Listen to the text.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Hyundai celebra parceria com o Museu Tate Modern

A Hyundai Motor anuncia a celebração de parceria com o Museu Tate Modern, em Londres, no Reino Unido. O contrato celebrado surge como o mais longo no género, na história do museu, com duração de 11 anos (2014-2025).

A marca coreana apelida a sua secção como «Hyundai Commission» que receberá séries de projetos anuais de artistas contemporâneos no «Turbine Hall», do Tate Modern. Um dos objetivos da Hyundai, com este acordo, é estabelecer parcerias a longo prazo que envolvam emocionalmente, as pessoas e a comunidade.

 

fonte>
http://www.abola.pt/motores/ver.aspx?id=456245

Sobreviventes do Holocausto transformam própria casa em museu na Cisjordânia

ARIEL, Cisjordânia, 27 Jan (Reuters) - Sobreviventes israelenses do Holocausto oriundos da Polônia transformaram a casa deles em um assentamento judaico em um museu, no qual estudantes podem aprender sobre o massacre nazista de seis milhões de judeus na Segunda Guerra Mundial.

Irena Wodzislawski, de 77 anos, diz que seu falecido marido, Yaacov, lançou o projeto em 2003, vendo nele uma forma de vingança pela matança da maioria da comunidade judaica, incluindo a maior parte de sua família, em sua cidade natal de Czestochowa.

Wodzislawski guia grupos de jovens israelenses e soldados por uma coleção particular de mil itens da época do Holocausto em mostruários de vidro, incluindo cartões postais escritos por detidos de campos de concentração e os uniformes que usavam.

O Yad Vashem, principal museu do Holocausto de Israel, em Jerusalém, realiza visitas guiadas com frequência para jovens, mas Wodzislawski afirma que, como sobrevivente, pode oferecer aos visitantes de seu museu uma visão pessoal única.

Ainda menina, Wodzislawski sobreviveu ao Holocausto em sua nativa Przemysl passando a maior parte da guerra escondida com uma família cristã, depois que sua mãe desapareceu do gueto judeu da cidade um dia e nunca mais voltou.

Ela emigrou para o território estabelecido pelo Mandato Britânico da Palestina alguns anos antes do estabelecimento de Israel, em 1948, e hoje vive em Ariel, um grande assentamento na Cisjordânia ocupada.

Engenheira química aposentada que outrora trabalhou para o Ministério da Defesa israelense, Wodzislawski diz que ela e seu marido compraram a maior parte da coleção em viagens pelo leste da Europa, buscando ajudar a preservar resquícios de comunidades judaicas destruídas.


fonte:
http://br.reuters.com/article/entertainmentNews/idBRSPEA0S4C820140127

Museu Vitória e Alberto publicará lista completa de quadros confiscados pelos nazistas (fotos)

O Museu Vitória e Alberto (V&A), em Londres, pretende publicar a lista completa das 16.500 obras de “arte degenerada” confiscadas pelos nazistas no final dos anos de 1930.




O termo pejorativo “arte degenerada”, ou Entartete Kunst, era usado por Hitler e pela propaganda nazista para designar a arte dos pintores-modernistas, nomeadamente dos expressionistas alemães. As suas obras tinham sido retiradas dos museus alemães antes do início da Segunda Guerra Mundial. As obras de Max Beckmann, Lovis Corinth, Paul Klee, Oskar Kokoschka e muitos outros eram primeiro exibidas em exposições da “arte degenerada”, sendo sujeitas ao escárnio das multidões em várias cidades alemãs. Muitas foram vendidas no exterior pelos nazistas através dos seus agentes de arte. Mais de cinco mil obras foram simplesmente destruídas.


O catálogo da coleção do Museu Vitória e Alberto foi preparado pelo Ministério da Propaganda nazista, chefiado por Joseph Goebbels, no final de 1941 ou princípios de 1942. O museu obteve esse valioso documento ainda em 1996 em conjunto com uma coleção de livros dedicados à arte alemã do início do século XX. Até então se pensava que a lista completa estaria perdida e que apenas alguns fragmentos estariam intactos e conservados em um museu de Berlim, explicou à Voz da Rússia o curador principal do Museu V&A Douglas Dodds:

“Essa lista apresenta cerca de 16 mil nomes e todos os objetos de arte referidos tinham sido confiscados de diversos museus alemães. A lista foi elaborada por ordem alfabética e está dividida por cidades e por museus. Até o nosso museu tê-la recebido em 1996, todos pensavam que a lista completa não existia. Ou seja, até ao momento em que a nossa cópia foi descoberta, se considerava que a segunda metade do catálogo estaria perdida. Assim, este é um documento valiosíssimo, sobretudo para o estudo da história da pintura alemã do início do século XX e do que aconteceu às obras enquanto os nazistas estiveram no poder.”

O acesso à lista sempre esteve disponível para os historiadores e para os críticos de arte, contudo, depois de a história da coleção de Cornelius Gurlitt, um aposentado de Munique, ter captado a atenção da mídia por todo o mundo e alertado a opinião pública para a questão da arte confiscada e roubada, o museu decidiu publicá-la no seu site. Além disso, com o desenvolvimento da Internet e da sua acessibilidade, a publicação faz hoje mais sentido.

Aliás, apesar de esta publicação estar diretamente associada à história de Gurlitt, os peritos pensam que ela não irá suscitar discussões acerca de possíveis restituições.

“As obras referenciadas nesta lista pertenciam, na sua maioria, a museus e não a coleções privadas. Além disso, os nazistas aprovaram na altura uma lei especial que lhes permitia apreender legalmente as obras dos museus. Assim, eu não sei qual será a situação do ponto de vista da restituição dos quadros aos museus. Muitos deles já foram vendidos no exterior, destruídos ou trocados. Alguns continuam em museus alemães. Portanto, se trata de uma situação muito complicada”, disse Douglas Dodds à Voz da Rússia.

Assim, ainda não esta claro se os museus alemães terão oportunidade para lutar pelos quadros que lhes foram apreendidos. Dodds sublinhou que a lista completa das obras de arte confiscadas no período entre 1937 e 1938 irá ser divulgada até o final de janeiro de 2014.

fonte:
http://portuguese.ruvr.ru/2014_01_27/photo-Museu-Vit-ria-e-Alberto-publicar-lista-completa-de-quadros-confiscados-pelos-nazistas-fotos-0276/?slide-3