quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Com caminhão-museu no Pacaembu, clube recebe “Família Palmeiras”

O Palmeiras dá largada em ações de marketing no centenário nesta quinta-feira. Além da estreia da nova camisa, um caminhão com uma exposição dentro, servindo como museu de peças históricas do clube, foi estacionado na praça Charles Miller para recepcionar torcedores que forem ao jogo das 19h30 (de Brasília), contra o Penapolense.
Palmeiras

A campanha que convoca a participação maior de torcedores leva o nome de "Família Palmeiras". A ideia é que palmeirenses se cadastrem no site www.familiapalmeiras.com.br para participarem de outras ações ao longo do ano, em um plano de acúmulo de pontos a serem trocados por "experiências com o clube".

"O desafio é formar a maior família do mundo, envolvendo os mais de 18 milhões de torcedores", informou a Adidas, fornecedora de material esportivo e que divulga a ideia. O caminhão que está em frente ao Pacaembu leva o nome de "Casa adidas Palmeiras" e tem fila para visita.

A carreta é personalizada e tem não só a nova camisa, contando também com uniformes antigos, bolas, troféus, medalhas e itens históricos como a taça da Copa do Brasil de 2012 e partes do estádio Palestra Itália antes da reforma iniciada em 2010. O veículo circulará pelos principais pontos da cidade de São Paulo ao longo de 2014.

A aproximação de torcedores é um dos poucos argumentos de defesa do departamento de marketing. Os profissionais contratados pelo presidente Paulo Nobre se orgulham por terem elevado o número de sócios-torcedores de 9 mil para mais de 35 mil, mas, em um ano, não conseguiram nenhum patrocinador fixo para a parte frontal, as costas e as mangas da camisa.

Os jogadores usarão pela primeira vez o novo uniforme na partida desta quinta-feira, válida pela quarta rodada do Campeonato Paulista. O time venceu todos os jogos que disputou até agora na temporada do centenário.


fonte:

Museu quer acabar com mito de que Salieri teria envenenado Mozart


É um dos grandes mistérios da música: teria o compositor Antonio Salieri envenenado seu outrora protegido Wolfgang Amadeus Mozart com arsênico?

O famoso filme "Amadeus", de Milos Forman, de 1984, baseado na peça de Peter Shaffer, deixa poucas dúvidas de que sim. Mas agora o museu de Viena dedicado ao legado de Mozart lançou uma campanha para polir a reputação de Salieri como apoiador do jovem gênio austríaco - e não a de um vilão ciumento.

Uma nova exibição no Mozarthaus, onde Mozart viveu e trabalhou no final do século 18, mostra Salieri como um homem bem humorado, talentoso e generoso que louvava e honrava pupilos como Ludwig von Beethoven e Franz Schubert.

O problema, dizem os curadores, é que pessoas demais pensam em Salieri como a mente maligna da peça de 1979 que o diretor tcheco filmou em Praga e nos arredores, partes da qual se parecem muito com o que eram ao tempo de Mozart.

"Queremos simplesmente esclarecer as pessoas e mostrar o autêntico Salieri, afastando-nos de uma imagem muito fortemente ficcionalizada", disse o diretor do museu, Gerhard Vitek, nesta quinta-feira.

O talento de Salieri, que nasceu no norte da Itália em 1750 e se mudou para Viena aos 15 anos, fez dele um favorito da corte imperial. Ele escreveu óperas e outras peças para o palco, composições patrióticas e música sacra quando não estava lecionando.

A correspondência da família mostra que foi Leopold, pai de Mozart, quem viu Salieri como uma ameaça ao progresso da carreira do jovem Mozart, disse o musicólogo e curador Otto Biba.

"Com uma única exceção, Mozart só escreveu coisas positivas sobre Salieri. Ele ficou irritado uma vez, mas foi risível. Leopold resmungava constantemente sobre Salieri, e muitos outros. Era alguém capaz de se colocar no caminho de seu filho, e ele tinha que fazê-lo parecer mau", afirmou Biba durante uma visita da exposição para a mídia.

A geração posterior à morte de Mozart, em 1791, projetou retrospectivamente uma cisão crescente entre as escolas "italiana" e "alemã" de música nos laços entre os dois homens, acrescentou Biba.

A evidência de que os músicos eram próximos veio quando a esposa de Mozart, Constanze, enviou o filho nascido no ano da morte do Mozart a Salieri para treiná-lo como jovem talento, disse Ingrid Fuchs, também curadora da exposição.

"Acho que isso refuta toda a especulação. Nenhuma mãe envia o filho para ser educado pelo suposto envenenador de seu marido. Este é um testemunho muito poderoso".


fonte:
 http://diversao.terra.com.br/arte-e-cultura/museu-quer-acabar-com-mito-de-que-salieri-teria-envenenado-mozart,4c6ed77091fd3410VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html

Pinturas de Richter e Freud serão vendidas pela Sotheby's em Londres

Uma pintura abstrata do artista alemão Gerhard Richter será vendida pela primeira vez na Venda de Arte Contemporânea da Sotheby's, em Londres, com trabalhos de Lucian Freud e Andy Warhol, informou a casa de leilões nesta quarta-feira.

"Wand" (Parede), de Richter, pintada em 1994, foi exibida em 20 exposições em museus, incluindo a retrospectiva sobre os trabalhos dele intitulada "Quarenta Anos de Pintura", no Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA), mas nunca havia sido colocada à venda pelo artista, segundo a Sotheby's.

A pintura a óleo, com preço estimado em mais de 15 milhões de libras esterlinas (25 milhões de dólares), no leilão, tem "faixas ousadas de vermelho cádmio, azul e magenta", numa amostra da técnica revolucionária que Richter desenvolveu na década anterior.

Um outro novato de destaque no mercado da arte será o artista britânico nascido na Alemanha Lucian Freud, com "Cabeça em um Sofá Verde", pintura de 1961, que retrata sua companheira por um longo período Belinda 'Bindy' Lambton.

Na obra, cujo preço é estimado entre 2,5 e 3,5 milhões de libras, Bindy parece estar nua e seu famoso rosto anguloso aparece apoiado no braço de um sofá verde, "lindamente expressivo e quase escultural na forma".

Mao (1973), de Andy Warhol, parte da série de Mao que ele pintou logo depois de o presidente Richard Nixon visitar a China em 1972, também estará à venda no leilão de Londres, em 12 de fevereiro. A estimativa é que valha entre 5,5 e 7,5 milhões de libras.

(Reportagem de Julia Fioretti)

 fonte:

http://diversao.terra.com.br/arte-e-cultura/pinturas-de-richter-e-freud-serao-vendidas-pela-sothebys-em-londres,b7a9d77091fd3410VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html