura é Camarote do Nana. O arquiteto Ruy Espinheira Neto, ex-Salvador, recebeu a missão de dar um up no visual e deixar o espaço ainda mais nobre e sofisticado. Em tempo, Bell Marques não é sócio da empreitada.

Um elefante...
Não foi só o espaço do Pestana que a Pink Elephant perdeu. A boate que agora será instalada em março, no Ocho, no Rio Vermelho, será comandada apenas por Rodrigo Palhares. Sua sócia, a promoter Rafaela Meccia, saiu do negócio. A amizade, garantem, continua firme.

Dois elefantes...
Rodrigo Palhares, por sinal, vendeu a marca Camarote Oceania. Ele agora responde pelas áreas de vendas e conteúdo do Camarote Brahma. Para imprimir sua marca no espaço, vai levar a Pink Elephant para lá e criar um lounge ultra VIP no mirante, com mesas vendidas.

Verão no sul
E o clima de verão continua pegando fogo mesmo é no sul da Bahia. Na sexta, 17, a top DJ com sobrenome real Paola de Orleans e Bragança tocou no Comandatuba Music Festival, em Ilhéus. Lá pelas bandas de Barra Grande, o agito está rolando pesado no Café de La Musique.,

Contra a maré
Atraca navio, zarpa navio e as obras do Porto de Salvador parecem remar contra a maré. No velho e "esculhambado" Terminal de Passageiros de Salvador, os turistas que ali desembarcam sofrem com ausência total de infraestrutura. Bom lembrar que esses mesmos turistas irão replicar isso lá fora. Ano passado, 90 navios de cruzeiro atracaram ali. A temporada, que costuma durar até abril, este ano deve se estender até julho, por conta da Copa do Mundo. Até lá é torcer para a maré virar. A favor, espera-se.


  • João Paulo II será uma das figuras retratadas no museu de cera que chega a Salvador




fonte:
http://atarde.uol.com.br/cultura/materias/1562449-salvador-vai-ganhar-um-museu-de-cera

Arte de Ana Norogrando é destaque no Museu de Arte do RS

Segue aberta à visitação, no Museu de Arte do RS (Praça da Alfândega, s/n) a exposição "Ana Norogrando: Obras 1968-2013". Esta é a primeira exposição retrospectiva da artista e é inovadora por que propõe uma leitura original da obra de Ana Norogrando, considerando outras abordagens de interpretação e enfatizando seu perfil ativista. Não por outra razão, ela atribui grande ênfase ao caráter feminista da obra da artista, resgatando seus mais diversos aspectos.

Exposição segue até 23 de março. A curadoria é de Gaudêncio Fidelis<br /><b>Crédito: </b> Reprodução / CP
Exposição segue até 23 de março. A curadoria é de Gaudêncio Fidelis
Crédito: Reprodução / CP

Sua obra revela-se por meio desta exposição a partir de uma leitura original e aponta sua relevância para o contexto da escultura no Estado. Esta determina ainda um espaço no âmbito da arte brasileira que pode-se considerar como sendo indispensável para entendermos o significado da produção de artistas mulheres. A exposição traz à visibilidade a sua produção de 1968 a 2013, acentuando sua inclinação para a arte têxtil e culminando em suas obras mais recentes, do ano em que se realiza esta retrospectiva. A extensa publicação que a acompanha assinala as diversas facetas de sua produção ao longo deste período, mostrando em detalhes a complexidade estética e conceitual que seu trabalho engendra.

Ao longo do tempo, a obra de Ana Norogrando foi abordada criticamente dentro dos parâmetros restritivos da 'tapeçaria' ou 'arte têxtil'. Restritos porque circunscritos às prerrogativas da linguagem que determinam a experiência de transformar as obras em limitadoras de requisitos que foram demarcados por aquela modalidade artística: tecer, invocar tramas, fiar, desfiar, construir planos, utilizar fibras, introduzir maleabilidade ao 'tecido' construtivo do trabalho.

Contudo, enquadrar a obra da artista de meados dos anos de 1980 para cá nos parâmetros limitados da tapeçaria seria adotar uma visão reducionista de sua obra e desconsiderar sua contribuição maior para a produção contemporânea. Com o desenvolvimento de sua obra em direção à figuração e ao abandono das tramas e tessituras, o contemporâneo passou a ser, para muitos críticos, a única categoria de definição passível de ser adotada. Esta exposição abre, assim, outras interpretações para sua obra e amplia consideravelmente o panorama de sua contribuição.


fonte:
http://www.correiodopovo.com.br/ArteAgenda/?Noticia=516462