quinta-feira, 27 de março de 2014

Papa visitará museu do Holocausto e campo de refugiados na Terra Santa

Cidade do Vaticano, 27 mar (EFE).- O papa Francisco visitará o Museu do Holocausto judeu, campos de refugiados palestinos e o muro das lamentações durante a viagem que fará à Terra Santa de 24 a 26 de maio, segundo a agenda divulgada nesta quinta-feira.

Na agenda estão previstas entrevistas e 13 discursos, e o papa dormirá em Amã e Jerusalém.

O porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi, disse em comunicado que acredita que a viagem será realizada como previsto e que serão retomados os contatos com Israel, em alusão à greve indefinida que os funcionários do Ministério das Relações Exteriores do país mantêm.

Segundo o programa, o papa partirá no começo da manhã do dia 24 de maio para a Amã e haverá uma cerimônia de boas-vindas no Palácio Real de Al-Husseini, onde será recebido pelo rei jordaniano, Abdullah II, e pela rainha Rania.

Na tarde do mesmo dia, Jorge Bergoglio oficiará uma missa no estádio internacional de Amã e visitará o lugar do batismo de Jesus em Betania.

No dia 25 de maio, um domingo, o papa voará de helicóptero de Amã para Belém, onde receberá as boas-vindas do presidente palestino, Mahmoud Abbas, no Palácio Presidencial dessa cidade da Cisjordânia.

Ao fim do ato, Bergoglio seguirá para a Praça da Manjedoura, onde realizará uma homilia de uma hora e meia, seguida de um almoço no convento franciscano de Casa Nova de Belém.

O programa também inclui uma visita privada do papa à Gruta da Natividade, e o encontro com refugiados palestinos como os do campo de Aida, em Belém, e o vizinho de Deheishe, no centro Phoenix desse último.

No início da tarde, o papa voará de helicóptero de Belém a Tel Aviv e, já em Jerusalém,terá um encontro particular com o patriarca ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I, na delegação apostólica da cidade.

Depois, fará um discurso por causa do quinquagésimo aniversário do encontro de Paulo VI e Atenágoras, na Basílica do Santo Sepulcro, e jantará com o séquito papal e os bispos no Patriarcado Latino.

No último dia da viagem, o papa visitará, acompanhado do grande mufti de Jerusalém, o edifício do Grande Conselho na Esplanada das Mesquitas, o Muro Ocidental e o Monte Herzl, e dará um sermão no Memorial do Holocausto Yad Vashem.

Ao meio-dia, se reunirá primeiro com o presidente de Israel, Shimon Peres, no Palácio Presidencial de Jerusalém, e depois com o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, no Instituto Pontifício de Notre Dame.

Pela tarde, o pontífice se reunirá em privado com Bartolomeu I, no edifício próximo à igreja ortodoxa grega de Viri Galilaei, no Monte das Oliveiras, e depois com os sacerdotes, religiosos e seminaristas na igreja de Getsêmani.

Após uma homilia com o séquito papal na sala do Cenáculo, na colina do sudoeste de Jerusalém, o papa Francisco viajará novamente para Tel Aviv, de onde, na mesma noite, voltará a Roma. EFE



fonte:
http://br.noticias.yahoo.com/papa-visitar%C3%A1-museu-holocausto-campo-refugiados-terra-santa-164127999.html